Síndrome do pânico em crianças: descubra o que fazer diante de um ataque de pânico! - Hospital Santa Mônica
Internação Temporária para o Período de Festas e FériasConheça o serviço
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

A síndrome do pânico em crianças é um tipo de transtorno de ansiedade que apresenta tanto sintomas psíquicos quanto físicos. No entanto, apesar de preocupante, o problema possui algumas possibilidades de tratamento.

Esse transtorno pode ter origem genética e costuma ser mais comuns entre os adultos, mas também afeta crianças em um número significativo.

A síndrome do pânico em crianças, assim como nos adultos, apresenta alguns sintomas psíquicos como ansiedade exagerada, agitação, sensação de perigo iminente e falta de conexão com o mundo real. Também são comuns sintomas físicos como taquicardia, transpiração em excesso, calafrios, dores espalhadas pelo corpo, tontura e até falta de ar.

Ver o filho tendo uma crise de ansiedade não é nada fácil. Por essa razão, neste texto preparamos uma lista de atitudes em relação à criança e tratamentos realizados por especialistas que podem ser adotados para controlar o problema e minimizar os efeitos. Confira!

Acalme o seu filho

Não são raras as vezes em que uma crise de pânico em crianças é confundida com birra ou mimo. O medo excessivo perante uma simples situação ou o desespero durante alguma situação são ações que não devem ser julgadas nem repreendidas pelos pais.

Durante uma crise, o mais indicado é oferecer conforto à criança, transmitindo a sensação de proteção e compreensão. Afinal, tudo que ela está passando não é fruto de suas próprias escolhas. Em hipótese alguma culpe-a pelo problema e nem imponha que ela apresente maturidade antes do tempo certo.

Uma dica é levar seu filho para um local que propicie a ele tranquilidade, sem muitos estímulos sensoriais, e incentive-o que inspire e expire por 10 segundos, pensando em coisas agradáveis, que lhe tragam paz e tranquilidade.

Busque por opções de tratamento

Os transtornos dessa natureza não chegam a ser incapacitantes, ou seja, a criança é capaz de realizar as suas atividades do dia a dia. No entanto, quando falamos em ansiedade, é preciso ter atenção, pois é algo que pode ser controlado por meio de terapias, psicoterapias e medicação — caso contrário, em algum momento pode impor limitações para fazer coisas que, em sua mente, oferecem algum perigo.

Muitas vezes, o melhor caminho é buscar opções de tratamento que podem ter um retorno positivo, como o acompanhamento multidisciplinar. Nesses casos, o tratamento estimula a criança a passar pelas situações em que ela possa aprender a controlar a ansiedade e, assim, identificar se houve alguma situação de estresse ou trauma.

Existem vários tipos de terapia, como a Intervenção Assistida por Cães e, em alguns casos, contar com o uso controlado de antidepressivos ou ansiolíticos para ter melhores resultados, caso seja necessário e sempre com a devida indicação de um psiquiatra.

Incentive a prática de atividades físicas

Uma boa alternativa para minimizar as crises é o incentivo à prática de atividades físicas. Os exercícios, quando feitos de maneira regular e orientada, além de proporcionarem o bem-estar físico, também atuam na redução da ansiedade, do estresse e melhora do humor. Procure por atividades que agradem ao seu filho, como dança, natação, ioga, tênis, futebol etc.

Procure instituições que são referência no tratamento infantil

Por fim, caso você identifique algum sinal de síndrome do pânico em seu filho, não hesite em contar com o suporte de clínicas ou hospitais que ofereçam o tratamento especializado para crianças e adolescentes — na maioria dos casos, a internação é a melhor alternativa. O Hospital Santa Mônica, por exemplo, conta com uma ampla estrutura destinada ao cuidado mental em todas as faixas etárias e disponibiliza os mais variados tratamentos para esse tipo de transtorno.

Além disso, é referência em saúde mental infantojuvenil, com médicos psiquiatras especializados e médicos clínicos 24 horas. Ele também proporciona um atendimento multidisciplinar com diversos profissionais, ambiente tranquilo e propício para o tratamento e auxílio individualizado, tanto para a criança quanto para os pais poderem lidar com a questão, de acordo com as suas necessidades.

Em geral, a síndrome do pânico em crianças, quando submetida ao tratamento correto, possui uma boa resposta. Quando realizado desde o início, os ataques chegam a ser interrompidos e a criança pode levar uma vida tranquila.

Já conhecia essas informações sobre a síndrome do pânico? Para ficar sempre por dentro de novidades sobre o tema e assuntos afins, assine a nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos