Doenças causadas pelo alcoolismo: saiba as consequências do vício - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Entender o quanto o consumo de álcool é prejudicial à saúde é imprescindível para fomentar ações preventivas em relação às doenças causadas pelo alcoolismo. Mais do que isso: é necessário ficar atento às consequências negativas do vício e, assim, buscar ajuda profissional antes que seja tarde demais.

A proposta deste artigo é explicar os efeitos da dependência de álcool e suas possíveis consequências, visto que a OMS demonstra que 3 milhões de mortes no mundo estão associadas ao alcoolismo.

Nesse contexto, vamos mostrar as principais doenças, de médio e longo prazo, causadas pelo abuso do álcool. Também apresentaremos possíveis soluções para conter o impacto do alcoolismo e ajudar o dependente a mudar de vida. Confira!

Quais as consequências globais do uso nocivo do álcool?

Entende-se por alcoolismo o hábito de consumir bebidas com frequência sem que o indivíduo consiga dominar a vontade de ingerir produtos que contenham certo teor alcoólico. O consumo de álcool pode ocorrer nos níveis leve, moderado ou crônico, mas em todas as formas de consumo há um risco potencial de causar danos ao organismo.

Quando existe consumo de álcool em excesso, o corpo do usuário reage com algumas consequências imediatas, mas de fácil reversão: ocorre o comprometimento do equilíbrio postural, que causa a dificuldade para andar, além das falhas de coordenação e memória, por exemplo.

Todavia, em situações em que o uso desse tipo de bebida é bastante prolongado e frequente, há o risco de afetar seriamente todos os órgãos do corpo. O nível de comprometimento varia de acordo com a quantidade de bebida ingerida.

Logo, o vício pode provocar graus elevados de prejuízo, como o desenvolvimento de lesões cerebrais devido à perda recorrente de neurônios, por exemplo. Para o efetivo controle desses quadros mais graves, a internação hospitalar é a melhor solução

Segundo o Relatório da OMS sobre consumo de álcool no mundo, em 2016, cerca de 2,3 bilhões de pessoas se consideravam consumidoras de álcool em três dos continentes pesquisados pela OMS. Isso indica que mais da metade da população, inclusive das Américas, são consumidoras habituais de bebidas alcoólicas.

No Brasil, a situação também é de alerta, pois um trabalho realizado pela USP demonstrou claramente a intrínseca relação entre o abuso de álcool e o suicídio. Na análise toxicológica do sangue de suicidas foi detectado teor alcoólico em mais de 30% das amostras. Ou seja, esse percentual indica que, pelo menos nesses indivíduos, o ato foi concretizado sob efeito do alcoolismo.

Além dessas questões, a embriaguez ao volante é uma das principais causas de mortes no trânsito. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou recentemente dados de uma pesquisa que avaliou o consumo de álcool entre motoristas brasileiros. Destes, 24,3% afirmaram dirigir após tomar bebida alcoólica.

Essas estatísticas sugerem a necessidade de buscar medidas que possam contornar o efeito do alcoolismo, não só sobre a saúde do usuário, mas também sobre a sociedade. Nesse sentido, a ajuda profissional torna-se a melhor alternativa de tratamento e reversão desses hábitos que causam tantos prejuízos.

Quais as principais doenças causadas pelo alcoolismo?

Caso não haja o controle adequado dos efeitos do vício, o usuário estará sujeito ao risco de diversas doenças causadas pelo alcoolismo. Confira quais são!

Desnutrição

Principalmente na adolescência, o consumo de substância alcoólica causa à redução da capacidade de absorção e afeta negativamente o desenvolvimento nutricional. Assim, o alcoolismo na adolescência repercute bastante no estado alimentar desse grupo, exatamente nessa fase em que as necessidades nutricionais são mais elevadas. 

Devido à grande toxicidade, o álcool tem potencial para lesar órgãos nobres que compõem o trato gastrointestinal e, consequentemente, comprometer funções do fígado e do estômago, por exemplo. Como o etanol afeta também a metabolização dos nutrientes, esses prejuízos nutricionais ocorrem em qualquer idade.

Hepatite alcoólica 

Essa é uma doença inflamatória e que causa severa degeneração no fígado. Geralmente, esse tipo de hepatite é considerado uma pré-cirrose e se desenvolve mediante o consumo excessivo de álcool e por longos períodos de tempo. 

Cirrose

A cirrose é classificada como uma das piores consequências do alcoolismo, pois ela pode causar lesões hepáticas irreversíveis. A ingestão frequente de bebidas alcoólicas afeta diretamente todas as funções do fígado. Com o tempo, a perda gradativa das funções contribui para a evolução da cirrose para o estado crônico, que pode levar ao óbito. 

Gastrite

A gastrite é caracterizada por uma inflamação que resulta em grande desconforto, dor e deixa a pessoa com dificuldade para alimentar-se. Ainda que seja em pequenas quantidades, as bebidas alcoólicas irritam a mucosa do estômago à medida que tornam o local muito mais ácido.

Com isso, sob a ação da toxicidade do álcool surgem constantes desconfortos na região superior do abdome. Além disso, outros sintomas como náuseas, vômitos, cefaleias e diarreias podem estar presentes. 

Doenças emocionais

As doenças emocionais também figuram na lista das complicações decorrentes do alcoolismo. No Brasil, alguns estudos associam esses males ao consumo de álcool, como também de outras drogas. Entre os distúrbios de ordem psicológicas mais comuns entre os consumidores de álcool estão a ansiedade e a depressão.

Comprometimento do cérebro

Um dos sintomas cerebrais mais comuns em pessoas com vício em álcool é a Demência Alcoólica. Esse quadro é provocado pelo consumo excessivo de álcool e também figura entre as complicações mais preocupantes em relação ao hábito de beber.

Entre os principais agravos à saúde destacam-se o comprometimento do raciocínio e memória, dificuldade de aprendizagem e de outras funções cerebrais. Qualquer alcoolista que beba quantidades excessivas de álcool por longos períodos de tempo incorrem no risco de desenvolver esse tipo de demência.

Como o Hospital Santa Mônica pode ajudar?

Nosso hospital oferece toda a infraestrutura necessária ao tratamento para a recuperação de dependentes químicos, tanto por vício em álcool como pelo uso descontrolado de drogas e entorpecentes.

Além do espaço físico — interno e externo — adequado à segurança da internação, o tratamento é coordenado por psiquiatras especializados e titulados por universidades conhecidas e respeitadas nesse ramo. 

Trabalhamos com uma equipe multiprofissional formada por médicos, psicólogos, nutricionistas, assistente social, terapeutas ocupacionais e outros especialistas. Por meio de um trabalho sério e dedicado, nossos profissionais têm garantido o necessário suporte à recuperação de doenças causadas pelo alcoolismo.

Agora que já sabe como o alcoolismo é prejudicial à saúde, não deixe para amanhã: entre em contato com o Hospital Santa Mônica agora mesmo e conheça nossos tratamentos especializados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos