O que é alucinação? O que fazer em uma crise? - Hospital Santa Mônica
Internação Temporária para o Período de Festas e FériasConheça o serviço
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Você sabe identificar uma alucinação? Esse é um problema que, apesar de não ser tão abordado, é mais comum do que pensamos e é um sinal de que a saúde mental não está bem.

Para você ter ideia, o estudo publicado British Psychiatry Journal concluiu que uma a cada 20 pessoas já teve um episódio de alucinação.

Para entender melhor o que é esse problema, como ele manifesta, qual a diferença em relação aos delírios e quando é preciso estar atento para tomar uma medida mais séria, como internar seu familiar, leia este conteúdo até o final e tire suas dúvidas sobre o tema!

O que é alucinação?

Uma alucinação ocorre quando a percepção do indivíduo identifica alguma coisa que não existe como sendo parte da realidade, como se fosse uma impressão subjetiva.

Em linhas gerais, as pessoas que sofrem desse transtorno psicológico apresentam vivências bastante reais, mesmo que o objeto, a pessoa ou fato alucinado não exista de verdade. Com isso, o problema altera a percepção de realidade, fazendo com que exista a sensação de experiência real de estar vivendo algo que não está acontecendo ou sequer existiu.

É interessante destacar que a alucinação é um fenômeno que surge internamente. Assim, a partir das distorções apresentadas pela própria mente, o objeto alucinado normalmente é muito nítido, até mais do que o real. Por essa razão, quem sofre com o problema tem certeza do que está vivenciando naquele momento.

Apesar da verossimilhança com o real, as alucinações não têm compromisso com o lógico, ou seja, fatos totalmente impossíveis ou sem concordância com a realidade não são raros. Assim, é perfeitamente plausível que pessoas com alucinação tenham visões como animais falantes, monstros, vozes ou qualquer coisa que dependa de algum sentido (visão, olfato, paladar, audição e tato) para ocorrer.

Qual a diferença entre alucinação e delírio?

Depois entender melhor como funciona a alucinação, você pode estar se perguntando se existe uma diferença nítida entre esse transtorno e um delírio, certo? Basicamente, a diferença reside no tipo de influência que cada um sofre para que ocorra, pois, enquanto as alucinações são fenômenos internos e criados pela mente, os delírios precisam de algum estímulo externo para surgir.

Com aparecimento repentino, o delírio é uma alteração que pode ser causada por diversos fatores, o que o torna de difícil diagnóstico. É caracterizado como uma perturbação grave na capacidade mental de uma pessoa, resultando na diminuição da consciência e pensamento confuso.

Os delírios não dependem dos sentidos para emergirem, mas, sim, causam uma interpretação errada da realidade a partir da distorção dos estímulos. Eles podem ser de várias naturezas e alguns dos mais comuns são o delírio de perseguição, quando a pessoa se sente perseguida por algo ou alguém.

Já o delírio de grandeza, a pessoa tem certeza de ser alguém que é melhor que todos à sua volta — outro caso comum é em relação a ataques de ciúmes baseados na crença de uma suposta traição.

Quando é preciso ter atenção?

Conheça alguns dos possíveis sinais da manifestação das alucinações.

  • visuais: ver algo que não está diante dos olhos, como um animal, por exemplo;
  • auditivo: ouvir alguém que não existe, como o famoso “canto das sereias”;
  • táteis: sentir algo encostando na pele, como a sensação de ter as pernas puxadas durante o sono;
  • olfativos: sentir cheiros inexistentes, como o cheiro de fezes em algum ambiente;
  • gustativos: sentir o sabor de algo que não entrou em contato com as papilas gustativas, como o gosto de terra, por exemplo.

Já considere a possibilidade de internação?

Dependendo da gravidade, as melhores opções são recorrer à orientação profissional, buscar por tratamentos especializados ou mesmo a internação. O Hospital Santa Mônica é referência nesse tipo de tratamento e proporciona atendimento multidisciplinar,  médico clínico 24 horas, psiquiatras, além de um ambiente tranquilo para o paciente e auxílio individualizado de acordo com as necessidades.

Agora que você já conhece o que é uma alucinação, ao identificar alguns dos sintomas apresentados ao longo deste post, o ideal é contar com o apoio da família e dos amigos e procurar uma orientação médica adequada e instituições que respeitem os pacientes como o Hospital Santa Mônica.

Caso tenha dúvidas, sugestões ou relatos sobre o tema, deixe seu comentário!

6 respostas para “O que é alucinação? O que fazer em uma crise?”

  1. Bom dia.Alucinações podem ser causadas por traumas passados tambem correto?Gostaria de saber se quando a pessoa sofre de crises de ansiedade,depressão,disturbios bipolares entre outras doenças,essa crise de alucinação pode ser mais elevada,por exemplo: Ver algo q nao esta ali,mas isso pode destruir a pessoa psicologicamente,fazendo-a ter vontade de suicidio??

    1. Oi Verônica, primeiramente a pessoa em questão já tem um diagnóstico fechado do quadro? se ela tem alucinações ou esquizofrenia, por exemplo? o ideal seria procurar ajuda de um psiquiatra para fazer o diagnóstico e o tratamento adequado para tirar a pessoa do surto e da ideação suicida. Estamos à disposição. abraço

  2. Eu não sei exatamente se foi uma alucinação mas eu ouvi e vi um rato e comecei a entrar e pânico e chorar eu não conseguia parar de ouvir

  3. Meu irmão a vida toda usou drogas ,hoje com 70 anos continua a usar ficando extremamente agressivo e alucinado grita muito sem parar quase ! QTO tempo de vida ele ainda tem chance de viver ,já que tem uma alimentação péssima? Ele já bateu a cabeça a vida toda e continua em pé! Como o organismo dele está aguentando esses anos todos ? OBRIGADA

    1. Olá Regina, não temos como precisar, só o médico que o assiste poderia dar uma dimensão para vocês da saúde física dele.

      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos