Publicado em Deixe um comentário

Terapia familiar: como ela auxilia no tratamento psiquiátrico?

Como a terapia auxilia no tratamento psiquiátrico

O tratamento psiquiátrico pode ser bastante desafiador e tende a impactar a vida não somente do paciente, mas de todos aqueles que fazem parte de seu convívio, como a família. Pensando nisso, a terapia familiar é altamente recomendada para manter a harmonia e restituir as relações de confiança durante a reabilitação.

Independentemente da causa, seja por depressão, ansiedade, transtorno de humor, transtorno bipolar, esquizofrenia, síndrome do pânico, transtornos alimentares ou dependência química, é fato que as mudanças de comportamento de quem sofre com um desses problemas afetam aqueles que ama.

Para saber como esse impacto pode ser trabalhado e entender de que modo ocorre a terapia em família, continue a leitura de nosso artigo abaixo!

Como funciona a terapia familiar

A terapia familiar ajuda a promover o autoconhecimento, respeito e compreensão entre todos os membros de um núcleo. Surgida em meados da década de 1960, há diferentes abordagens de psicologia dedicadas a tratá-la.

Entre elas:

  • sistêmica;
  • estratégica;
  • estrutural;
  • boweniana.

Com o advento da reforma psiquiátrica, a reintegração do indivíduo e o bom convívio em seu espaço familiar têm se tornado cada vez mais importantes.

A terapia, assim, ajuda a solucionar desentendimentos que possam ter contribuído com os problemas psiquiátricos dos pacientes e estimula os familiares a falarem sobre si e desabafarem a respeito do sofrimento com que têm lidado.

Nela, há espaço aberto para dialogar sobre angústias, cansaço, expectativas e receios relacionados ao tratamento, além de queixas ligadas à agressividade e a quaisquer outras mudanças de comportamento decorrentes do distúrbio.

A ideia principal é que seja um momento acolhedor, livre de julgamentos.

Quem pode fazer

A terapia familiar é recomendada a todos os integrantes da família que convivam com um paciente que esteja em tratamento psiquiátrico, independentemente da doença apresentada.

Na maioria dos casos, envolve mães, pais, cônjuges, irmãos e filhos, mas também pode ser recorrida por outros graus de parentesco que estejam envolvidos.

Benefícios da terapia familiar

Cada vez mais aderido, esse tratamento ajuda a identificar e a solucionar desordens em um núcleo familiar. Além disso, auxilia a:

  • elevar a autoestima dos pacientes;
  • reduzir conflitos;
  • combater raivas e mágoas entre parentes;
  • promover diálogo e autoconhecimento;
  • evitar a culpabilização da família pelo adoecimento;
  • diminuir a sobrecarga dada aos familiares, especialmente a mães e pais;
  • reduzir o sentimento de solidão, tanto do paciente quanto daqueles que ama;
  • esclarecer dúvidas sobre o tratamento e auxiliar todos a aceitá-lo e a colaborar com ele.

Após conhecer mais sobre a terapia familiar, dá para entender por que esse núcleo integra uma estratégia de intervenção extremamente relevante, certo? Ao fim, vale destacar que a família não somente tem o papel de oferecer, mas também precisa de cuidado quando um de seus membros sofre de um transtorno psiquiátrico para que todos sejam capazes de, juntos, enfrentar uma fase difícil.

Está à procura de uma instituição que ofereça esse tratamento? Então, entre já em contato com a equipe do Hospital Santa Mônica, referência em atendimento psiquiátrico e recuperação da saúde mental e física.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais