Siga nossas redes sociais

Publicado em Deixe um comentário

Droga Krokodil: conheça os efeitos na mente e no corpo

O consumo de substâncias ilícitas causa problemas a diferentes grupos da sociedade. Em troca do prazer momentâneo, muitas pessoas vão em busca de fórmulas mais potentes, feitas com misturas nocivas ao organismo. Um bom exemplo está na droga Krokodil.

Se você pesquisar sobre o assunto, verá que se trata de um dos entorpecentes mais perigosos do mundo. Tendo como base a desomorfina, pode causar enjoo, insônia, depressão e ataques de pânico. Os prejuízos afetam o corpo e a mente do usuário, com consequências graves para a sua saúde.

Acompanhe os próximos tópicos para saber mais sobre o assunto com o dr. Claudio Duarte, psiquiatra e coordenador da Unidade de Dependência Química do Hospital Santa Mônica e descobrir como obter ajuda!

Qual é o significado do nome da droga Krokodil?

Antes de entender a origem do termo, vale a pena explorar mais detalhes desse tipo de droga. Ela começou a ser produzida clandestinamente na Rússia, por volta dos anos 1990. Desde essa época, ficou conhecida como a “heroína dos pobres”, devido ao baixo custo.

Com o tempo, vários médicos perceberam marcas estranhas no corpo dos pacientes que eram dependentes químicos. Os sintomas incluíam coloração escura em alguns membros e descamação em diversas partes do corpo, muitas delas com exposição da carne.

O aspecto enrugado e descascado lembrava a pele dos crocodilos, o que explica a escolha da palavra russa Krokodil. Deve-se considerar, ainda, o nome de um dos principais compostos da droga: alfa-clorocodida. Ambos detalhes colaboraram para o curioso apelido da droga.

Essa substância causa danos em todo o organismo e produz sensações parecidas com aquelas geradas após o consumo de heroína. O usuário pode apresentar desde euforia até pensamentos suicidas. Também costuma sofrer de perda de tecido na região de aplicação, o que popularizou a definição de droga zumbi.

Qual é o efeito da droga Krokodil na mente e no corpo?

Iodo, codeína, gasolina, solvente, heroína e fósforo vermelho são os componentes básicos dessa mistura. São produtos encontrados em qualquer farmácia e outros tipos de comércios, o que facilita tanto a produção quanto a aquisição.

A Krokodil é injetável, e seu efeito dura em torno de uma hora e meia. Após a aplicação, o usuário sente todos os benefícios da liberação de dopamina. O problema é que tem grande potencial para levar à dependência física e psíquica, o que estimula um consumo cada vez maior e frequente.

É triste constatar que grande parte dos usuários vão a óbito um ano após experimentarem a substância pela primeira vez. Afinal, os sintomas são graves e semelhantes àqueles produzidos pelas drogas mais viciantes. Veja agora o que acontece com a pessoa que utiliza essa droga.

Na mente

A desomorfina é a responsável por induzir efeito ansiolítico. Como resultado, pode causar paranoia, delírios e muita agitação. O organismo não consegue eliminar a substância tão rápido, o que faz com que permaneça no sangue e dificulte o funcionamento de vários processos internos.

A longo prazo, o usuário de Krokodil pode apresentar distúrbios mentais que alteram seu comportamento em diferentes situações. Não é à toa que quadros de psicose e condutas violentas costumam acompanhar esses indivíduos.

No corpo

Os sinais externos assustam porque ficam bastante visíveis após a injeção da droga. A mistura causa úlceras por toda a pele e mucosas, além de abcessos que podem exigir amputação de membros. Com a substância agindo no sangue, é grande o risco de danos a vários tecidos.

Em casos mais graves, a Krokodil acaba decompondo os músculos e deixando ossos expostos. Necrose e gangrena são comuns, especialmente nos pontos de aplicação da droga. Porém, nada impede que a substância se espalhe e atinja todos os sistemas e órgãos.

A internação quase sempre se faz necessária para que o usuário fique longe da substância nociva e evite problemas mais graves. O objetivo é garantir acompanhamento especializado para conter os danos e recuperar a saúde.

Quais são os tipos de tratamento disponíveis?

Como ocorre com muitos dependentes químicos, os usuários da droga Krokodil nem sempre procuram ajuda médica. Nesses casos, a atenção de pessoas próximas, como amigos e familiares, passa a ser crucial para a garantia de uma possível intervenção.

Um dos motivos para a recusa do tratamento está no fato de a desomorfina proporcionar forte ação analgésica. Isso faz com que o consumidor da substância tenha alta tolerância à dor e a outros efeitos adversos. Outra razão está no medo de ouvir julgamentos e discriminações por parte das equipes médicas.

Em todo caso, é fundamental que o indivíduo receba apoio especializado para conter os danos associados à droga. O apoio será útil na prevenção de recaídas e na condução adequada de cada caso, conforme o tipo de lesão e o tempo de consumo da Krokodil.

Intervenção cirúrgica

A maioria dos usuários procura ajuda quando as feridas já estão em um estágio avançado. Nessas condições, as cirurgias para remoção de infecções e enxerto de pele são as melhores opções. O objetivo é conter os danos e prevenir problemas de saúde secundários.

Em casos mais graves, a amputação de membros pode ser necessária para devolver qualidade de vida e não deixar que uma infecção generalizada se instale.

Terapia de substituição com opioides

É um tratamento que pode favorecer a reabilitação dos usuários da Krokodil, embora não seja aceito ou acessível em alguns países. Quando não houver essa possibilidade, a saída costuma envolver um conjunto de estratégias que visem reduzir os danos da injeção da droga.

Por que realizar o tratamento no Hospital Santa Mônica?

O combate à adicção em drogas pode ser feito em hospitais. É a opção mais indicada nas situações que demandam resgate e desintoxicação do paciente, de modo que possa iniciar seu tratamento e mantê-lo a longo prazo.

Vale destacar que o tempo de recuperação varia de uma pessoa para outra, e isso inclui dependentes da droga Krokodil. O Hospital Santa Mônica está preparado para receber indivíduos nessa condição, com equipes completas e formadas por profissionais de diversas áreas.

Oferecemos todo o suporte necessário aos pacientes, incluindo orientação médica, reuniões de grupo, psicoterapia e sistemas de apoio psicossocial. O importante é estar ciente de que a reabilitação de quem utiliza a droga Krokodil pode demorar. Cabe aos familiares ter paciência e comemorar cada avanço em direção à eficácia do tratamento.

Para acessar nossos recursos em busca de ajuda, entre em contato pelo site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *