Publicado em Deixe um comentário

Pó de anjo e risco de morte: entenda a relação

O pó de anjo (fenciclidina) é uma droga que foi desenvolvida na década de 1950 como um anestésico cirúrgico, mas rapidamente foi proibida, devido a efeitos colaterais como alucinações, agitação e mania. Esse entorpecente é considerado perigoso e traz grande risco de morte acidental. 

Além de ser alucinógeno, o pó de anjo está associado a comportamentos agressivos e bizarros, bem como vivências angustiantes. A droga tem sido usada em substituição à cocaína, por ser mais barata. 

Neste post, a Dra. Luciana Mancini Bari, coordenadora de práticas médicas e o psicólogo Antonio Chaves Filho, ambos do Hospital Santa Mônica, explicam melhor como a fenciclidina afeta o corpo e a mente, e mostramos as possibilidades de tratamento para o vício nessa substância. Acompanhe!

O que é pó de anjo?

O pó de anjo é um tipo de anestésico para cavalos que custa bem menos que outras drogas. Ele tem um efeito bem semelhante ao do entorpecente conhecido como “Boa noite, Cinderela”. 

A substância, na verdade, chama-se fenciclidina e é conhecida por induzir a alucinações, além de produzir um sentimento de dissociação, ou seja, desconexão do ambiente. Além desses sintomas, ocorre a despersonalização, quando o usuário sente que não é uma pessoa real. 

A fenciclidina é classificada como alucinógeno, mas também compartilha características com outras drogas dissociativas. 

Os efeitos colaterais variam muito de sujeito para sujeito. Ela foi desenvolvida na década de 1950, como uma medicação intravenosa de efeito anestésico chamada Sernyl, mas seu uso foi descontinuado após a manifestação de sintomas psicóticos em pacientes. 

O pó de anjo permaneceu sendo usado somente no segmento veterinário, como um tranquilizante animal.

Quais são os perigos da fenciclidina (pó de anjo) para o corpo humano?

Entre os efeitos colaterais do pó de anjo e os perigos para o corpo e para a mente, podemos citar o aumento da frequência cardíaca, comportamento hipersexual, elevação da pressão arterial e episódios de convulsões. Em casos de indivíduos com predisposição à psicose, o consumo de pó de anjo e a adicção em drogas podem ser fatores de desencadeamento desse quadro.

O uso de fenciclidina pode ocasionar, ainda, em dissociação psicofísica, distorção das mensagens sensoriais, sensação de flutuar no espaço, desinibição, alucinações, desaparecimento de dores, agitação, euforia, sensação de força, poder e invulnerabilidade, podendo levar ao coma e à morte.

Conforme mencionamos, tudo depende da dosagem consumida e da frequência da adesão à substância. Como é uma droga ilegal, não é possível prever a pureza e a força da fenciclidina.

Em dosagem média ou baixa, o pé de anjo provoca sinais como:

  • dormência;
  • náusea;
  • confusão;
  • percepções sensoriais alteradas;
  • alucinações;
  • desapego;
  • alterações na pressão arterial e na frequência cardíaca.

Em dosagem alta, a droga leva a: 

  • perda de memória;
  • alucinações;
  • estresse psicológico;
  • pressão arterial e temperatura corporal perigosamente altas.

O uso de pó de anjo também pode levar a ocorrência do flashback. Esse fenômeno consiste em uma vivência subjetiva, normalmente assustadora — dias após uma experiência com a droga, os sintomas psíquicos podem reaparecer, brevemente, sem que o usuário tenha tomado a fenciclidina. Esses sintomas são completamente inesperados, surgindo, muitas vezes, em momentos impróprios. A pessoa não sabe o porquê e pode pensar que está ficando louca.

Os sintomas de abstinência incluem:

  • ânsia;
  • confusão;
  • depressão;
  • tremores;
  • diarreia;
  • sudorese;
  • dor de cabeça;
  • arrepios.

A retirada da droga não significa uma ameaça à vida, mas é imprescindível que o indivíduo esteja sendo acompanhada por uma equipe capacitada. 

No caso de consumo crônico e prolongado de pó de anjo, os sintomas da abstinência incluem:

  • flashbacks;
  • alucinações;
  • perda de peso;
  • dificuldade na fala e no pensamento;
  • transtornos de humor.

Quais são os maiores riscos da fenciclidina? 

Se uma pessoa consumir a fenciclidina — que tem um efeito sedativo — junto a outros depressores do sistema nervoso — como álcool ou benzodiazepínicos —, ela pode entrar em coma.

Com as inconsistências da formulação, o risco de overdose também existe. Os principais sinais desse quadro são:

  • comportamento violento e agitado em excesso;
  • pressão alta;
  • convulsões;
  • estado alterado de consciência;
  • falta de coordenação. 

É possível ocorrer, também, o transe catatônico — o sujeito fica inerte, sem falar, se mover ou reagir —, o desencadeamento da psicose e o coma. Superdoses podem levar a danos aos músculos esqueléticos e à morte. 

A dependência da fenciclidina pode ser fatal. Mesmo não sendo a mais forte das drogas viciantes, ela provoca o aumento do consumo gradualmente, já que o corpo desenvolve tolerância à substância e passa a precisar de maiores quantidades para ter o efeito desejado.

Como é feito o tratamento para dependentes de pó de anjo?

A dependência química é um cenário complexo, que demanda tratamento por uma equipe multidisciplinar. A pessoa com esse quadro necessita de apoio psicológico e ajuda médica, para a avaliação da concomitância com comorbidades do tipo depressão, ansiedade, episódios maníacos e esquizofrenia.

A família também necessita de acompanhamento profissional, para saber como criar estratégias nesse quadro delicado, além de receber apoio nas dificuldades que enfrenta com um de seus membros com dependência química. Destacamos, de todo modo, que a adicção em drogas demanda cuidado e compreensão, tanto dos familiares quanto do paciente.

É essencial destacar que uma pessoa não se torna usuária de drogas sem motivo. Existe um sofrimento a ser tratado: uma vulnerabilidade da adolescência ou da vida adulta, resquícios de tentativas de pertencer ao grupo, dilemas com familiares, presença de comorbidades ou outros motivos. 

O paciente necessita de uma escuta, e a abordagem do tratamento deve contemplar tanto os efeitos da droga no corpo quanto as variáveis psíquicas que desencadeiam o consumo do entorpecente e os comportamentos de risco.

O Hospital Santa Mônica é uma instituição com mais de 47 anos de atividades de prestação de serviço na área da saúde. Oferecemos cuidados específicos para pessoas com dependência química e com acometimentos em saúde mental. 

Contamos, também, com unidades de internação, em uma infraestrutura ampla, localizada em uma área de 83 mil metros quadrados — sendo 50 mil de mata preservada. Na nossa abordagem, priorizamos o tratamento por equipes multidisciplinares, o atendimento humanizado, o respeito e o carinho com o paciente e seus familiares.

O pó de anjo, também conhecido como fenciclidina, é uma substância danosa, que oferece vários riscos à saúde — sendo, potencialmente, fatal. A dependência química é uma doença tratável, que demanda um acompanhamento médico e psicológico. Com o acolhimento do paciente e da família, e um tratamento cuidadoso e intensivo, é possível proporcionar reconstruções e o caminho para uma vida mais saudável, íntegra e feliz.

Você precisa de ajuda ou conhece alguém que necessita de tratamento? Entre em contato com o Hospital Santa Mônica e conte com o nosso apoio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais