Publicado em Deixe um comentário

Como tratar o alcoolismo na adolescência?

Como tratar o alcoolismo na adolescência?

Durante a adolescência, as mudanças vividas, o convívio com diferentes círculos de amigos e a intensidade das emoções diante de conflitos podem levar muitos jovens ao contato com a bebida e outras drogas. Assim, é importante que cada indivíduo e sua família sejam orientados sobre como tratar alcoolismo.

Hoje, estima-se que 39,2% dos adolescentes experimentam álcool pela primeira vez em casa, segundo informações do Manual de Orientação relacionado ao alcoolismo, publicado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). O dado, preocupante, alerta para a naturalização do consumo da substância, que pode ser bastante prejudicial.

Para saber mais sobre o mal e conhecer algumas formas de tratá-lo, não deixe de ler nosso artigo adiante!

Riscos do alcoolismo na adolescência

As bebidas, legalizadas, estão presentes em diferentes estruturas da sociedade. São divulgadas e incentivadas na publicidade, como em propagandas de cerveja. Reinam nas festas familiares e em eventos com os amigos. São promovidas em casas de shows como passaportes para uma noite especial.

Os riscos de seu consumo, entretanto, prevalecem e se destacam com mais ênfase durante a juventude, quando corpo e mente vivem etapas importantes de seu desenvolvimento. Alguns deles envolvem:

  • aumento da probabilidade de acidentes automobilísticos, principal causa de morte na faixa etária de 16 a 20 anos;
  • maior exposição à possibilidade de fazer sexo desprotegido;
  • risco aumentado de dependência e dependência cruzada;
  • déficit no rendimento acadêmico;
  • alterações de sono;
  • queda de memória.

Prevenção do consumo de bebidas entre jovens

Promover informação, a princípio, ainda é a melhor forma de evitar o contato e alertar sobre os riscos que o álcool proporciona. Mais do que isso, o diálogo é uma ferramenta importante a se manter nos ambientes familiar e escolar.

Defender um estilo de vida saudável, em que haja prática regular de atividades físicas, alimentação de qualidade e promoção de ações culturais a fim de unir grupos de jovens é uma forma de os afastar da tentação de recorrer à bebida quando tiverem problemas ou precisarem socializar.

Quanto antes houver o diálogo, melhor!

Como tratar alcoolismo na adolescência

Caso o alcoolismo já seja uma realidade, todavia, o tratamento multidisciplinar é a melhor forma de devolver ao dependente sua saúde.

Após diagnóstico médico, realizado diante da constatação de que a bebida já interfere negativamente no dia a dia, como em comportamentos violentos e mau aproveitamento de estudos, deve ser iniciada a recuperação. As ações, nesse caso, variam conforme o nível de dependência.

Desintoxicação e remédios

Uma boa alternativa, para tanto, é procurar auxílio de um hospital psiquiátrico especializado. A primeira medida, assim, costuma ser a desintoxicação. Nessa etapa, o paciente fica afastado da bebida a fim de que seu corpo pare de sofrer com os efeitos dela.

Depois, é recomendada a utilização de medicamentos que diminuem a compulsão pela substância.

Terapia para o adolescente e para sua família

Paralelamente ao tratamento, há aconselhamento e psicoterapia. Dessa forma, o adolescente conversa com um psicólogo sobre os motivos que o levam ao álcool com a finalidade de desenvolver os mecanismos necessários e sua autoestima para se afastar da bebida. Em muitos casos, o tratamento psicológico também envolve a família, que é afetada diretamente pelo mal.

Hoje, embora haja alternativas bastante eficazes de como tratar alcoolismo, a situação ainda é desafiadora e requer força, paciência e compreensão. Tanto do paciente quanto daqueles que o amam. Ao optar por uma instituição de saúde reconhecida, entretanto, aumentam-se as chances de ter êxito e proporcionar bem-estar a quem dá os primeiros passos rumo à vida adulta.

Gostou de nosso artigo e quer saber como o Hospital Santa Mônica, referência na área psiquiátrica, pode auxiliar você? Então, entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *