Publicado em Deixe um comentário

6 benefícios comprovados do chocolate para o cérebro

Amantes de chocolate, alegrem-se! Neste Dia Mundial do Chocolate, 07 de julho, trazemos a notícia como se você precisasse de outro motivo para se deliciar com um dos alimentos mais populares do mundo, o chocolate pode realmente ser bom para você e seu cérebro. O chocolate, em sua forma bruta, é repleto de benefícios saudáveis. É todo o processamento comercial, açúcar, laticínios e aditivos que o transforma de um alimento saudável em um produto que deve ser consumido com moderação.

Várias pesquisas mostram que o chocolate amargo, sem açúcarde sem aditivos oferece benefícios substanciais. Confira!

O chocolate é bom para o seu cérebro e sua saúde mental, segundo estudos científicos

1. Reduz os sintomas depressivos.

O chocolate amargo contém o neurotransmissor feniletilamina, que está envolvido na regulação do humor e libera endorfinas de bem-estar no cérebro. De acordo com um estudo de 2019 na revista Depression and Anxiety , as pessoas que consumiram qualquer quantidade de chocolate amargo durante dois períodos de 24 horas tiveram 70% menos probabilidade de relatar sintomas de depressão do que aquelas que não comeram chocolate. Entre os consumidores de chocolate, os 25% que comeram a maior parte foram os menos propensos a dizer que experimentaram sintomas depressivos. Mas antes de correr para a loja para estocar barras de chocolate, tome nota. Foi apenas o chocolate amargo que produziu uma redução significativa no risco de sintomas depressivos.

2. Melhora a cognição.

Um estudo de 2017 na Frontiers in Nutrition sugere que consumir cacau leva a melhorias de curto e longo prazo na cognição geral, atenção, velocidade de processamento e memória no trabalho .

3. Melhora o fluxo sanguíneo.

Pesquisas no Journal of the American College of Nutrition descobriram que o cacau melhora a saúde dos vasos sanguíneos, e outros estudos apontaram para sua capacidade de reduzir a pressão arterial. Isso melhora o fluxo sanguíneo geral, que é uma das chaves para a saúde do cérebro. Baixo fluxo sanguíneo em estudos de imagem cerebral SPECT foi observado com depressão, suicídio, transtorno bipolar, esquizofrenia, TDA/TDAH, lesão cerebral traumática, acumulação, abuso de substâncias e muito mais.

4. Aumenta os neuroquímicos da paixão.

O chocolate contém feniletilamina (PEA), que libera endorfinas no cérebro. Estes são alguns dos mesmos neuroquímicos que o cérebro produz quando você se apaixona. Não é à toa que tantas pessoas dizem que amam chocolate. Acredita-se também que a PEA esteja associada a certos distúrbios de saúde mental. Por exemplo, um estudo de 2014 descobriu que o TDAH é caracterizado por baixos níveis de PEA e sugere que a PEA pode ser uma alternativa segura aos ISRSs no tratamento da depressão.

5. Reduz a inflamação.

O chocolate amargo possui alta concentração de flavonoides, que possuem efeito antioxidante e anti-inflamatório. A inflamação tem sido associada a uma variedade de problemas de saúde mental, incluindo depressão, transtorno bipolarTOC , esquizofrenia, transtornos de personalidade e doença de Alzheimer. Estudos científicos também apontam para uma associação entre altos níveis de inflamação e diminuição da motivação e comportamento suicida , juntamente com a ativação de partes do cérebro que sentem rejeição social, medo e ameaças.

6. Aumenta a serotonina.

O chocolate amargo contém serotonina, o neurotransmissor “não se preocupe, seja feliz”, conhecido por melhorar o humor. A baixa atividade da serotonina aumenta o risco de depressão e pode desempenhar um papel no desenvolvimento da doença de Alzheimer em idosos, de acordo com pesquisa em Neuropsicofarmacologia .

Não é uma desculpa para exagerar

Sim, a ciência confirma que o chocolate amargo oferece benefícios para o cérebro e a saúde mental, mas isso não significa que quanto mais, melhor. Atenha-se a não mais do que 1 pedaço pequeno e certifique-se de escolher uma variedade sem açúcar e sem laticínios que tenha pelo menos 70% de cacau.

Por fim, pode-se concluir que os benefícios da atividade física em portadores de doenças mentais são bem relevantes. Nesse sentido, os profissionais de saúde devem incentivar tais práticas, pois a intrínseca ligação entre corpo e mente exige medidas para promover o equilíbrio, o bem-estar e a saúde integral.

Mas se estiver sofrendo de algum problema mais sério de saúde mental, é melhor buscar ajuda profissional.

Agora é com você: gostaria de conhecer melhor os tratamentos especializados em saúde mental do Hospital Santa Mônica? Entre em contato conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais