Publicado em Deixe um comentário

Quais são os diferenciais do tratamento psiquiátrico infantil?

Tratamento psiquiátrico infantil

O tratamento psiquiátrico de crianças é desafiador e complexo. Durante essa fase de transformações tão intensas, pode ser difícil para os pais identificar transtornos mentais ou a necessidade de acompanhamento psiquiátrico.

As crianças geralmente apresentam uma resistência natural às abordagens terapêuticas. E, por esse motivo, é fundamental que a interação com a equipe de saúde transmita acolhimento, compreensão e cuidado para toda a família.

Neste artigo, você compreenderá os diferenciais do tratamento psiquiátrico infantil e porque é tão importante priorizar esse tipo de terapia. Confira:

A relevância dos brinquedos

Atividades lúdicas e brincadeiras são importantes para o desenvolvimento intelectual em qualquer fase da infância. Para crianças que necessitam de acompanhamento psiquiátrico, os brinquedos têm o potencial de estimular as habilidades e minimizar episódios de agitação.

A utilização de brinquedos diminui a ansiedade dos pequenos e tem a capacidade de criar um ambiente mais acolhedor e descontraído em locais como hospitais e clínicas psiquiátricas.

Além disso, durante o atendimento é interessante que o profissional consiga interagir de maneira mais próxima com a criança por meio dos brinquedos, criando uma relação de confiança. Esses objetos, portanto, podem ser complementares ao tratamento e, assim, potencializar a terapia clínica.

A Intervenção Assistida por Cães

Crianças conseguem estabelecer uma conexão singular com animais e isso pode beneficiar consideravelmente o tratamento psiquiátrico infantil.

Essa intervenção é conhecida como Intervenção Assistida por Cães e apresenta resultados bastante satisfatórios, como a redução da duração do tratamento medicamentoso e de internações.

Naturalmente, os animais que mais convivem com essas crianças são os cães, e é importante que eles sejam tranquilos e tenham uma personalidade mais dócil. Comportamentos agressivos, agitados e atitudes de isolamento das crianças são diminuídos com essa terapia.

Existem trabalhos feitos com cavalos com efeitos importantes também no tratamento, em especial com crianças com autismo.

A prática de esportes

Alguns quadros de transtornos psiquiátricos podem gerar autoestima baixa e frustração, diminuindo, assim, a habilidade de execução de certas tarefas ou o desenvolvimento de inaptidões físicas.

Nesse contexto, praticar esportes regularmente contribui para o desenvolvimento da saúde mental em crianças. O esporte tem papel essencial na melhoria desses aspectos, uma vez que estimula tanto as capacidades corporais quanto psicológicas e sociais.

A implementação de atividades físicas permite que as crianças interajam entre si, melhorando as relações interpessoais e a comunicação. Além disso, possíveis quadros de depressão e agitação acontecem com menor frequência.

Outro aspecto interessante é o aperfeiçoamento da respiração que ocorre naturalmente durante a prática de esportes. Esse hábito ajuda a diminuir a ansiedade e controlar emoções durante o tratamento psiquiátrico infantil.

O acompanhamento multidisciplinar

Toda a complexidade do universo infantil requer cuidados profundos e capazes de tratar as crianças em todas as suas necessidades. A infância é a fase na qual a personalidade e autoestima são construídas, sendo fundamental um acompanhamento multidisciplinar.

Clínicas e hospitais com equipes multidisciplinares conseguem atender a todas as demandas dessas crianças, pois contam com profissionais de diferentes áreas de saúde.

Assim, todos os membros da equipe, como psiquiatras, psicólogos, neuropsicólogos, terapeutas, enfermeiros, nutricionistas e fisioterapeutas se relacionam e discutem o melhor tratamento, tornando-o muito mais efetivo.

O uso de tecnologias

A rotina de crianças submetidas ao tratamento psiquiátrico, na maioria das vezes, é atribulada e recursos tecnológicos podem auxiliar na organização do dia a dia.

Aplicativos e programas que monitoram os horários de medicação, consultas, práticas de exercício físico e estudos podem ajudar tanto as famílias quanto os pacientes a controlar essas atividades e tarefas.

A tecnologia ainda pode ser uma aliada na construção do intelecto e funções cognitivas. Muitos jogos estão disponíveis para dispositivos móveis e tablets. E a utilização de ferramentas adequadas pode melhorar o foco e reduzir a ansiedade dessas crianças.

Os diferenciais do tratamento psiquiátrico infantil se baseiam principalmente no atendimento e cuidado com relação às crianças e suas famílias. Mais do que um ambiente estruturado, é imprescindível buscar por uma equipe multidisciplinar que respeite a individualidade da criança, criando vínculos de confiança e conforto.

Gostou de saber mais sobre os diferenciais do tratamento psiquiátrico infantil? Então, você também vai se interessar pelo artigo sobre saúde mental em crianças e adolescentes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Siga nossas redes sociais