Siga nossas redes sociais

Publicado em Deixe um comentário

Importância da nutrição na reabilitação de dependentes químicos

A dependência química é um problema de saúde pública. Trata-se de uma doença que demanda tratamento e que pode receber muitas abordagens terapêuticas distintas, melhorando a experiência do usuário e humanizando todas as etapas, como é o caso da nutrição na reabilitação de dependentes químicos.

Um processo de tratamento completo conta com diversas intervenções, inclusive na alimentação do paciente e na sua reeducação nutricional, para que isso possa contribuir com a sua qualidade de vida ao longo do tempo. É por isso que neste post você vai descobrir mais sobre o assunto.

Continue a leitura e entenda com a nutricionista do Hospital Santa Mônica, Patricia Vespasiano Stern, qual é a contribuição da nutrição na reabilitação de dependentes químicos, por que ela é tão importante, quais são as vantagens de aliar esses cuidados ao tratamento e como o Hospital Santa Mônica pode ajudar.

Qual é a relação entre a nutrição e a reabilitação?

Consumir substâncias que alteram o estado de consciência de uma pessoa, como é o caso das drogas, causa uma série de desordens intencionais e outras não-intencionais — os desequilíbrios nutricionais são um exemplo disso. Esse desequilíbrio acaba provocando um enfraquecimento físico e o declínio no estado geral de saúde de uma pessoa adicta.

Além disso, é muito comum que os dependentes químicos deixem de se alimentar adequadamente, ficando sem comer por longos períodos ou mesmo fazendo escolhas inadequadas para a composição do seu prato. Junto da ingestão indevida das substâncias, isso prejudica muito o organismo.

É por isso que durante a reabilitação, além de todos os outros acompanhamentos necessários, é preciso ter atenção redobrada com a nutrição do paciente. Entre outros benefícios, isso é o que vai ajudar você a fortalecer o próprio sistema para responder melhor às outras intervenções, sejam elas medicamentosas ou terapêuticas.

Como você viu, o processo de adicção acaba prejudicando os dependentes em diversos sentidos, inclusive no que diz respeito à sua alimentação. Geralmente, ao chegar à etapa de reabilitação, os pacientes já estão com a aparência debilitada e, em grande parte dos casos, abaixo do peso considerado saudável para a sua faixa de altura, gênero e idade.

No decorrer do processo de desintoxicação, essa debilidade pode se intensificar, fazendo com que o indivíduo perca não só peso, como também nutrientes importantes para a sua saúde. Nessa fase, é fundamental que um nutricionista contribua com o processo de reeducação alimentar e de orientação para a reposição de todos os componentes necessários para uma boa alimentação.

Assim como a intervenção terapêutica, o trabalho do nutricionista é fundamental para a recuperação dos dependentes químicos. Ele pode ser um forte aliado tanto para reduzir os sintomas da patologia quanto para fortalecer as condições de saúde de cada paciente.

Por que é importante cuidar da nutrição dos pacientes em reabilitação?

Assim como o uso abusivo de substâncias químicas, a má alimentação também é algo a ser combatido. Manter uma alimentação rica em carboidratos e ingerir alimentos de origem vegetal são apenas alguns dos primeiros passos nessa direção.

Além disso, a ingestão suficiente de fibras é fundamental para manter equilibrada a flora intestinal, formando adequadamente as fezes a ajudando a excretar algumas substâncias da vesícula biliar. Da mesma maneira, as proteínas desenvolvem um papel riquíssimo na formação estrutural do corpo e nas funções celulares.

A linha entre a boa alimentação e uma alimentação desequilibrada é muito tênue no dia a dia de um dependente químico. Durante o tratamento, o consumo excessivo dos alimentos pode se apresentar como uma forma de compensar a falta de alguma substância química. Por isso, é necessário redobrar os cuidados.

Esse alinhamento da nutrição na reabilitação de dependentes químicos é fundamental para recuperar o estado nutricional do indivíduo e ajudá-lo a manter esse equilíbrio. As orientações, os planejamentos de cardápio e as indicações nutricionais também são muito relevantes para a saúde do paciente no longo prazo.

Quais são as vantagens de relacionar o tratamento de reabilitação com os cuidados com a nutrição?

A primeira grande vantagem de apostar no alinhamento da nutrição na reabilitação de dependentes químicos é garantir uma alimentação completa e balanceada, algo que é benéfico para todos, ainda mais para os adictos.

Fortalece o sistema imunológico

Os especialistas afirmam que uma dieta composta por alimentos ricos em carboidratos, proteínas, minerais, vitaminas e outros elementos é algo essencial para garantir o fortalecimento do organismo. Isso aumenta a imunidade, fazendo com que o corpo tenha mais condições de reagir a agentes externos, como vírus e bactérias.

Ajuda a desintoxicar

Além disso, verduras e legumes também têm um papel importante nisso tudo; afinal, ajudam o organismo a eliminar aquelas substâncias mais prejudiciais, realizando um processo detox.

Isso é fundamental para quem está fazendo um tratamento medicamentoso, pois ajuda a limpar os tóxicos ingeridos por tanto tempo e aumenta a eficiência dos remédios.

Aumenta a autoestima e o bem-estar

A boa nutrição é importante entre as diferentes abordagens no tratamento porque estimula um indivíduo a se cuidar. Comendo de forma equilibrada, a pessoa tende a se sentir mais disposta e animada.

Quando isso vem acompanhado da prática de um exercício físico, por exemplo, os resultados podem ser percebidos positivamente no corpo, em forma de autoestima e bem-estar.

Conscientiza o dependente

A abordagem da nutrição na reabilitação de dependentes químicos não contribui apenas com os fatores físicos do paciente. Ela ajuda também a conscientizar sobre a importância de hábitos saudáveis e de um cuidado diário.

Por isso, essa reeducação é importante até mesmo para evitar alguma compulsão alimentar que possa vir a existir durante ou depois do tratamento.

Melhora a saúde mental

Muitos dependentes químicos sofrem, além do vício, de problemas com a sua saúde mental, como ansiedade e depressão. Uma alimentação rica e equilibrada desempenha um papel fundamental nesse sentido, fornecendo nutrientes essenciais para o cérebro sintetizar e ajudando a evitar substâncias nocivas, como o excesso de açúcar.

Como o Hospital Santa Mônica apoia a nutrição na reabilitação de dependentes químicos?

O Hospital Santa Mônica conta com um quadro de profissionais qualificados para cuidar da dieta durante o tratamento para dependentes químicos. Seu principal objetivo é atender às necessidades nutricionais de cada paciente e fornecer o melhor suporte possível por meio de uma alimentação saudável e equilibrada.

Com uma equipe interdisciplinar, o principal objetivo é integrar diferentes abordagens para aumentar a eficácia do tratamento e proporcionar mais conforto e segurança ao dependente químico nesse processo. Isso tudo combatendo fatores como a deficiência nutricional, a obesidade e a desnutrição.

Se você quer saber mais sobre como combinamos a nutrição na reabilitação de dependentes químicos, converse conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *