O que são smart drugs? Conheça um pouco mais sobre essa droga - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Ao fazer uma rápida pesquisa sobre substâncias para melhorar o rendimento de trabalho e de estudos, talvez você já tenha lido o termo em algum site da internet e tenha se perguntado sobre o que são smart drugs, certo? Essas drogas, afinal, têm aumentado sua fama e é importante falar sobre elas para gerar compreensão a respeito dos riscos que causam.

Popularizadas entre estudantes universitários e empresários do Vale do Silício, também conhecidas como nootrópicos, elas chamam a atenção devido ao fato de prometerem alto rendimento e um nível de concentração fora do normal, como se fossem capazes de elevar a inteligência. Quer saber mais sobre o tema? Então, continue a leitura de nosso artigo a seguir!

O que são smart drugs?

Tidas como verdadeiros potencializadores da cognição, as smart drugs são drogas utilizadas por indivíduos que desejam melhorar seu desempenho, concentração e ampliar a capacidade mental para se destacarem no trabalho e nos estudos.

Entre elas, é possível citar ritalina, adderall, modafinil e compostos a base de cafeína e ômega 3, como suplementos com combinação de produtos exóticos. Sua popularidade, ao fim, é espantosa. O uso de ritalina no Brasil, por exemplo, aumentou mais de 700% no Brasil nos últimos anos, de acordo com reportagem.

A promessa de inteligência em cápsulas, afinal, evitando sintomas decorrentes de fadiga como desatenção e sono, é tentadora para quem sofre pressão para apresentar excelente desempenho e se destacar por seus atributos intelectuais.

O problema, todavia, é que muitas dessas drogas que só podem ser obtidas com receita médica, já que se enquadram na categoria de tarja preta e podem causar efeitos colaterais indesejados em indivíduos saudáveis.

Para que são usadas as smart drugs?

Os nootrópicos têm o seu efeito reconhecido devido ao fato de agirem diretamente no sistema nervoso central e, com isso, estimularem seus neurotransmissores.

A prescrição das pílulas da inteligência, no entanto, é recomendada ao tratamento de transtornos específicos, como narcolepsia, transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e epilepsia. Isso as torna mais perigosas para aqueles que não apresentam qualquer uma dessas doenças.

A seguir, entretanto, destacamos alguns dos efeitos que fazem com que cada vez mais pessoas apelem a elas.

Melhoria de rendimento

Para estudantes universitários, por exemplo, a cobrança por notas altas e a grande quantidade de matéria acumulada para estudar em alguns cursos, como Medicina e Engenharia, pode tornar quaisquer substâncias que prometam melhor rendimento mais tentadoras.

Em universidades públicas, o uso tem sido mais recorrente entre aqueles que desejam manter um excelente coeficiente de rendimento a fim de que possam se destacar em projetos de pesquisa e como candidatos mais elegíveis a um programa de intercâmbio.

Aumento da concentração

Estar com um altíssimo nível de concentração pode ser determinante para quem deseja ter mais insights e pensar em ações que gerem resultados para grandes negócios. Isso tem levado, há anos, trabalhadores de grandes empresas, como as do Vale do Silício, e profissionais do mercado financeiro e da tecnologia a apelarem cada vez mais aos nootrópicos.

Diminuição da ansiedade

Às vezes, a dificuldade de se concentrar se atribui, em grande parte, a sintomas ansiosos. Dessa forma, sem que haja diagnóstico médico, indivíduos que desejam ter foco total no trabalho e nos estudos fazem uso de smart drugs para manterem a estabilidade emocional diante de grandes desafios.

Sintomas adversos das smart drugs

Considerando-se o fato de se tratarem de drogas, os efeitos podem ser muito prejudiciais. Segundo estudo da publicação estadunidense Brain and Behavior, indivíduos saudáveis que fazem uso de drogas estimulantes correm risco de desenvolverem até mesmo dependência.

Abaixo, listamos alguns dos principais sintomas que podem ser causados por elas.

  • arritmia;
  • ataque cardíaco;
  • pressão baixa;
  • alucinações;
  • morte súbita;
  • ansiedade;
  • depressão.

Exemplos de smart drugs

Há diferentes compostos que se enquadram na definição de smart drugs. Falamos detalhadamente sobre alguns dos mais populares abaixo.

Modafinil

Usada por quem quer turbinar o cérebro, sua função real é a de auxiliar pacientes que têm muita sonolência durante o dia e aqueles que sofrem de narcolepsia. Em indivíduos que não apresentam esses transtornos, dá facilidade à capacidade de memorizar verbal e numericamente. Além disso, pode aumentar a memória e a concentração.

A depender da sensibilidade da pessoa, pode causar efeitos adversos como mudanças na função cardíaca a redução de apetite. No Brasil, seu uso é liberado com receita médica para quem sofre dessas doenças e para alguns profissionais que precisam trabalhar durante a noite, como médicos, a fim de que se mantenham acordados.

Ritalina

Entre os mais populares, a ritalina é o medicamento que trata TDAH e narcolepsia, cujo uso tem sido bastante criticado, inclusive, entre pais que as dão a seus filhos sem recomendação médica a fim de que as crianças se mantenham mais calmas.

Com ela, pessoas saudáveis podem ter ganhos de concentração, memória, aprendizado e atenção. Seu uso, todavia, pode causar perda de sono, pressão alta e arritmia, estando diretamente relacionada a riscos no coração.

Piracetam

Sob a promessa de aumento da atenção e da memória de longo prazo, a prescrição oficial de Piracetam é para indivíduos que sofrem de epilepsia. Em pessoas que não têm esse transtorno, pode levar a sonolência e aumento de peso, o que faz com que a prescrição médica, mais uma vez, seja ideal.

Cápsulas de cafeína e guaraná

As cápsulas reconhecidas por suas propriedades energéticas são especialmente perigosas devido ao fato de agirem diretamente na questão cardíaca. Em pessoas que já apresentam problemas como arritmia, as promessas de aumento de disposição e concentração tendem a representar riscos reais para um mal súbito ou ataque do coração.

Agora que você já sabe o que são smart drugs, deu para entender por que é tão importante tomar cuidado com elas e evitar a automedicação sem antes consultar um médico, certo? Embora a promessa de mais inteligência e concentração seja tentadora, os riscos que se correm, na maioria dos casos, não valem a pena para quem busca qualidade de vida e bem-estar. Não deixe de consultar o Hospital Santa Mônica para mais informações sobre drogas.

Gostou de nosso texto e quer saber mais sobre temas relacionados? Então, leia também o artigo sobre os 5 principais efeitos das drogas no organismo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos