Depoimento da Maria de Fátima: ex-paciente da ala de saúde mental do Hospital Santa Mônica - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

No Brasil, 12% da população — ou seja, 23 milhões de pessoas — sofrem de transtornos mentais e, por isso, precisam de algum tipo de tratamento. Engrossa essa estatística Maria de Fátima, que buscou auxílio em uma instituição para cuidar da sua saúde mental. Como foi essa experiência você confere nesse depoimento da ex-paciente do Hospital Santa Mônica.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a prevenção do sofrimento mental entre adolescentes e jovens adultos é importante — e começa com o conhecimento e compreensão dos primeiros sinais de alerta, que indicam transtornos mentais.

Aliás, estudos apontam que em algum momento da vida, 20% da população mundial vai sentir os impactos dessas doenças mentais. Mas é possível encontrar uma saída?

Confira o relato de Maria de Fátima e entenda por quais razões optar por uma instituição de saúde mental estruturada contribui como parte do trabalho e é um diferencial para a conquista de bons resultados.

A gratidão de Maria de Fátima

Ao final de 2018, enquanto muitos se planejavam para as festas e celebrações tradicionais para a época, Maria de Fátima estava focada em se manter bem e estável. A emoção naquele momento em que se despedia do Hospital Santa Mônica era de gratidão. “Essa casa tornou-se parte da minha família — a família que Deus me permitiu escolher”, disse.

Mas a sensação de estar em família e protegida, sempre com um pensamento que servia como norte para a conquista da estabilidade emocional, foi alinhada à força de vontade da ex-paciente da instituição.

Um olhar generoso, para uma experiência desafiadora

Para Maria de Fátima, os dias e noites na ala de saúde mental do Hospital Santa Mônica foram de muita superação, que se transformou em gratidão à todos os colaboradores que participam, de maneiras distintas, desse processo de recuperação.

Entre os mitos e verdades que rodeiam o tratamento psiquiátrico, o depoimento da ex-paciente é um compilado de registros e momentos que retratam a vivência de uma mulher que soube tirar o máximo de uma experiência desafiadora.

Em carta de agradecimento, iniciada com as palavras de quem está carregada de generosidade — “deixo aqui registrada minha profunda e eterna gratidão” —, Maria avaliou a estrutura da instituição, seus colaboradores e tudo aquilo que faz do Hospital Santa Mônica o que ele é: um instituição de reabilitação que é escolhida por respeitar o paciente.

A valorização da equipe da instituição

Para Maria de Fátima, não são apenas as dependências ou a equipe médica que fazem parte do valor de uma clínica para tratamento de saúde mental.

Sua passagem pelo Hospital Santa Mônica, aliás, marcou a todos pelo seu olhar generoso, que lhe permitiu enxergar muito além dos serviços prestados — a ex-paciente encontrou uma instituição feita por pessoas, e para pessoas.

“Desde a excelente equipe de jardinagem, limpeza e manutenção, todos realizam um trabalho impecável”, ressalta. O contato com a natureza permitido pelo ambiente é apenas um dos pontos positivos do local.

Sobre a alimentação e os serviços prestados, não faltam boas lembranças. “O que dizer da equipe de cozinha, que se desdobra em milhão para sempre procurar encaixar o perfil de cada paciente em seus deliciosos pratos?”, lembra Maria de Fátima.

Também sobre a lanchonete, recorda uma peculiar solicitação que foi prontamente atendida. Ela pediu tanto por alimentos sem lactose, quando açúcar, em respeito a sua diabetes — “sem contar nos 6kgs que deixei só na lembrança”, brinca.

É por essas razões que, para Maria de Fátima, a instituição segue “padrões de excelência, sempre buscando a perfeição”.

“Muito obrigada pela humanização do tratamento”

Ao destacar a humanização do tratamento — e consciente da importância da internação nos casos de transtornos de saúde mental — Maria de Fátima guarda recordações dos momentos difíceis, que foram vencidos nos tempos em que enfrentou seus monstros, no Hospital Santa Mônica.

“Agradeço aos que, no momento em que fraquejei, me mantiveram de pé e não permitiram que eu desistisse”, conta. Agradece, ainda, aos que atuaram diretamente no auxílio e cuidado de sua saúde física e mental: “cheguei ao Hospital Santa Mônica literalmente quebrada. Mas saio pronta para uma maratona”.

Para a turma que atua na farmácia, também não faltaram elogios. “Sempre rápida, e com equipe muito eficiente, garantia que nossos medicamentos chegassem na máxima brevidade possível”, recorda.

“Profundo, amplo e irrestrito agradecimento à equipe médica”

O sentimento de agradecimento envolve, também, o reconhecimento de que cuidar da saúde mental deve ser uma prioridade na vida das pessoas. É por isso que Maria de Fátima comenta que a equipe “surpreende com a grande generosidade, atenção e auxílio nos momentos bons e nos mais difíceis”.

Apesar de tudo, a ex-paciente tem plena consciente de que os dias na ala de saúde mental de uma instituição de tratamento não são fáceis para ninguém — ainda que a experiência ganhe outros ares, quando o time de colaboradores trabalha focado para que a busca por ajuda não seja em vão. “Os funcionários estão sempre atentos, na tentativa de auxiliar”.

“Profissionalismo impecável e irretocável”

O depoimento da ex-paciente do Hospital Santa Mônica reforça o que já foi dito por outras pessoas que também tiveram uma chance de recomeço, após o tratamento.

“A equipe é calma e que compreende os momentos difíceis enfrentados pelo paciente”, explica Maria de Fátima, que destaca, ainda, que “pulso firme, e olhos nos olhos, fizeram toda a diferença”.

Apesar de tudo isso, não é apenas o auxílio direto no tratamento que impactou positivamente no tratamento descrito com tantas boas lembranças. A ex-paciente lembra outras conquistas. “Sou grata, também, pela assistência social que realizou várias ligações, intermediou e insistiu no meu auxílio junto ao INSS”, recorda.

Nem mesmo a equipe de atendimento da instituição de saúde foi esquecida, quando Maria lembra que “eles cortam um dobrado para atender, além dos pacientes, suas impacientes famílias”.

“O tratamento salvou minha vida”

Ao lembrar da equipe médica do Hospital Santa Mônica, as palavras da ex-paciente remetem a “dias de paz e conforto”. A gratidão reflete a sensação de que o tratamento trouxe nova vida.

Antes de se despedir, Maria de Fátima resgatou algo que escutou durante sua passagem pela instituição. Ela deixa o ensinamento de que, “esqueça o dito popular que diz que o bom filho à casa torna, — e passe a adotar: a boa casa faz com que o filho sinta-se seguro para retornar”, finaliza.

Se o profissionalismo por parte da equipe médica do Hospital Santa Mônica trouxe resultados tão sólidos e palpáveis para Maria de Fátima, fica a certeza de que é preciso identificar as características do transtorno mental em questão, além de encontrar uma equipe que esteja apta para abordar o diagnóstico em questão da melhor maneira possível.

Esse foi o depoimento de Maria de Fátima, ex-paciente do Hospital Santa Mônica. Entre várias conquistas, conseguiu restaurar sua confiança, regularizar exames clínicos e voltar a ter uma visão positiva e otimista quanto ao meio no qual está inserida.

O que você achou do depoimento da ex-paciente do Hospital Santa Mônica? Deixe uma mensagem para Maria de Fátima!

4 respostas para “Depoimento da Maria de Fátima: ex-paciente da ala de saúde mental do Hospital Santa Mônica”

  1. Tenho uma dor de cabeça diária há muitos anos infelizmente faço uso de remédios controlados,maconha e nicotina tb há muitos anos não consigo sair desse ciclo vicioso como o hospital Santa Mônica pode me ajudar

    1. Olá Thais, o ideal seria agendar uma consulta com um psiquiatra para avaliar seu caso. Ficamos à disposição

  2. Fui internado três vezes hoje estou muito bem voltei a trabalhar e ao convívio normal com as pessoas agradeço a todos os medicos que me acompanharam e. A terapeuta Ana Cristina Furlani que me ajudou muito enquanto estive internado meu muito obrigado a todos . Luis Henrique Correa de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos