Publicado em Deixe um comentário

Ideação suicida: veja como funciona o tratamento urgente nestes casos

Ideação suicida tratamento

A ideação suicida é um dos aspectos de um problema de saúde pública que afeta milhares de  pessoas a cada ano no Brasil e sobre o qual nem sempre existem campanhas de esclarecimento. Por falta de debates, especialistas acreditam que os casos de suicídio podem ter uma taxa 20% maior do que os números atuais apontam.

Estamos falando do suicídio, que impacta profundamente não apenas sobre a própria pessoa em sofrimento, mas sobre seu círculo de convivência e a sociedade como um todo. É importante saber que, com o suporte de uma equipe médica multidisciplinar em um hospital de qualidade, é possível cuidar da pessoa e eliminar o desejo de morrer.

Por isso, continue a leitura deste artigo e saiba como funciona o tratamento urgente nos casos de ideação suicida.

Entenda o conceito de ideação suicida

Na sociedade brasileira, o suicídio é compreendido como um transtorno mental multifatorial, que não é classificado como uma doença ou sintoma, mas como o resultado de fatores biológicos, ambientais, sociais, genéticos e fisiológicos.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o suicídio está entre as 10 principais causas de morte ao redor do mundo, sendo a segunda delas quando se trata de pessoas com idade entre 15 e 29 anos.

A ideação suicida, nesse contexto, deve ser entendida como uma das dimensões que definem o suicídio, correspondente aos pensamentos suicidas ou aos planos para realização do ato de tirar a própria vida.

As outras dimensões são a tentativa de tirar a vida e o ato suicida em si. Transtornos do humor como a depressão e doenças como o alcoolismo normalmente estão presentes nos casos de ideação suicida.

Diante do impacto dessa condição sobre o próprio indivíduo e sobre o seu círculo social, ela é compreendida como uma emergência de saúde mental. Isso significa que a pessoa com ideação suicida deve receber um tratamento urgente e adequado, sobre o qual falaremos agora.

Saiba como funciona o tratamento urgente nos casos de ideação suicida

O primeiro passo do tratamento urgente nos casos de ideação suicida é identificar a potencialidade do risco à vida, analisando questões referentes à tentativa de suicídio e aos seus motivos.

Nesse momento, a equipe médica procura esclarecer se o ato suicida foi planejado ou impulsivo, se o paciente agiu de forma a não ser encontrado ou pediu ajuda e se a ideação suicida persiste depois do ato.

Outro aspecto importante do tratamento urgente é a abordagem de problemas de saúde mental relacionados à ideação suicida, assim como o tratamento clínico das possíveis lesões resultantes da tentativa de suicídio.

Assim, o uso de medicamentos pode ser necessário para tratar os distúrbios psiquiátricos, reduzir a ansiedade e eliminar os sintomas nos casos de síndrome de abstinência em dependentes químicos.

Por meio da anamnese completa, que pode exigir até mesmo a presença de um familiar do paciente, os profissionais de saúde são capazes de conduzir o tratamento urgente da forma mais condizente, decidindo pela internação hospitalar quando o risco de suicídio persistir.

Dessa forma, é fundamental considerar o preparo dos profissionais de saúde e a infraestrutura do hospital como fatores que contribuem diretamente para a recuperação do paciente.

Conheça a importância da abordagem multidisciplinar em um hospital referência

A ideação suicida é um quadro que traz bastante sofrimento tanto para o próprio paciente quanto para seus familiares. Dessa forma, a humanização do tratamento urgente é essencial para que as pessoas sintam-se acolhidas em um momento tão crítico. E somente instituições especializadas como o Hospital Santa Mônica oferecem esse tipo de atendimento

Entre os diferenciais que fazem do Hospital Santa Mônica uma referência na abordagem da ideação suicida é a qualidade da sua equipe médica multidisciplinar. Trata-se de uma equipe especializada e preparada para garantir todo o suporte que o paciente e sua família precisam, seja em relação a um atendimento individual ou em atividades coletivas, nas quais é possível trocar experiências e ouvir pessoas que superaram o suicídio.

Além de médicos psiquiatras e clínicos gerais, o paciente e sua família podem contar com o apoio de psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, farmacêuticos e nutricionistas.

Agora que você já sabe qual é a dinâmica do tratamento urgente nos casos de ideação suicida, veja outro artigo para entender a importância do debate sobre o suicídio na prevenção do problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *