6 dicas para escolher a clínica de reabilitação mais adequada - Hospital Santa Mônica

Escolher a instituição de reabilitação mais adequada para o tratamento de um dependente químico é uma medida que precisa ser tomada com cuidado. Isso porque o bem-estar do paciente precisa sempre ser colocado em primeiro lugar.

Optar pela reabilitação já não é uma decisão fácil de ser tomada, mas o tratamento é eficaz, já que afasta a pessoa de sua rotina de maneira a evitar os gatilhos que a levam a consumir drogas no dia a dia.

Lançar mão dessa alternativa é algo que geralmente acontece em um estágio mais avançado da dependência de substâncias químicas e, para que seja um processo com resultados efetivos, é necessário que o próprio paciente tenha consciência de sua situação.

Não é rara a constatação de que somente afastar um dependente químico de seu círculo social habitual será eficaz para combater o vício. O apoio de amigos e familiares também é crucial nesses casos para evitar que ele abandone o tratamento ou tenha uma recaída.

Aliás, são muitos os casos de pessoas que deixam de se tratar ainda no início da reabilitação. A privação do consumo da droga e dos hábitos de rotina, se não forem questões bem trabalhadas, podem agravar ainda mais a situação de uma pessoa que abusa desses compostos.

Para amigos e familiares, é fundamental saber como funciona a internação para dependentes químicos antes de tomar uma decisão sobre essa forma de lidar com o vício de uma pessoa.

É necessário prestar atenção em alguns detalhes essenciais para eleger o estabelecimento mais confortável para o paciente e, assim, permitir uma recuperação definitiva.

Vamos mencionar os principais pontos para fazer essa escolha aqui neste post.

1. Analise a infraestrutura

Sempre que possível, a pessoa que responde por um dependente químico precisa avaliar as condições do local em que a internação do paciente será realizada. Se possível, faça uma visita antes de fechar a internação.

Esses locais precisam ter a infraestrutura adequada para todos os cuidados médicos de rotina necessários.

A instituição, seja um hospital ou clínica, escolhida para o tratamento também precisa estar preparada para intervenções de emergências, no caso crises ou complicações durante o tratamento, como médico 24 horas, carrinho de parada, farmácia para dispensação de medicação, protocolos clínicos.

2. Saiba qual a especialidade do estabelecimento

Procure checar o histórico do local escolhido para o tratamento de reabilitação do dependente.

Procure saber quais são os casos mais frequentes atendidos e, se possível, busque informações sobre o estado atual de pacientes que já se trataram na instituição.

Opte por um estabelecimento com boas referências e que tenha sido recomendado por pessoas com autoridade no assunto ou que já tenham passado por situação semelhante.

3. Pesquise a duração do tratamento e rotina do paciente

Preste atenção ao plano estabelecido para o tratamento do dependente químico. Busque saber informações sobre como será a sua rotina durante o período de reabilitação e qual é a previsão para o fim de cada etapa do tratamento.

O sucesso desse processo depende também da reação do paciente. Procure acompanhá-lo de perto e faça a sua própria avaliação sobre os seus progressos.

Avalie também a satisfação com o andamento do tratamento e os serviços oferecidos pelo local durante o procedimento.

Tenha em mente que a recuperação eficaz do paciente pode até demorar a ocorrer. Porém, é necessário que ele esteja confortável desde o primeiro momento. Só assim, ele terá condições de evoluir em seu tratamento.

4. Veja quem fará o acompanhamento do paciente

Hospitais e clínicas especializadas em reabilitação possuem equipes multidisciplinares para cuidar de dependentes químicos. Essas equipes são formadas por médicos, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais.

Procure informações sobre quantos e quais profissionais prestarão assistência ao paciente e em quais momentos eles estarão presentes. O ideal é que jamais um paciente em reabilitação se encontre longe do cuidado de um desses profissionais. E se a instituição conta com uma grade terapêutica estabelecida.

5. Pergunte sobre os tipos de medicamentos e técnicas que serão utilizados

A reabilitação de um dependente químico exige um processo de desintoxicação. Nesses casos, não é recomendada a interrupção brusca do consumo de drogas devido a possíveis efeitos colaterais ou crises de abstinência.

Pelo contrário, o ideal é que o paciente consuma essas substâncias em doses cada vez menores até a total desintoxicação do organismo.

Profissionais experientes podem administrar esse processo e, caso necessário, ministrar outros medicamentos caso o paciente tenha desenvolvido outros males em função do abuso das drogas.

Isso reforça a necessidade de que profissionais especializados lidem com o dependente químico submetido a esse tipo de tratamento.

6. Verifique como será o tratamento pós-internação

Busque saber se o local oferece apoio para o dependente químico que sai da reabilitação.

Não é raro que pessoas que passam por processos de desintoxicação apresentem sintomas de doenças ou distúrbios psicológicos, que antes estavam mascarados pelo consumo das drogas.

Por isso, dê preferência a estabelecimentos que tenham planos para depois do processo de reabilitação, como consultas periódicas com especialistas e acompanhamento psicológico.

Grupos de autoajuda também podem ser relevantes para a recuperação de uma pessoa em reabilitação, pois dividir a experiência com outros pacientes é uma forma de amparo mútuo.

Cuidados que a família de um dependente químico deve tomar

Uma pessoa que abusa das drogas geralmente busca esconder o vício nessas substâncias por medo de ser reprimida ou julgada.

É importante que o paciente se sinta seguro e à vontade para pedir ajuda e criar esse ambiente depende muito da compreensão e do diálogo aberto. Se você precisa lidar com essa situação ou conhece alguém com esse tipo de problema, ofereça-se para acolher o dependente químico e ajudar em seu tratamento.

O apoio psicológico durante a reabilitação é fundamental, pois abandonar o vício exige primeiro a desintoxicação do organismo, e depois o retorno ao convívio social de maneira que não haja recaídas.

Ser uma pessoa de confiança ajuda o paciente a se sentir mais confortável para dividir suas angústia e seguir em frente na luta por sua recuperação definitiva, um processo que, não raro, pode levar anos para acontecer.

Optar pelo tratamento em uma clínica de reabilitação é geralmente a última alternativa para quem deseja ver um ente querido livre das drogas. No entanto, conhecer todos os detalhes mencionados acima dá mais tranquilidade nesse processo.

Se você quiser saber mais detalhes sobre esses procedimentos, entre em contato com nossos especialistas ou deixe aqui o seu comentário.

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h