Publicado em Deixe um comentário

9 artistas que tiveram overdose e o que aconteceu com eles

Problemas pessoais, cobranças externas ou agendas repletas de compromissos. São diversas as questões que motivam o consumo de substâncias que possam trazer algum alívio. Muitas fazem tão mal à saúde que marcam gerações e nos fazem lembrar de artistas que tiveram overdose.

Quando a ajuda ocorre a tempo, promovendo a recuperação do dependente químico, os efeitos negativos tendem a ser reduzidos a lembranças. Mas, infelizmente, como aponta o psicólogo do Hospital Santa Mônica, Antonio Chaves Filho, o vício em drogas e medicamentos também pode levar a ocorrências mais graves, que incluem desde o adoecimento até a morte.

Fique conosco e relembre 9 casos de celebridades que enfrentaram dificuldades por conta dos entorpecentes.

1. Eminem

O famoso rapper fez muito sucesso ao longo da carreira, em especial a partir dos anos 2000. Um de seus trabalhos, inclusive, compõe a lista de álbuns solo mais vendidos nos Estados Unidos. Apesar das conquistas e da visibilidade, o artista passou por várias questões complicadas.

Uma delas ocorreu em 2007, quando Eminem consumiu grande quantidade de comprimidos para dormir. A prática colaborou para a piora do quadro depressivo que já vinha se instalando em sua rotina. Felizmente, ele investiu em reabilitação e adotou um estilo de vida saudável que ajudou a reverter os prejuízos.

2. Demi Lovato

É uma das representantes mais jovens na nossa lista artistas que tiveram overdose. Isso porque começou a trabalhar em 2002, quando tinha apenas 9 anos. Sua carreira teve início na televisão, em uma série infantil, e continuou crescendo até o lançamento de seu primeiro álbum musical.

Por conta de traumas que marcaram sua infância e adolescência, no entanto, Demi Lovato precisou enfrentar diferentes transtornos, como depressão e bipolaridade. Sua condição mental estava tão afetada em 2018 que ela acabou abusando de heroína. O socorro chegou a tempo e motivou a busca por tratamento especializado.

3. Pink

A cantora e compositora é destaque no gênero pop. Aos 13 anos, já participava dos espetáculos realizados em sua cidade. Foi o interesse pela dança e diversas canções que a introduziram ao mundo da música, em que passou de participações em pequenos shows ao ganho de atenção exclusiva nos palcos.

Pink teve, como muitos artistas, uma juventude rebelde e regada ao uso de entorpecentes. Seu caso é diferente dos demais pelo fato de envolver uma experiência bem próxima da overdose quando tinha apenas 15 anos. O susto com a mistura de ácido, metanfetamina e ecstasy foi suficiente para que ela nunca mais quisesse consumir drogas.

4. Zac Efron

Apesar de ter construído carreira como locutor, cantor e produtor executivo, seu auge veio com os trabalhos em filmes e produções voltadas ao público infantil. Recentemente, foi convidado para apresentar uma série documental da Netflix, em que exibe soluções sustentáveis por vários países.

Foi um episódio tenso, vivido em 2013, que fez o ator representar o time de artistas que tiveram overdose. Na época, Zac Efron abusou de oxicodona, um remédio controlado que só pode ser vendido sob prescrição médica. As consequências estimularam a busca por terapia e ajuda no Alcoólicos Anônimos.

5. Cory Monteith

O ator consagrado por interpretar um dos protagonistas da série Glee faz parte dos artistas que não tiveram tempo para reverter a situação causada pela overdose. Ele ficou bastante conhecido pelo papel na série musical, considerada uma das mais bem-sucedidas entre os programas dos Estados Unidos.

Em 2013, Cory Monteith foi vítima fatal de uma mistura de álcool e heroína, quando tinha apenas 31 anos. Sua morte ocorreu em Vancouver, Canadá, em um quarto de hotel. Ele já tinha sido internado em uma clínica para lidar com a dependência química.

6. Amy Winehouse

É difícil não lembrar dela ao discutir sobre artistas que tiveram overdose. A cantora, compositora e multi-instrumentista se destaca até hoje por conta de seu incrível contralto vocal. Uma de suas grandes habilidades era misturar gêneros musicais, como soul e jazz, com muita maestria.

Amy Winehouse utilizou drogas pesadas ao longo de toda a carreira. A primeira overdose aconteceu após uma experiência de aumento do consumo da maconha, seguida do uso da droga crystal meth. Outra fatalidade, no entanto, marcaria os fãs para sempre: em 2011, Amy perdeu a vida por conta de uma intoxicação por álcool.

7. Michael Jackson

O cantor, compositor e talentoso dançarino deixou o mundo de luto em 2009. Suas canções e apresentações de palco ainda inspiram muitas pessoas a se expressarem por meio da música. Apesar de transmitir uma imagem alegre ao público, ele teve vários obstáculos causados pelo uso de drogas.

Sua rotina fora dos eventos não era tão equilibrada, já que se alimentava mal e buscava conforto em diversas substâncias prejudiciais. Michael entrou para a lista de artistas que tiveram overdose e acabou falecendo. A autópsia confirma a presença de grande quantidade de um anestésico cirúrgico chamado propofol.

8. Elis Regina

Ser considerada a melhor cantora brasileira de todos os tempos foi apenas uma de suas conquistas. Não há quem esqueça da bela voz da moça que morreu em 1982, aos 36 anos. Apesar de todo o reconhecimento, nada impedia Elis de lidar com os fantasmas da chamada crise existencial.

Parte de suas angústias podem ser facilmente identificadas nas letras das canções. Sua curta vida teve fim por causa de uma parada cardíaca, resultante de uma intoxicação por álcool, cocaína e tranquilizantes. Ela deixou um poderoso legado musical e três filhos.

9. Jimi Hendrix

O brilhante cantor e compositor nunca decepcionou com suas criações, tanto que conquistou forte influência em vários gêneros musicais. Inclusive, para quem tem curiosidade, pode pesquisar e ver que seu nome aparece em praticamente todas as listas dos melhores guitarristas da história.

A carreira foi breve por conta da morte precoce. Jimi faleceu aos 27 anos, em 1970, quando estava a caminho do hospital. O motivo para a procura dos médicos foi a ingestão excessiva de barbitúricos, que provocou vômito e afogamento inconsciente. 

Casos como esses, muitos deles com consequências irreversíveis, levantam muitas discussões sobre o abuso de substâncias que afetam o corpo e a mente humana. Em respeito aos artistas que tiveram overdose, podemos conscientizar cada vez mais pessoas a não seguirem o mesmo caminho.

Você já acompanha o nosso trabalho pelas redes sociais? Curta e siga a nossa página no Facebook!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais