Publicado em Deixe um comentário

Semana da Enfermagem: o papel dos enfermeiros no tratamento de saúde mental e dependência química

semana da enfermagem o papel dos enfermeiros-no-tratamento de saúde menta

Você sabia que, em 1960, o então presidente Juscelino Kubitschek instituiu a Semana da Enfermagem, que é celebrada anualmente de 12 a 20 de maio? Além disso, o dia do profissional de Enfermagem é comemorado internacionalmente em 12 de maio. 

No Brasil, o objetivo dessa semana é exaltar a profissão, que tem origem milenar. Desde o início das sociedades, os enfermeiros são tidos como figuras que cuidam, protegem e nutrem pessoas convalescentes, deficientes, crianças e idosos. 

Na saúde mental e no cuidado de dependentes químicos, por exemplo, os enfermeiros exercem um papel que merece destaque. A equipe formada por esses profissionais é a que mantém contato mais próximo com os pacientes, reconhecendo os problemas, as necessidades e os avanços no tratamento. 

No contexto atual, em que é necessário aderir ao isolamento social devido à pandemia causada pela Covid-19, esse cuidado é um grande desafio.

Elaboramos este artigo com a ajuda do gerente de Enfermagem do Hospital Santa Mônica, Anderson Christhian Lazinho, para que você entenda qual é o papel do enfermeiro na saúde mental e na dependência química. Além disso, selecionamos informações importantes sobre a importância desses profissionais para a melhora dos pacientes e quais foram as mudanças de protocolo durante a pandemia. Confira!

O papel do enfermeiro na saúde mental e dependência química

Alguns pacientes com problemas de saúde mental, assim como os dependentes químicos, conseguem ser tratados em serviços extra-hospitalares. Em muitos casos, no entanto, é imprescindível realizar a internação para um tratamento efetivo e completo. 

Esse cenário tem se tornado mais frequente durante a pandemia, uma vez que o momento delicado pode causar instabilidade, surtos psicóticos no confinamento e aumentar o consumo de drogas, sendo necessário proteger o dependente químico na pandemia. Nesse contexto, a atuação dos profissionais de Enfermagem é primordial. 

Os enfermeiros atuam no manejo das crises psíquicas e nas crises de abstinência, avaliando o estado mental dos pacientes e a administração de medicamentos. Além disso, são responsáveis pelo planejamento e pelo estabelecimento das ações de cuidado.

As abordagens são feitas de acordo com as necessidades de cada pessoa, a fim de ajudá-la a manter o contato com a realidade, enfrentar o sofrimento e buscar a alta hospitalar. Por esse motivo, após a internação é feita uma triagem e anamnese (entrevista) completa do paciente, com todo o seu histórico. Com essas informações, o enfermeiro pode determinar todas as ações que beneficiam a saúde mental e a recuperação dessa pessoa.

Além disso, semanalmente são feitas reuniões juntamente à equipe multidisciplinar. Como a equipe de Enfermagem está em contato direto com os pacientes, é possível informar aos outros profissionais quais são as suas demandas específicas. 

Se o paciente não apresenta um quadro favorável, é preciso mudar o foco de cuidado. Caso haja sinais de melhora, pode-se modificar as atribuições, permitindo que o paciente faça adesão a outros protocolos.

A importância desse profissional para os pacientes

O profissional formado em Enfermagem pode trabalhar em diversas áreas de atuação. Por esse motivo, após a graduação, é bastante comum que o enfermeiro faça uma especialização. O tratamento de dependentes químicos e da saúde mental tem várias especificidades, por isso é preciso ter profissionais treinados.

No Hospital Santa Mônica, toda a equipe de Enfermagem — que conta com enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares — está apta a interagir com esse perfil de paciente. Os auxiliares e técnicos têm como responsabilidade executar os serviços, enquanto os enfermeiros fazem o planejamento de cuidado, assim como a supervisão dos demais membros da equipe e dos pacientes.

De forma geral, o foco dos colaboradores é planejar o cuidado de acordo com a necessidade de cada paciente. Existem diversas doenças psiquiátricas, e cada uma delas tem uma manifestação diferenciada em cada pessoa. O mesmo é válido para a dependência química, uma vez que o tratamento, os sintomas e outros detalhes dependem não só do tipo de droga, mas da bagagem de cada paciente.

O cuidado próximo dos enfermeiros, que acontece 24 horas por dia no Hospital Santa Mônica, permite que qualquer atitude, característica, frustração, oscilação de humor, efeito de medicações e necessidade seja identificada. Assim, é possível montar um planejamento de cuidados personalizado e efetivo, que propicia uma melhora da parte cognitiva e funcional dos pacientes.

Além disso, o enfermeiro realiza a supervisão e a interação diretamente com o paciente. Como essas pessoas estão internadas e sensibilizadas, é importante que haja socialização, encorajamento e sentimentos positivos. As ações da equipe de Enfermagem na saúde mental e no cuidado de dependentes químicos cria um ambiente favorável para tal, acolhendo e confortando o paciente.

As mudanças de protocolo durante a pandemia da Covid-19

Segundo Anderson, gerente de Enfermagem do Hospital Santa Mônica, o principal desafio na pandemia está sendo o distanciamento social. Os pacientes de saúde mental tendem a ficar muito próximos. Além disso, não conseguem entender claramente qual é a necessidade de usar máscara, ter hábitos frequentes de higiene ou de se manterem afastados. 

Além de prestar todos os cuidados necessários aos pacientes, é preciso ter as atitudes preventivas em relação ao Coronavírus, o que torna as ações mais difíceis.

Para evitar o risco de contágio, as visitas estão temporariamente suspensas, já que familiares e amigos podem acabar levando o vírus para dentro do Hospital. Como os colaboradores são responsáveis pelo cuidado dos pacientes, o protocolo exige que roupas da instituição sejam usadas durante o trabalho, assim como máscaras e face-shields. 

O Hospital Santa Mônica também conta com uma área de isolamento, caso algum interno apresente sintomas respiratórios. Por fim, as mudanças de protocolos mudaram os cronogramas de aulas e oficinas. 

O número de alunos por sala foi reduzido, a fim de evitar a aglomeração. Também é indicado realizar as atividades em espaços ao ar livre. Para conscientizar os pacientes, foram feitas palestras de orientação sobre a importância da higiene das mãos e de evitar o contato físico.

Os enfermeiros são comprometidos com o bem-estar e a saúde de qualquer indivíduo, atuando em diversas áreas. Por esse motivo, esses profissionais tão especiais merecem o destaque dado pela Semana da Enfermagem. 

O Hospital Santa Mônica agradece aos colaboradores da equipe de Enfermagem pelo excelente trabalho prestado a cada um dos internos. As ações de vocês diariamente modificam vidas para melhor. Obrigado!

​Se algum familiar ou uma pessoa querida está em risco, entre em contato com o Hospital Santa Mônica. Nossa Instituição está preparada para oferecer tratamentos especializados contra a dependência química e para a saúde mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *