Publicado em 3 comentários

Saiba como funcionam os processos de desintoxicação de drogas e álcool

Saiba como funciona a desintoxicação de drogas e álcool

Estudos indicam que 55,5% dos estudantes menores de 14 anos já tiveram algum envolvimento com álcool e drogas ilícitas. Esses números traduzem uma preocupante realidade, o que torna necessário saber, em média, quanto tempo leva para desintoxicar o organismo e ajudar o dependente químico a se libertar desse problema.

Nessa perspectiva, a proposta deste artigo é delinear a importância de buscar medidas para que o indivíduo se livre da dependência. Para tanto, abordaremos a etapa da abstinência, os métodos utilizados para superar os efeitos da falta da droga e as melhores alternativas de tratamento.

Logo, entenda com o psicólogo do Hospital Santa Mônica, Antonio Chaves Filho, por que a desintoxicação é tão necessária à recuperação do equilíbrio emocional exigido para restaurar o convívio harmônico entre indivíduo, família e sociedade. Boa leitura!

O que é o processo de desintoxicação?

É uma maneira de “limpar” e de livrar o organismo do efeito da toxicidade. Para ser eficaz, a desintoxicação de drogas exige acompanhamento médico e o apoio da família e de outros profissionais. Isso porque não é fácil se libertar da dependência química e de todos os estigmas a ela associados.

De forma sucinta, a base desse procedimento é a administração de uma quantidade gradativamente menor da substância que provoca dependência, até que o organismo do usuário não sinta mais necessidade de utilizar drogas.

Essas substâncias afetam importantes funções do corpo humano que desequilibram o estado psicológico. Logo, não é recomendado a interrupção abrupta do consumo de tóxicos, sobretudo se o indivíduo for usuário por muito tempo.

Por fim, livrar-se da adicção em drogas é algo sonhado por muitas pessoas que são dominadas por esse problema. Assim, a desintoxicação é parte importante desse processo. Ainda que essa não seja uma etapa fácil do tratamento, ela é essencial para o paciente vencer as drogas e recuperar o bem-estar e a qualidade de vida.

Quais drogas requerem desintoxicação?

Tanto o álcool como os entorpecentes exigem a submissão ao processo desintoxicante. Essas drogas, mediante a ação psicotrópica ou psicoativa cerebral, provocam graves alterações no sistema nervoso central do usuário.

Grande parte das drogas ilícitas que causam dependência se enquadra nessa categoria. No entanto, as mais comuns e que exigem medidas de intervenção urgente são:

Nesse sentido, é necessário compreender quanto tempo leva para desintoxicar o organismo em relação às drogas e ao álcool. Afinal, juntamente aos tóxicos, o consumo do álcool é apontado como um dos problemas de saúde pública mais desafiadores do planeta.

Em tese, tais questões envolvem importantes fenômenos relacionados não apenas à família, mas à ordem social, econômica e política. Assim sendo, as pessoas que enfrentam tais problemas comprometem a vida em diferentes esferas, principalmente o relacionamento familiar, social e as atividades profissionais.

Quanto tempo leva para desintoxicar o organismo?

Saber o tempo necessário para ocorrer a desintoxicação é um dos pontos mais relevantes para o sucesso da recuperação do paciente. Por isso, mesmo que o processo não tenha, ainda, um tempo determinado, os profissionais responsáveis devem estipular um cronograma.

Conforme o estágio do vício e as reações do organismo ao tratamento, pode ser necessário mais tempo para se processar as respostas aos medicamentos. Em muitos casos, a internação é indicada, o que possibilita o acompanhamento multidisciplinar.

Além disso, a internação evita o contato do paciente com locais ou pessoas que usam drogas. Principalmente na etapa inicial do tratamento, exige-se um suporte profissional para que o usuário tenha o apoio emocional necessário para prosseguir firme em seu propósito.

Como agilizar o processo de desintoxicação do corpo?

Saber quanto tempo leva para desintoxicar o organismo é fundamental para adotar condutas terapêuticas mais eficazes na desintoxicação do organismo. Mesmo que não se tenha um prazo determinado para esse processo, é possível utilizar algumas estratégias visando agilizá-lo

Para isso, o primeiro passo importante é escolher uma instituição experiente no tratamento de reabilitação contra as substâncias químicas. Em seguida, é necessária uma avaliação diagnóstica criteriosa para identificar quais são os pontos que mais precisam ser trabalhados com o paciente.

Nesse contexto, o trabalho multidisciplinar se mostra de extrema importância para o alcance dos objetivos dos tratamentos. Além disso, existem outras particularidades que influenciam o êxito durante todas as fases do tratamento e da recuperação do paciente.

Para melhor compreensão do tema, listamos algumas práticas que ajudam a agilizar esse processo. Veja quais são:

  • beba bastante água, pois é preciso eliminar a toxicidade dos rins e fígado;
  • mantenha-se firme em seu propósito para vencer as crises de abstinência;
  • capriche na alimentação, de modo a garantir o aporte nutricional necessário a esse processo;
  • controle a ansiedade, pois entender quanto tempo leva para desintoxicar o organismo ajuda a diminuir os pensamentos negativos;
  • evite o contato com colegas usuários de drogas e álcool, pois isso pode influenciar recaídas e colocar todo o seu esforço a perder.

Quais são as práticas que podem aliviar o processo de desintoxicação do corpo?

Em primeiro lugar, é importante destacar que o processo de desintoxicação do corpo depende, em parte, do grau de dependência ou da codependência química do indivíduo. Por isso, quanto mais grave o quadro, mais ele necessitará de suporte psicológico e médico para vencer essa situação.

Em geral, as pessoas não conseguem abandonar a dependência química sozinhas, pois os tratamentos caseiros e por conta própria dificilmente eliminam a toxicidade do organismo. Além disso, os impactos das drogas no organismo afetam tanto as funções físicas quanto a estabilidade mental.

Somado a isso, as tentativas de superação desse problema sem um adequado acompanhamento profissional são arriscadas devido aos efeitos colaterais da abstinência. Problemas como taquicardia, crises de ansiedade, pânico e outros desequilíbrios psicológicos colocam a vida da pessoa em risco.

Por esses motivos, o ideal é procurar clínicas e hospitais especializados na reabilitação do adicto a drogas. Nesses locais, o tratamento é mais eficiente e o indivíduo é monitorado constantemente. Além disso, essas instituições oferecem toda a estrutura necessária para que a desintoxicação seja completa.

Entre as ações que mais ajudam a aliviar esse processo, destacam-se as seguintes.

Apoio da família

Antes de tudo, é importante que a família fique atenta ao problema. Desse modo, existem algumas ações para descobrir se seu filho usa drogas, como mudanças de comportamento e sinais físicos. O suporte da família e dos amigos é fundamental para ajudar o dependente químico, pois a desintoxicação do corpo é um mecanismo complexo.

Atenção multidisciplinar

Como visto, o consumo abusivo de drogas sempre gera consequências emocionais e físicas. Além disso, também é preciso confrontar com as dependências econômicas e os conflitos familiares resultantes desses quadros. Nesse contexto, contar com o apoio de uma equipe multidisciplinar pode ser a solução mais eficaz para que o paciente alcance seus propósitos.

Atividade física

Não há dúvida de que os exercícios físicos geram benefícios incontáveis para o corpo e a mente. No que se refere à desintoxicação do organismo pelo uso de drogas, o incentivo a tais práticas é crucial para auxiliar na eliminação da toxicidade das células. Por isso, convém integrar essas atividades como parte importante do tratamento.

O que é a fase de abstinência?

É a falta da substância que provocou a dependência química. Sem o uso, ocorrem diversas reações físicas e psicológicas. A interrupção do consumo de tóxicos causa, no cérebro, uma espécie de rebote. Isso gera sensações semelhantes ao efeito da adrenalina, um hormônio que, nessas situações, provoca euforia ou depressão.

Por isso, o tratamento realizado em um hospital ajuda a perceber esses sintomas e tomar as providências imediatas. Isso tranquiliza o usuário e deixa-o mais forte para perseverar em seu programa de reabilitação.

Entretanto, os sintomas da abstinência exigem atenção especial. Ainda que sejam um denominador comum, alguns sinais podem ser mais expressivos que outros, pois variam conforme a droga utilizada e o perfil do usuário.

Observe, então, as principais reações durante a fase de abstinência:

  • apatia;
  • náuseas;
  • irritabilidade;
  • dores de cabeça;
  • isolamento social;
  • crises depressivas;
  • sudorese excessiva;
  • ansiedade patológica;
  • falta de concentração;
  • insônia ou sonolência;
  • dificuldade na respiração;
  • tremores nas mãos ou no corpo;
  • taquicardia, acompanhada de dores torácicas.

Quais são as fases de desintoxicação do corpo?

Listamos as fases mais importantes desse processo. Observe!

Uso de medicamentos

Nesta etapa, o indivíduo iniciará o tratamento com o médico especialista nessa área. Os remédios ajudarão o organismo a eliminar a toxicidade provocada pelas drogas durante todo o período de uso. O prazo para que isso ocorra depende de diferentes fatores, mas uma das que mais influencia é o nível de comprometimento do organismo.

Crises de abstinência

Outro aspecto muito relevante no tratamento contra a dependência química é a capacidade de se manter psicologicamente forte durante as crises de abstinência. Quem já passou por esse processo relata experiências positivas por meio de histórias inspiradoras e de sucesso, que dão coragem para seguir em frente e atingir essa meta tão desafiadora.

Fase psicológica

Controlar as crises de abstinência é fundamental até mesmo para conseguir superar outras consequências eventuais da fase de desintoxicação. Muitas vezes, além do acompanhamento psicológico e psiquiátrico, pode ser preciso administrar calmantes e medicamentos.

Nesse momento, a equipe precisa monitorar o paciente mais de perto, já que a instabilidade mental pode contribuir com o desânimo. Assim sendo, o suporte profissional se torna fundamental para reduzir os impactos do desequilíbrio emocional e evitar o comportamento agressivo.

Como reduzir os sintomas da abstinência?

Lidar com os sintomas do processo de desintoxicação exige múltiplas habilidades para auxiliar o paciente nessa meta tão desafiadora. Mostrar-se disponível para ajudar e respeitar as limitações dele é fundamental.

Algumas recomendações são essenciais à redução dos sintomas de abstinência. Acompanhe:

  • faça as terapias de grupo;
  • mantenha uma alimentação saudável;
  • evite o contato com antigas influências;
  • pratique exercícios físicos de modo regular;
  • priorize ações que contribuam para a mudança no estilo de vida;
  • busque alternativas, como cursos de música ou atividades da preferência do paciente;
  • entenda a importância de reconhecer a necessidade de aprender a lidar com as emoções.

O que acontece após a desintoxicação?

Conseguir manter-se limpo e completar o ciclo da reabilitação não é uma missão simples. Todavia, esses são os passos mais relevantes no trabalho de recuperação. Por isso, exige-se bastante esforço e determinação.

No entanto, o apoio psicológico é indispensável, pois o paciente terá que remodelar os pensamentos para conseguir evitar as recaídas. Como visto, a mudança no comportamento e a reinserção social com novas pessoas que não usem drogas são fundamentais.

Logo, o controle das emoções e a firmeza de propósito devem ser prioridades em prol da reconstrução da vida de quem conseguiu se libertar das drogas e do alcoolismo. Mas fazer isso sozinho é quase impossível. Por isso, a ajuda de uma equipe multiprofissional é um diferencial positivo nessa causa.

Quando procurar um hospital especializado?

O tratamento para limpeza do organismo precisa ser feito com muita seriedade e responsabilidade. A complexidade que envolve o processo de desintoxicação sugere a necessidade de que esse tratamento seja feito em um hospital especializado, como o Santa Mônica.

O usuário precisa ser monitorado em tempo integral por uma equipe multiprofissional. Mediante isso, é extremamente desaconselhada a automedicação ou quaisquer tentativas de desintoxicação caseira.

Diante disso, reside a importância de escolher uma instituição que tenha uma equipe experiente nesse tipo de tratamento. Afinal, além de entender quanto tempo leva para desintoxicar o organismo, a qualidade técnica dos profissionais envolvidos é um dos importantes diferenciais nos resultados obtidos.

Esse cuidado é primordial porque as reações ao efeito dos remédios são imprevisíveis e podem colocar em risco tanto a vida do indivíduo quanto a de outras pessoas. Em um hospital, não há esse risco, pois a constante vigilância favorece a tomada de decisões imediatas.

Nesse contexto, convém contar com ajuda profissional quando surgirem os primeiros sinais ou sintomas de dependência química. Quanto antes iniciar o tratamento, melhores serão as chances de recuperação.

Não deixe, portanto, para buscar ajuda quando o usuário já estiver em situação muito crítica e representar ameaça para si ou para a sociedade. Infelizmente, o uso de drogas e álcool vem aumentando entre crianças e adolescentes. Por isso, mantenha um diálogo aberto, honesto e ofereça auxílio.

Por fim, atente-se aos indícios do uso de entorpecentes e que sugerem a necessidade de desintoxicação. Depressão, ansiedade excessiva e ideações suicidas requerem intervenção imediata. São fatores que geram dúvidas sobre quanto tempo leva para desintoxicar o organismo, além de comprometer a saúde do indivíduo e o futuro da sociedade.

Precisa de ajuda nesse sentido? Entre em contato com o Hospital Santa Mônica e fale com um de nossos colaboradores.

3 comentários sobre “Saiba como funcionam os processos de desintoxicação de drogas e álcool

  1. Eu me considero um alcoólatra, pois sou viciado em álcool. Contudo consigo dominar minha ânsia da necessidade de álcool no organismo. Inclusive consigo parar de ingerir bebidas alcoólicas sem perder meus hábitos sociais, de trabalho, familiar e desportivos. No momento não sinto necessidade de beber, e também há um certo enjoou delas, depois de algumas décadas de ingestão. Acho que não estou sentindo necessidade de álcool. Pergunto: é normal sentir asco da bebida?

    Obrigado, Franklin Paulino.

    1. Olá Franklin, Sim é comum algumas pessoas após abandonar o uso de substancias químicas como o alcool , tabaco ou outras drogas sentir um certo mal estar que referem como “ nojo” ou “ asco” provavelmente por associarem a experiências ruins que estas substâncias representaram para outros momentos.

      Algumas medicações utilizadas para o tratamento destas adicções, também podem causar essas sensações desagradáveis a quem tiver uma recaída no uso do álcool ou tabaco e voltar a consumí- los durante o tratamento.

  2. Obrigado pela orientações, ser sério no tratamento, mudar os hábitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais