Publicado em Deixe um comentário

Tratamento contra drogas: como ele funciona?

Tratamento contra drogas como funciona?

A dependência química, além de magoar a família e todos aqueles que estão próximos do dependente, é uma situação capaz de comprometer trabalho, vida afetiva e sonhos a curto, médio e longo prazo. Ela pode, entretanto, ser revertida com tratamento contra drogas, realizado adequadamente em todas as fases.

Ideal para lidar com o uso de substâncias como cocaína, crack, ecstasy, heroína, LSD e maconha, além do próprio álcool, o procedimento vai desde a desintoxicação até a fase pós-terapia, na qual a pessoa retoma suas atividades de rotina.

Quer saber mais sobre tratamento contra drogas e entender como ele funciona para ajudar alguém que você ama? Então, não deixe de ler a continuação de nosso artigo adiante!

Como iniciar o tratamento

Para iniciar esse processo, é fundamental entender, antes, que cada doença requer um tipo de terapia. Assim, pode ser necessário mais ou menos tempo, além de medicamentos distintos.

A primeira etapa, assim, consiste na avaliação psiquiátrica a fim de verificar o risco e depois disso, então, com equipe composta por médicos, psicólogos e terapeutas ocupacionais, prosseguir com as fases até a reabilitação.

Tipos de tratamento e internação

Uma vez realizado o diagnóstico, o médico é responsável por decidir, ao lado do paciente, de sua família e companheiros, se o tratamento será interno, externo ou de internação parcial.

Caso seja interno, o paciente permanece todos os dias, 24 horas por dia no hospital especializado ou na clínica, de forma que receba cuidados intensivos para lidar com o vício. Quando externo, ele realiza suas atividades normalmente, dorme na própria residência e, nos horários estipulados, frequenta o local para se tratar.

Há ainda os casos de internação parcial, na qual se combinam tratamentos interno e externo. Ou seja, o paciente permanece a maior parte do dia sob cuidados médicos e, ao final deles, retorna para casa.

Em boa parte dos casos, a internação tende a ser voluntária, mas pode acontecer também involuntariamente, em um caso de internação compulsória. Nela, familiares, cônjuges ou amigos decidem internar o indivíduo contra a vontade dele a fim de preservar sua vida e de evitar que ele seja perigoso para si e para as demais pessoas.

Etapas do tratamento

Agora que você já conhece os tipos de internação, entenda a seguir como funcionam as principais etapas do tratamento contra drogas!

Desintoxicação

Essa fase é determinante para o sucesso da recuperação. Não à toa, nela ocorre o processo de remoção das substâncias danosas do corpo, o que requer monitoramento constante de cada paciente a fim de evitar que haja sintomas de abstinência.

Essa situação, afinal, faz com o organismo e a mente sofram sem a droga e favorece o desenvolvimento de sintomas como desconforto, tremores, ansiedade e pressão arterial aumentada.

Ansiolíticos e antidepressivos são os medicamentos mais utilizados para evitar a sensação de fissura. Além deles, a depender da substância usada pelo paciente, há também opções de remédios que atuam contra convulsões e interferem nos mecanismos cerebrais relacionados à euforia e ao prazer.

Terapia comportamental

Após a desintoxicação, a terapia com psicólogo e psiquiatra conduz os pacientes rumo à raiz do vício e os ajuda a evitar o descontrole em situações futuras.

Nessa etapa bastante relacionada ao emocional, há controle de ansiedade e de quaisquer outros distúrbios emocionais, de modo a transformar o comportamento e fazer com que cada indivíduo entenda as origens de seu vício, combatendo todos os gatilhos que o levam às drogas.

Reinserção na sociedade

Durante essa etapa bastante delicada, o paciente recebe cuidados continuados e um trabalho voltado à prevenção de recaídas de forma que possa retomar sua vida e convívio social.

Aos poucos, reaproxima-se da família, dos amigos e de suas atividades de rotina, como trabalho e demais locais que frequenta, com autoestima reconquistada.

O tratamento contra drogas, ao fim, é um processo longo e pode ser bastante desafiador. Mas com o auxílio de um hospital psiquiátrico, em que haja equipe especializada, faz com que todo o esforço do paciente e daqueles que o amam valha muito mais a pena, retomando seus sonhos e objetivos na vida sem o estigma da dependência química.

Gostou de nosso artigo e ainda tem dúvidas ou experiências a compartilhar sobre o tema? Então deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *