5 sintomas de pessoas que usam drogas para ajudar a identificar - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Se alguém próximo a você se tornou agressivo, isolado ou está se inserindo em círculos de amizades duvidosas, convém ficar de olho e tentar ajudar. Geralmente, mudanças repentinas de comportamento podem ser sintomas de pessoas que usam drogas.

O fácil acesso a entorpecentes e a convivência com pessoas que usam tóxicos são fatores que favorecem o abuso dessas substâncias. A dependência química é um mal que atinge sutilmente um indivíduo, principalmente quando o primeiro contato com as drogas ocorre ainda na juventude.

Dada à complexidade que envolve essa questão, vamos ajudar a identificar os sintomas dos dependentes químicos e falar sobre como ajudar alguém que usa drogas. Acompanhe!

Como identificar os sintomas de pessoas que usam drogas?

Um dos pontos relevantes é saber identificar os sintomas de pessoas que usam drogas. Logo, a observação do comportamento para perceber se houve a adoção de novos hábitos e costumes é essencial. Familiares e amigos precisam estar atentos às mudanças muito radicais na personalidade e, mediante essas evidências, buscar formas de auxiliar seus entes queridos. Vamos entender agora quais são os sinais e sintomas de pessoas que usam drogas. Acompanhe!

Mudanças de humor ou de comportamento

Um dos primeiros sinais de que uma pessoa está abusando das drogas é uma mudança radical em seu humor ou em seu comportamento. Ela pode se tornar mais reservada, introspectiva e até apresentar sinais de culpa, depressão ou tristeza.

Dependendo do tipo de entorpecente consumido, o dependente também pode se tornar impaciente ou assumir posturas extremamente agressivas sem motivo aparente.

Os hábitos de alguém que se torna dependente de uma substância química costumam ser repetitivos e padronizados devido ao efeito das substâncias ilícitas. Assim, uma pessoa pode passar a ter hábitos noturnos ou passar a ter conflitos em sua vida social por consequência do abuso desses compostos.

Amizades ou companhias suspeitas

Salvo exceção, um dependente químico procura se aproximar das pessoas que lhe oferecem drogas. Por isso, ele pode passar a ter companhias diferentes e que antes não pertenciam ao seu círculo social.

Se você é próximo de uma pessoa que apresenta alguns dos sinais descritos aqui, procure observar quem são os amigos dela e como é a relação com essas pessoas. Desconfie de amizades muito recentes e que aparentam certo nível de confiança.

Evidências no corpo

Para ajudar a perceber os sintomas de pessoas que usam drogas, é bom  ficar de olho nos sinais ou evidências no corpo delas. Os mais comuns são arranhões, ferimentos, manchas e hematomas. De acordo com o tipo de substância consumida, pode até haver sangramentos ou marca de agulhas.

Além disso, as roupas também podem denunciar essa prática: o cheiro característico ou a mudança no estilo são fortes evidências. Outro sinal é o uso de itens estranhos como cachimbos, canudos, espelhos, garrafas vazias e objetos perfurantes. Essas evidências são importantes para iniciar um diálogo ou um questionamento para ajudar os dependentes químicos.

Alterações na rotina

Um dependente químico pode apresentar alterações também em seu metabolismo. Assim, sinais do abuso de drogas podem aparecer na alimentação: os mais evidentes são a falta ou o excesso de apetite.

O semblante de um dependente químico também costuma refletir o abuso de drogas. Olhos vermelhos, inchados ou mucosas do nariz irritadas também são indícios do uso de substâncias químicas.

Alterações no sono também devem ser consideradas. Problemas como insônia, sonambulismo ou uma inversão de hábitos podem surgir como efeito do abuso de tóxicos.

Distúrbios psicológicos

O abuso de drogas também pode desencadear transtornos mentais. As substâncias químicas usadas com fins recreativos, como as drogas psicoativas ou psicotrópicas, causam graves alterações no sistema nervoso. Em longo prazo, os danos podem ser irreversíveis.

Um usuário de drogas pode demonstrar desequilíbrio mental de diferentes formas. As alterações comportamentais dependem do nível de uso e do tipo de substância consumida. Irritabilidade, ansiedade patológica e depressão são os mais comuns.

Como ajudar alguém que usa drogas a superar esse problema?

O jornal O Globo divulgou uma pesquisa de um instituto ligado ao IBGE afirmando que o uso de drogas está aumentando entre os adolescentes brasileiros.Os resultados das pesquisas mostram que o percentual de jovens de 13 a 15 anos que experimentaram bebidas alcoólicas subiu. Em 2012 o percentual era de 50,3% e passou para 55,5% em 2015. Isso sugere a urgente necessidade de intervenções mais adequadas para conter os impactos negativos resultantes desse problema.

Enumeramos algumas sugestões para ajudar alguém que usa drogas. Confira!

Conversar sobre o assunto

Uma das melhores armas contra os impactos negativos decorrentes do uso de tóxicos é o diálogo aberto e honesto. Agir com paciência, sabedoria e utilizar palavras de incentivo é fundamental para obter êxito diante de situações delicadas como a suspeita do abuso de entorpecentes.

Adotar uma postura mais branda torna mais fácil a abordagem e a transparência durante a conversa. Isso ajuda a evitar que o questionamento sobre as razões que levaram a esse tipo de diálogo não  seja visto como uma ofensa ou ameaça à moral.

Conquistar a confiança do dependente químico

Ter mais confiança nos pais, irmãos, tios ou parentes próximos é muito importante para lutar contra a questão das drogas e vencer o vício. Logo, familiares e amigos devem evitar julgamentos ou juízos de valor em relação ao problema ou ao comportamento do dependente químico.

Se o usuário de drogas for ouvido e compreendido, isso será interpretado como uma motivação a mais para enfrentar esse problema. O equilíbrio nas relações familiares contribui bastante para fortalecer a pessoa e ajudá-la a crescer diante das adversidades.

Confiar nas pessoas próximas influencia diretamente o estado emocional e ajuda a preparar a pessoa para lutar contra o vício. Ter a certeza de que não está sozinho incentiva o compartilhamento de experiências e dos sentimentos mais difíceis.

Demonstrar que a família quer ajudá-lo

É muito difícil ver um ente querido sofrer ou fazer escolhas equivocadas que impactam negativamente sobre sua vida pessoal, afetiva, acadêmica ou profissional. Por isso, os familiares precisam demonstrar interesse em ajudá-lo.

Em algum momento, o usuário de drogas precisa perceber que a família está preocupada com a saúde, o futuro e o bem-estar dele. De certa forma, a certeza de que ele está sendo observado pode contribuir positivamente para fortalecer os laços familiares e, juntos, procurarem a melhor solução para o caso.

Como é o tratamento para a dependência química?

Ajudar uma pessoa a abandonar o vício em drogas não é uma tarefa fácil. Isso exige tempo e paciência para fazer com que a pessoa se conscientize a respeito de sua situação em relação às drogas.

Reconhecida a necessidade de iniciar um tratamento, é preciso buscar um diagnóstico correto que direcione à intervenção mais adequada. Em alguns casos, o estágio da dependência é tão avançado que compromete outras questões relacionadas à saúde do paciente, como distúrbios físicos ou mentais.

Para reverter esse quadro é preciso buscar o tratamento adequado, de forma que a recuperação seja eficaz e não haja recaídas no futuro. Além da desintoxicação, pode ser necessária a prescrição de medicamentos para regular as funções do organismo e controlar as emoções negativas.

O acompanhamento psicológico do paciente também é altamente recomendado. O ideal é buscar instituições que ofereçam um tratamento integrado por meio de intervenção multidisciplinar. O apoio de médicos clínicos, psicólogos e psiquiatras são imprescindíveis ao sucesso do tratamento.

Todo esse processo se torna mais fácil, se aliada à intervenção terapêutica, há o apoio familiar e dos amigos. Esse suporte fortalece a decisão em abandonar o vício e ajuda a evitar que a pessoa volte ao estado de dependência química.

Quando buscar ajuda profissional?

Saber como ajudar alguém que usa drogas é um dos aspectos mais relevantes nesse processo de luta contra o abuso dessas substâncias. Isso requer habilidades e técnicas que, nem sempre os familiares ou pessoas próximas possuem.

Tendo isso em vista, antes que o problema se transforme em algo irrecuperável, a busca de um tratamento especializado contra as drogas torna-se uma das melhores alternativas.

A intervenção médica varia de acordo com o nível de dependência do organismo. É necessário realizar um processo de desintoxicação gradual. Mas não é recomendado que uma pessoa em grau mais avançado de dependência interrompa o consumo dessas substâncias.

A interrupção brusca pode até oferecer um risco à saúde da pessoa, uma vez que a expõe a crises de abstinência. Por isso, o tratamento hospitalar é o mais seguro para ajudar alguém que usa drogas.

Dependendo do estado de saúde e do nível de comprometimento mental, a internação do paciente pode ser necessária. Ela pode ser feita de forma voluntária, ou seja, com o consentimento do dependente.

Nos casos mais graves, ela também pode ser feita de forma involuntária ou compulsória. Essa alternativa é a mais indicada quando a situação do dependente oferece risco a integridade dele ou a das pessoas de seu círculo social.

Igualmente relevante é compreender que a própria dependência química impõe uma condição muito complexa sobre a vida da pessoa. Por conseguinte, os usuários de drogas ficam completamente dominados pelo vício e transtornados pela falta de força emocional para lutar contra esse quadro.

Os sintomas variam de uma pessoa para outra, mas o padrão de dependência e os danos à saúde mental e física são, praticamente, os mesmos. Nesse sentido, a busca por ajuda em instituições especializadas em reabilitação mental, como o Hospital Santa Mônica, garante que haja meios para reverter os sintomas de pessoas que usam drogas, além de promover o bem-estar e a qualidade de vida.

Aprendeu com o nosso conteúdo? Então, você não deixe de ler também de aprender sobre como identificar um usuário de drogas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos