Publicado em 4 comentários

O que é e o que fazer durante uma overdose?

O que é e o que fazer durante uma overdose?

O abuso de drogas provoca alterações no corpo e na mente de uma pessoa. As recreativas, aquelas usadas apenas com a finalidade de obter a sensação de prazer, geralmente atuam no sistema nervoso do indivíduo e o consumo em excesso pode até matar. Neste post, vamos esclarecer o que é overdose e explicar como ajudar um dependente químico nessa situação.

Antes de começarmos essa matéria que contou com a orientação da dra. Luciana Mancini Bari, médica com foco em saúde mental do Hospital Santa Mônica, é preciso ter em mente que uma pessoa que se torna dependente química se encontra em uma e d e vulnerabilidade emocional ou social. Apenas inibir o consumo de drogas não será eficaz para promover uma recuperação definitiva.

Assim, compreender o contexto em que vive o paciente e a existência de problemas camuflados pelo uso de drogas (transtornos mentais, por exemplo) é essencial para buscar o tratamento adequado. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é overdose?

Essa é uma palavra que vem do inglês e é usada para designar a exposição do organismo a uma dose excessiva de qualquer substância, seja ela uma droga recreativa ou não. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o consumo de drogas mata 200 mil pessoas por ano. A overdose de narcóticos ilegais está entre os principais motivos desses óbitos.

Quando uma overdose ocorre, ela pode causar sintomas aparentes. Porém, as mais agressivas são capazes de provocar a falência dos órgãos vitais — como coração e pulmão —, sendo o principal motivo de mortes entre dependentes químicos.

Ao ser ingerida ou ministrada, uma substância química será decomposta pelo organismo até ser completamente metabolizada. O corpo elimina naturalmente o que sobrou dessa substância após absorver seus nutrientes.

O consumo em excesso de drogas causa uma sobrecarga ao corpo humano, fazendo com que ele não consiga processar esses compostos. Assim, eles chegam a regiões mais sensíveis do organismo com maior potencial para causar danos.

Quais são os sinais de que o nível de substâncias está no limite?

O uso de substâncias — sejam recreativas ou por motivos de saúde — está sempre sujeito a um limiar. Isso significa que, quando utilizadas em excesso, algumas substâncias causam mais riscos do que benefícios.

Inicialmente, é fundamental frisar que qualquer uso de substâncias, mesmo o recreativo, deve ser acompanhado por um médico. Atualmente, contamos com uma medicina centrada no paciente que evita julgamentos e busca adequar o tratamento ao estilo de vida individual.

Por isso, muitos médicos já são treinados no que chamamos de “redução de danos”. Esse conceito se baseia na compreensão dos motivos que levam as pessoas a utilizarem substâncias e na redução dos malefícios que elas causam.

Alguns sinais, no entanto, indicam que o uso de substâncias já está no limite e que a busca por um profissional de saúde deve ser mais urgente. Dentre eles, podemos citar:

  • redução da capacidade de realizar atividades do cotidiano;
  • perda de interesse em atividades que antes eram prazerosas;
  • conflitos interpessoais com família, amigos e colegas;
  • tentativas frustradas de interromper o uso da substância;
  • necessidade de doses cada vez maiores para obter o mesmo efeito;
  • perda de apetite;
  • alterações no sono;
  • agitação ou irritabilidade crescentes ou fora do comum.

Como evitar uma overdose?

Os sinais que mencionamos são alguns um alarme de que o uso de substâncias pode estar no limite. Ao ultrapassá-lo, os riscos de uma overdose aumentam — daí a importância de ficar atento às mudanças comportamentais quando se usa qualquer substância.

A melhor maneira de evitar uma overdose é fazer um acompanhamento adequado com um médico capacitado na área, pois ele saberá indicar as dosagens seguras das substâncias e quais cuidados tomar.

Se você se encontra já em um estado de risco para a overdose, o melhor a fazer é procurar ajuda. Lembre-se de que ela pode trazer sequelas irreversíveis e até mesmo ser letal. No caso da dependência química, é sempre melhor prevenir do que remediar.

Quais são os principais sintomas de uma overdose e como ajudar?

Problemas respiratórios e perda da consciência são os principais sintomas de uma overdose. No entanto, eles variam de acordo com o tipo de substância ingerida, a quantidade, a procedência da droga e a própria reação do organismo.

O ideal diante desse quadro é procurar ajuda médica especializada o mais rápido possível. Também é essencial evitar a ingestão de outras substâncias para combater os sintomas ou para fazer com que o organismo elimine a droga por meio de vômitos ou evacuação. Lembre-se sempre: o tratamento adequado salva vidas e promove uma recuperação muito mais eficaz.

O que fazer caso identifique uma overdose?

Caso você ache que está tendo uma overdose, é fundamental procurar imediatamente um serviço de urgência e emergência. No Brasil, o mais utilizado para esse fim é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O número para discagem é o 192 e ele funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Dependendo da substância utilizada, é preferível aguardar a chegada da ambulância do que procurar por conta própria um pronto-atendimento. Lembre-se de que algumas drogas aumentam o risco de quedas, as quais piorar o quadro e levam a maiores complicações. Siga sempre as orientações do informante do telefone do SAMU.

Caso esteja presenciando uma overdose, o protocolo é exatamente o mesmo: busque ajuda especializada e acione imediatamente o serviço de urgência e emergência. Se você não for um profissional da saúde ou não for treinado para primeiros-socorros, evite mobilizar a vítima e siga atentamente os passos do informante ao telefone.

Quais são os impactos de sofrer uma overdose?

É importante frisarmos que a overdose não se apresenta de maneira única para todas as pessoas. Geralmente, os sintomas e os impactos variam conforme a resposta do organismo e, principalmente, a substância utilizada.

No mundo, uma das principais causas de overdose é o uso de opioides, como a heroína ou a morfina. Seus sintomas incluem depressão cardiorrespiratória, que pode levar à redução da oxigenação dos tecidos e, consequentemente, à morte.

Aqui, os índices de uso dessas substâncias ainda é muito menor, mas ele pode ocorrer: alguns medicamentos, especialmente para controle de dor, também fazem parte do grupo de opioides.

No Brasil, as principais intoxicações estão relacionadas ao uso de álcool, cocaína e benzodiazepínicos, como o clonazepam (ou mais de uma substância). O álcool pode levar, em última instância, ao quadro conhecido como coma alcoólico, em que a pessoa perde a consciência e corre o risco de vômitos e convulsões. A overdose de benzodiazepínicos é similar, com redução do nível de consciência e sonolência excessiva.

A cocaína é ainda mais perigosa: por ser um estimulante, ela tende a causar um aumento na demanda do coração e da pressão arterial. Nos casos extremos, isso leva a uma parada cardíaca ou a lesões devido à hipertensão, como derrames cerebrais ou hemorragias.

Também é importante mencionar que a overdose, independentemente da droga utilizada, é uma causa frequente de hospitalizações. Estas, por si só, são fatores de risco para infecções hospitalares, intubações, necessidade de procedimentos e outros riscos. Em alguns casos (como na falta de oxigenação cerebral por muito tempo), pode haver sequelas irreversíveis.

O que fazer para abandonar o vício em drogas?

É importante esclarecer que o tratamento de uma pessoa que abusa de substâncias químicas não é fácil. É necessário tempo para desintoxicar o corpo e deixar que ele elimine esses compostos. Também não é raro esse tipo de tratamento exigir acompanhamento psicológico.

Qual é a importância do tratamento e da desintoxicação de drogas?

É fundamental que quem faça uso de qualquer substância saiba que existe tratamento para a dependência química — e que existem locais especializados nesse objetivo que estão prontos para ajudar. O primeiro passo é sempre reconhecer que há um problema e se permitir a procurar ajuda.

Nos centros especializados em tratamento e desintoxicação de drogas, diversas técnicas são utilizadas para livrar do vício. Entre elas, estão o uso de medicamentos que auxiliam no combate à dependência, as terapias individuais e as práticas em grupo. Além disso, é nesses locais que você garante que será acompanhado (ou acompanhada) por uma equipe multidisciplinar especializada na área.

Se você estiver passando por um período de dependência de substâncias, é fundamental procurar um profissional capacitado e evitar esse desfecho, que pode ser fatal.

Para ajudar, o Hospital Santa Mônica possui uma equipe especializada em saúde mental com foco em dependência química. Atuando há 48 anos, ele possui um histórico de excelência no tratamento de transtornos psiquiátricos e está a apenas 10 km de São Paulo.

O primeiro passo para abandonar o vício é a própria pessoa reconhecer o seu problema. Depois, cuidado, paciência e diálogo aberto são ferramentas essenciais para ajudar um dependente químico e promover uma recuperação eficaz.

Além disso, é igualmente importante procurar ajuda médica especializada. Somente profissionais capacitados poderão dar um diagnóstico preciso e indicar o tratamento adequado para cada caso.

Se você tem qualquer dúvida sobre o que é uma overdose ou está buscando tratamento, não perca tempo: entre em contato conosco e marque uma consulta com um dos hospitais de maior referência no assunto em São Paulo! Estamos prontos para tirar suas dúvidas e acolher da melhor maneira possível.

4 comentários sobre “O que é e o que fazer durante uma overdose?

  1. Está no começo do vício.
    Preciso urgente de ajuda

    1. Olá Silvia, você está fazendo tratamento? o ideal é procurar um psiquiatra especializado em dependência química e seguir o tratamento, ficamos à disposição, abraço

  2. preciso de ajuda urgente tô tendo uma overdose já mais de 20 minutos muito estranha sintomas foi 1 grama de escama de 94% de pureza usada em duas vezes em intervalo de 15 minutos de uma dose pra outra e já usei muito mais de uma vez e nunca aconteceu igual

    1. Olá Dexter overdose, você precisa ir para um hospital geral na hora para tirá-lo do quadro e depois ser internado em um hospital psiquiátrico para tratamento da dependência química. Ficamos à disposição 11 99534-4287

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais