Conheça 7 tipos diferentes de depressão - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), destaca que a depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo. Na América Latina, o Brasil é o país com maior números de casos. Essa realidade sugere a necessidade de urgentes intervenções para neutralizar os impactos de todos tipos de depressão.

Essa mesma pesquisa afirma que temos 5,8% da população brasileira sofrendo com diversos transtornos depressivos. Nessa conjectura, governo e sociedade precisam repensar medidas para minimizar os reflexos dos problemas decorrentes da depressão.

Para ajudá-lo na compreensão desse problema, selecionamos 7 tipos de depressão e listamos as causas, características e sintomas de cada uma delas. Confira!

1. Depressão casual

Um episódio depressivo casual é caracterizado por um período de tempo em que o indivíduo apresenta uma sensível alteração em seu comportamento. Geralmente, os pacientes relatam uma mudança repentina no estado de humor, e que pode durar algumas horas, dias ou semanas.

Esse caso específico de depressão surge sem causa aparente, já que o próprio paciente não consegue identificar exatamente quando os sintomas começaram. Porém, se não for adequadamente tratada, a depressão causal pode se prolongar por mais tempo e evoluir para transtornos depressivos mais graves.

Esse é um dos tipos de depressão que está cada vez mais comum e afeta pessoas de diferentes gêneros, idade ou classe socioeconômica. Os sintomas mais evidentes são:

  • relatos de insatisfação com a vida;
  • alteração repentina no comportamento;
  • sentimento de tristeza por causa indefinida;
  • indisposição para realização das tarefas diárias.

2. Depressão sazonal

Algumas pessoas têm maior sensibilidade e costumam sofrer alterações no humor ou mudanças no estado emocional por influência das estações do ano. Um exemplo clássico — e de difícil diagnóstico por apresentar um viés ainda indefinido — é a conhecida depressão sazonal relacionada ao inverno.

Ainda que esses casos sejam mais raros em regiões tropicais, nos locais onde o inverno é muito longo, esses quadros depressivos são bastantes comuns. A falta de exposição à luz solar desequilibra o metabolismo enzimático e hormonal, o que resulta em desequilíbrios das substâncias responsáveis pelo humor.

No entanto, há outros tipos de depressão sazonal relacionados a determinadas épocas do ano. A chegada do final do ano induz, naturalmente, à reflexão e pode exercer uma pressão psicológica muito forte em quem não conseguiu cumprir as metas propostas para o ano que se passou.

Por isso, nesse período, as depressões sazonais ocorrem bastante e podem comprometer a qualidade de vida e o bem-estar. Essas complicações da saúde mental ocorrem devido à dificuldade em controlar a ansiedade e o estresse gerado por autocobrança excessiva.

Confira os sinais e sintomas que permitem identificar a depressão sazonal:

  • fuga de assuntos relacionados a metas;
  • impaciência e nervosismo;
  • agitação constante;
  • ansiedade.

3. Distimia

A distimia é definida como um transtorno depressivo mais leve, porém com sintomas persistentes. Nesse tipo de depressão, o indivíduo até consegue cumprir suas atividades de rotina, mas apresenta-se triste, retraído e com sentimentos de muita negatividade em relação às perspectivas futuras.

Esse quadro merece especial atenção, já que as características da distimia podem ser confundidas com um mau-humor casual ou associada ao temperamento da pessoa.

Por isso, é preciso ficar alerta aos sinais e sintomas mais importantes. Confira quais são:

  • irritabilidade;
  • muito pessimismo;
  • negatividade excessiva;
  • mau-humor depressivo e persistente.

4. Depressão atípica

A depressão atípica é caraterizada por episódios de crises melancólicas, nas quais o indivíduo demonstra muita instabilidade emocional e falta de esperança em relação à vida. Geralmente, há a negação quanto à necessidade de ajuda.

Esse comportamento vem acompanhado de muita tristeza e de pensamentos de morte. O senso de inutilidade e o desinteresse pelas atividades que antes eram prazerosas também são notórios.

Logo, se você conhece alguém próximo que apresenta esses sintomas fique atento. Além desses, o indivíduo também poderá apresentar:

  • sono excessivo;
  • humor apático e instável;
  • queixas de cansaço excessivo;
  • falta de energia para a realização das atividades de rotina;

5. Depressão pós-parto

A depressão pós-parto é um dos tipos de depressão que tem causa definida. Ela ocorre devido às alterações hormonais durante a gestação, e que persistem até o pós-parto.

O processo de gestação envolve aspectos biopsicológicos e que afeta consideravelmente o estado emocional da mulher. Isso a torna mais vulnerável aos desequilíbrios psicológicos, principalmente nos primeiros dias de vida do bebê.

As exigências para suprir às necessidades do bebê, sobretudo quando é o primeiro filho, gera insegurança e medo até que a mulher consiga se adaptar às mudanças na sua vida.

Observe, então, os sinais mais comuns da depressão pós-parto. Se  esses sintomas persistirem por mais de 10 dias, a conduta mais adequada é procurar um psiquiatra e iniciar imediatamente o tratamento.

As características que sinalizam esse quadro são:

  • culpa excessiva;
  • choro constante;
  • baixa autoestima;
  • tristeza e melancolia;
  • aparência desleixada;
  • pouco interesse pelo filho;
  • insônia e cansaço extremo;
  • reclamação na hora de amamentar o bebê;
  • sensação de incapacidade para cuidar do bebê;
  • medo de receber visitas, mesmo de pessoas próximas.

6. Depressão reativa

É causada por respostas a eventos ocasionais como assédio moral, morte de ente queridos, perda financeira muito significativa, separação conjugal ou uma situação que provoca estresse excessivo e negatividade.

Assim, a depressão reativa surge como somatório de diferentes razões. O grau de dificuldade para lidar com essa depressão também é variável, já que a forma individual de enfrentamento dos problemas influencia bastante o comportamento.

A depressão reativa é caracterizada por:

  • insônia;
  • irritabilidade;
  • falta de apetite;
  • ideação suicida;
  • estresse excessivo;
  • expressão muito abatida.

7. Depressão maior

A depressão maior é marcada por quadros depressivos recorrentes quando os sintomas típicos da depressão perduram por seis meses ou mais.

Percebe-se também uma intensificação do quadro mediante súbita alteração comportamental. Essa condição evidencia claramente a evolução para um transtorno patológico mais grave e muito preocupante devido à relação com o suicídio.

O transtorno depressivo maior resulta de diferentes fatores causais. Entre os mais relevantes destacam-se a herança genética, as condições ambientais, as relações familiares e outras questões de ordem pessoal ou profissional.

Nessa doença, os sinais e sintomas mais claros são:

  • choro;
  • angústia;
  • desatenção;
  • impulsividade;
  • ideação suicida;
  • apatia constante;
  • distúrbios do sono;
  • desânimo e lentidão;
  • falta de concentração;
  • desinteresse pelo futuro.

Quando a internação hospitalar é necessária?

A evolução das crises depressivas pode exigir intervenções urgentes. Quando o indivíduo se torna uma ameaça para si e para os outros, o tratamento em um hospital é aconselhável. Nesse casos, a internação hospitalar possibilita um acompanhamento integral e personalizado.

Vale destacar que os quadros de depressão, ainda que sejam intensos, podem ser revertidos mediante um tratamento psiquiátrico adequado — em um hospital especializado — por meio do suporte de uma equipe multidisciplinar.

Contar com o apoio de psiquiatras, psicólogos, enfermeiros e terapeutas ocupacionais é um diferencial que possibilita a superação de todos os tipos de depressão. Assegura, certamente, maior rapidez na recuperação da saúde mental e do bem-estar de quem enfrenta esse problema.

Gostou de saber que existem bons tratamentos para a depressão? Então, não perca tempo: entre em contato com o Hospital Santa Mônica e conheça nossos serviços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos