Publicado em Deixe um comentário

Terapia assistida por cães: quais são os benefícios?

O contato com animais de estimação faz bem para as pessoas que convivem com ele. Entretanto, esse benefício pode ser estendido para o âmbito hospitalar por meio da terapia assistida por cães, a fim de contribuir com o processo de recuperação dos pacientes.

Nessa abordagem o animal atua como uma espécie de elo entre o paciente e o terapeuta. Dessa forma, é possível promover uma melhoria emocional e cognitiva, além de bem-estar físico para as pessoas que estão passando por um momento difícil.

Para entender como essa terapia funciona, quais são os seus benefícios e em quais casos ela é indicada, convidamos o terapeuta Vinicius Ribeiro, fundador do Humanimais, para uma entrevista imperdível. Confira a seguir e tire suas dúvidas sobre essa técnica.

O que é a terapia assistida por cães?

A terapia assistida por cães, ou cinoterapia, é um método terapêutico que se utiliza do contato com cachorros para complementar e/ou facilitar o tratamento de pacientes, inclusive hospitalizados. O animal ajuda a quebrar algumas barreiras que dificultam a atuação dos especialistas, em especial nos casos psiquiátricos.

O tratamento de doenças mentais nem sempre é fácil: muitas vezes ele tem que contar com várias frentes terapêuticas, que incluem terapias, medicações e tratamentos integrativos. No entanto, em alguns casos, existe uma resistência ao tratamento inicial, dificultando a cura.

Segundo Vinicius, a terapia assistida por cães, é indicada especialmente nesses casos, em que há resistência ao tratamento inicial. O cão se torna um mediador das intervenções terapêuticas e atua ativamente no tratamento.

Como a terapia assistida por cães funciona?

A terapia assistida por cães começa com a escolha dos animais ideais para realização dessa importante tarefa. Eles precisam ter aptidão para isso, o que se caracteriza pelo temperamento pacífico e a facilidade de domesticação.

São animais que devem estar em perfeito estado de saúde e com os devidos cuidados em dia, como banhos, vermifugação e unhas aparadas, além do controle de parasitas. O ideal é que sejam treinados desde filhotes para desempenhar o papel de coterapeutas.

A terapia assistida por cães só pode ser realizada por profissionais da área de saúde e mediante um plano terapêutico. O intuito é permitir aos pacientes o contato com o animal para garantir mais leveza para o tratamento. Esse contato melhora a autoestima, a confiança, a atenção, favorece as funções motoras, a fala e a socialização, além de trazer bem-estar.

Quando a terapia assistida por cães é indicada?

Esse procedimento terapêutico é indicado nos mais diferentes casos, como para pessoas hospitalizadas ou acamadas, indivíduos em tratamento psiquiátrico, idosos e crianças com necessidades específicas, como nas deficiências intelectuais ou físicas.

Vinicius conta que a terapia assistida por cães é mais indicada nos casos refratários, mas que também pode ser utilizada nas fases iniciais do processo. É um importante instrumento no caso dos pacientes que ficarão afastados da sua rotina por um período prolongado, ou para aqueles que vão passar ou estão passando por tratamentos invasivos ou intensos.

Não podemos esquecer os benefícios extraordinários que podem ser obtidos em pacientes com quadros mais graves, como no pós-trauma, em que o tratamento convencional encontra barreiras. É importante que a terapia assistida por cães seja, portanto, pelo menos considerada para o tratamento nesses casos.

Como a interação com o cão ajuda na recuperação das pessoas?

O contato com um animal traz mais conforto e alegria. Ele recebe e doa amor e carinho, o que, por si só, já é um fator de proteção contra algumas doenças mentais. No entanto, o carinho não é o único benefício do uso de cães na terapia.

Segundo o Dr. Vinicius, a interação com os animais, quando realizada com afeto e companheirismo, favorece a liberação de hormônios positivos no corpo humano — dentre eles a oxitocina, uma substância conhecida por mediar o vínculo emocional e o afeto. Além disso, reduz a liberação de cortisol, classicamente associado ao estresse.

Mas é importante frisar que a técnica não se resume à interação simples. Na verdade, a intervenção é padronizada e, como dito, realizada por profissionais. Afinal, o intuito é utilizar o cão como um mediador e não como uma mera presença.

O principal benefício na melhoria da saúde, conforme Vinicius informa, é facilitar para o profissional o acolhimento e o acesso emocional ao paciente — algo que, em muitos casos, pode ser desafiador.

Quais são as principais alterações emocionais causadas pelo contato com o animal?

Vinicius cita algumas alterações emocionais relacionadas à chegada do animal a um ambiente terapêutico. A primeira delas é a surpresa do paciente, ao receber um companheiro. A segunda alteração, fundamental ao tratamento, é a alegria com o companheirismo do cão, vista na maioria dos pacientes.

Ela é acompanhada de uma terceira alteração, que é a interrupção do processo de separação dos animais. Muitos dos pacientes em tratamento hospitalar sentem falta de seus companheiros e têm esse sentimento reduzido com a chegada do cão.

Ter um animal em casa também contribui com o tratamento?

Como você viu a terapia assistida por cães oferecida em âmbito hospitalar auxilia os pacientes na recuperação e no enfrentamento de problemas por meio da leveza e do conforto que o contato com os animais traz.

Por isso, ter um cão em casa também contribui de forma significativa com o tratamento quando a pessoa não está hospitalizada. Inclusive, conforme citamos, o animal ajuda a proteger contra algumas doenças mentais.

Na depressão, especificamente, a terapia mediada por cães parece ter um papel especial. Isso ocorre porque, na fisiopatologia da doença, a falta de motivação é um dos pilares centrais em pessoas deprimidas.Quando o paciente é motivado (direta ou indiretamente) a cuidar de um animal, ele vê os frutos do seu esforço quase imediatamente: há a recompensa em forma de afeto pelo cão e a regulação hormonal, que o ajudam a lidar com o quadro depressivo. Esse feedback é fundamental para que recomece a lidar com seus problemas e se compreender melhor.

Como é o serviço oferecido pelo Hospital Santa Mônica?

Vinicius atua diretamente no serviço do Hospital Santa Mônica, uma instituição próxima à capital paulista com história no tratamento de doenças mentais. Ele conta que os animais participam diretamente dos atendimentos, fazendo parte da rotina dos pacientes internados e facilitando a interação com o terapeuta.

A terapia assistida por cães é um recurso importante para que o paciente seja mais receptivo ao tratamento e na interação com o terapeuta. Os benefícios na saúde mental são significativos, e isso também se reflete na saúde física, o que faz com que as indicações sejam extensas, contribuindo para o sucesso do tratamento.

Se você tem interesse em saber mais sobre essa modalidade de tratamento, entre em contato com o Hospital Santa Mônica! Estamos à disposição para informar melhor sobre nossos serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais