O que fazer (e não fazer) durante um surto psicótico? - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

O surto psicótico configura uma das situações mais delicadas para os familiares e pessoas próximas de pacientes com distúrbios mentais. De caráter imprevisível, os surtos por vezes podem ter consequências significativas se não forem manejados da maneira correta.

Mas afinal, existe uma forma certa de lidar com o surto psicótico? É claro que cada indivíduo tem um histórico clínico e manifesta os sintomas de diferentes formas, mas é possível sim, compreender o que fazer e o que não fazer nesses momentos.

Pensando nisso, desenvolvemos um conteúdo para que você saiba tudo sobre o assunto e entenda quais as principais condutas devem ser adotadas durante os transtornos, de forma a lidar com a situação mais tranquilamente.

Entenda o que é o surto psicótico

Primeiro, vamos explicar o que é o surto psicótico, quais são as causas e principais sintomas que caracterizam o quadro. É importante ressaltar, no entanto, que a condição psíquica de cada pessoa é individual e depende das particularidades do contexto social, familiar e clínico em que ela está inserida.

Definição e sintomas

A perda de contato com a realidade é o principal fator que caracteriza o surto psicótico. Essa situação pode acontecer de diferentes maneiras, mas está sempre relacionada a uma descompensação aguda do comportamento com sintomas psicóticos.

A psicose é o quadro que caracteriza esses sintomas. Eles se desenvolvem principalmente em consequência de distúrbios causados por delírios e alucinações e o paciente ainda pode apresentar agressividade, falta de conexão entre pensamentos, agitação, euforia e oscilação de humor.

Causas

Existem três grupos de condições mais relevantes que podem ser as causas do surto psicótico. É importante conhecê-los e, se possível, identificar alguns sinais que possam ser percebidos a tempo, a fim de evitar a manifestação da psicose.

  • Abuso de drogas: a ocorrência de surto psicótico devido ao abuso de substâncias psicoativas (sejam elas lícitas ou ilícitas) é bastante comum. Drogas como maconha e cocaína têm o potencial de aumentar o risco da manifestação de psicose;
  • Transtornos psiquiátricos: condições como esquizofrenia e bipolaridade são uma das principais causas do surto psicótico, além de outras alterações e distúrbios do sistema nervoso, como traumas e lesões;
  • Condições médicas e histórico geral: disfunções da tireoide, do fígado e dos níveis hormonais, além de doenças como o lúpus, sífilis, AIDS e outras infecções também podem ser causas da psicose. Além disso, indivíduos com histórico traumático, com episódios desfavoráveis durante a vida, também estão propensos.

O que fazer durante um surto psicótico

Agora que começamos a compreender as definições e causas do surto psicótico, vamos abordar algumas orientações sobre quais atitudes tomar durante a crise para lidar com a situação da melhor forma.

Cheque se houve a administração correta dos medicamentos

Para os pacientes que já apresentam algum tipo de transtorno psiquiátrico, é importante checar se os medicamentos de uso contínuo foram administrados corretamente nas últimas horas.

A abordagem medicamentosa da saúde mental é complexa e especialmente vulnerável se não for seguida de acordo com a prescrição médica. Portanto, observe se o surto psicótico não é resultado do uso incorreto de algum medicamento e se esse for o caso, procure fazer a administração imediatamente.

Vigie as atitudes e manifestações do paciente

Quando o indivíduo começa a ter alucinações, é comum que ele manifeste fenômenos relacionados a sensopercepção. Ou seja, sensações internas que abrangem os cinco sentidos do corpo; o paciente começa a escutar vozes, sentir cheiros ou enxergar vultos e objetos que não existem.

Já os delírios são marcados pela expressão de frases e pensamentos desconexos e sem lógica. O fato é que ambos demonstram certo descolamento da realidade e podem resultar em atitudes irracionais por parte da pessoa em crise.

Para tanto, mantenha o paciente sob vigília e analise as manifestações psíquicas que ele estiver apresentando. Muitas vezes ele pode se sentir vigiado ou perseguido, o que aumenta a chance de fuga ou de atitudes impulsivas.

Afaste o paciente de locais conturbados

Locais barulhentos, conturbados ou muito cheios podem agravar os sintomas da psicose. Além disso, pessoas próximas podem se assustar com as condições do paciente que, sob olhares de espanto, pode se sentir ainda mais desconfortável.

Pense rapidamente em algum ambiente aconchegante que ofereça silêncio e comodidade para a pessoa em crise conseguir, dentro do possível, ficar mais tranquila e lidar com a tensão interna longe de outras interferências.

O que não fazer durante um surto psicótico

Como vimos, algumas intervenções são imprescindíveis no momento da crise psicótica. Mas existem outros comportamentos e situações que devem ser evitados na abordagem dos pacientes. Portanto, continue acompanhando o texto e descubra o que não fazer.

Não confronte a pessoa

Já mencionamos que os quadros de delírios e alucinações são bastante recorrentes durante o surto psicótico. E mesmo que as falas e atitudes sejam irracionais, é fundamental não confrontar a pessoa falando mais alto que ela ou discordando de seus atos.

O mais importante nesse momento é tratar o outro com empatia e cautela, conversando com uma voz calma e serena para que a descompensação aguda emocional não seja exacerbada.

Não deixe objetos perigosos ao alcance do paciente

Agressividade, euforia, alterações de humor e sensações de perseguição são sintomas comuns do surto psicótico. Além disso, os pacientes não têm uma noção crítica da realidade e podem acabar tomando atitudes impulsivas.

Desse modo, é essencial atentar-se à presença de objetos perigosos como facas, tesouras, armas e objetos pontiagudos. É preciso diminuir tanto o risco de agressão a outras pessoas quanto a possibilidade de automutilação.

Não hesite em procurar ajuda especializada

Por fim, uma das condutas mais adequadas ao lidar com o surto psicótico é a busca por profissionais especializados. Seja durante ou logo após o episódio, é muito importante procurar acompanhamento e entender os motivos que podem ter desencadeado o surto.

Hoje existem tratamentos psicoterapêuticos e medicamentosos muito eficazes no controle das manifestações clínicas dos surtos. Ademais, uma equipe de saúde multidisciplinar pode fazer toda a diferença para o diagnóstico e as intervenções apropriados.

As estratégias empregadas no manejo do surto psicótico vão sendo adaptadas à condição de cada paciente. Sendo assim, é necessário recorrer a centros de excelência em saúde mental para que um suporte humanizado e efetivo seja fornecido aos pacientes e suas famílias.

Se interessou pelo conteúdo deste post? Que tal ficar por dentro de outros temas relacionados aos transtornos psiquiátricos? Assine nossa newsletter e receba os artigos em primeira mão, diretamente na sua caixa de e-mail!

34 respostas para “O que fazer (e não fazer) durante um surto psicótico?”

  1. Em termos de cuudados físicos, o q fazer numa situação dessa onde a pessoa está numa crise onde foi imobilizado depois de um ato agressivo e começa a dizer q vai se matar? O q ocorre em seu corpo q o leva a esse comportamento? O q precisa ser feito pra q essa adrenalina baixe?

    1. Olá Sara, existem empresas especializadas em remoção para este caso, o HSM tem parceria com a Remoções Higienópolis, mas precisa ver na sua região, pois não são todos os serviços de remoção que são especializados em surtos.

  2. Meu pai tem surtos psicóticos, e tenho medo dele fazer mal a minha mãe, mas do que ja tem feito. Como procedo para uma eventual internação.

    1. Olá Alex, existem serviços de remoção especializada em surtos psicóticos, você pode ligar que orientamos, mas temos parceria com a Remoções Higienópolis que são especializados nestes casos!

  3. Muito bom as informações de orientação pois deparamos com casos é necessário saber oque fazer na hora.

  4. Boa tarde
    Este assunto é bastante grave e nunca pensei que houvesse coisas destas. Eu tive um namorado que penso que terá surtos psicoticos, os sintomas coincidem na maior parte deles. Ainda gosto muito dele, eu amo-o muito e parte-me o coração vê – lo assim e adorava conseguir ajudá-lo, terminou comigo simplesmente porque tem certezas que o trai, o que não é verdade, dizendo que tem provas, nunca era incapaz de lhe fazer mal e incapaz de o trair mas ele criou uma ilusão na cabeça e acusa – me de traição e diz que sente que não deve confiar em mim, e que me ouviu ao telefone com ele e eu estava com outros rapazes o que não é verdade, coisas surreais. Por mais que eu tente, por mais que eu diga que não fiz nada ele não acredita em mim, até que depois tive que compatuar com as certezas se não era pior e admiti a ele a traição que nunca existiu . Também já disse que toda a gente lhe quer mal e que incluindo a família paga aos amigos e a mim para lhe fazer mal :'(, o que não é verdade toda a gente só o quer ver bem, vê-lo Feliz. O desespero dele foi tao grande que um dia decidiu sair de casa e cometeu algumas situações graves.
    Eu não sei se faço bem continuar a falar com ele porque também não quero abandonar, ele diz que está bem mas ninguém está bem quando se encontra sozinho. O problema é que ele não era assim ele e bastante boa pessoa e muito bom coração, o consumo de drogas Sim acho que o fez piorar, mas ele diz que para ele é um escape mas quando está mal diz que só está bem à consumir, quando está ao lado de quem lhe quer bem não preciso nada de drogas, nem fuma nem se lembra disso.

    Preciso de conselhos.
    Como devo agir?

    1. OLá Inês, o ideal seria convencê-lo a procurar ajuda profissional para tratar as drogas e voltar a ter uma vida sadia. Abraço

  5. Meu marido do nada surta, me fala palavras que machucam, ele fica estranho, ri sozinho me avisa de coisas que nunca existiram e fala dele na terceira pessoa. Oque eu faço?

    1. Olá Aline, o ideal é que ele procure um médico e descubra qual é o diagnóstico e faça um tratamento adequado para controlar os sintomas e a agressividade.

    2. Oi boa tarde meu marido tem surtos ele quebra as coisas até se machuca por causa de coisa besta se estressa. Fica sem controle.Mas ele nao aceita que esta com problemas precisa de tratamento.

  6. Ola,onde em Belo Horizonte posso encontrar esse atendimento gratuito para remoção de pessoa em crise?

    1. Olá Vanessa não conhecemos o serviço aí em BH, mas o ideal é procurar remoção especializada em problemas psiquiátricos, porque a comum dificilmente fará a remoção, por não estarem preparados.

  7. Olá, tenho um tio que está com surtos após uso a longo tempo por drogas. Ele tem surto de perseguição, as vezes é muito agressivo verbalmente, fala sobre pessoas até mesmo desconhecidas e qualquer deslize nosso em nossas palavras pode fazê-lo desencadear esse lado perturbado. Mas como convencê-lo a algum tratamento sem que ele concorde e sem que seja a força. Não vejo brecha para fazer algo para ajudá-lo.

  8. Olá sou vigilante patrimonial há 11 anos mas a 05 anos comecei a me senti angustiada no mês de agosto perdi meu pai do coração ao levar minha mãe pro velório passei com ela no p.a pra medir a pressão mais o guarda não permitiu dizendo que teria que esperar atender todos mas não podia pois o corpo já estava chegando daí sai com muita raiva e desde então tive que procurar ajuda psiquiatra tomei vários remédios mas não tenho sono e tenho muito pesadelos e ouço vozes dizendo mata ele mata ele oro pra Deus tirar isso de perto de mim fiquei 2 meses tomando medicação a psicóloga me deu atestado com tempo indeterminado mas a perita do INSS me mandou trabalhar o médico admissional não queria me liberar pra trabalhar mas eu disse que não podia deixar as contas aí me liberou também agora o pior tá acontecendo todos os dias q chego no meu trabalho vejo o q acho ser meu desafeto parei com todos os remédios pois não posso trabalhar armada tomando antidepressivos pois me causa sonolência durante o trabalho e tô ouvindo vozes com mais frequência sei que preciso de ajuda antes de piorar mas me preocupo muito com as contas 😭 tenho muito medo de fazer alguma besteira

    1. Olá Romilda participe dos nossos grupos de apoio online, amanhã teremos Grupo Online de Apoio aos Pacientes às 10h – Grupo Geral de solidão e medo com o Psicólogo Frederico Gomes Cilira https://bit.ly/2WHlB4T

  9. A ex do meu namorado teve um surto e diz que os patrões lhe querem fazer mal e dada esta situação ele está a pensar voltar para casa porque diz que o psiquiatra a vai drogar e ela vai passar os dias a durmir. Gostaria de saber a vossa opinião porque eu fiquei para traz

    1. Olá Manuela pacientes em surtos precisam ser avaliados e retirados do quadro de surto, por isso precisam de avaliação médica e orientação da conduta e medicação para retirá-los do quadro. Esperamos ter ajudado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos