Publicado em Deixe um comentário

EUA observa aumento no índice de suicídio após estréia da série 13 Reasons Why

13 Reasons Why

A série 13 Reasons Why gerou verdadeira comoção, especialmente entre jovens, quando foi lançada no Netflix. A história de Hannah e seu trágico fim, todavia, criaram um alerta nos Estados Unidos. Segundo estudo publicado no Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, houve aumento superior a 28% do índice de suicídio após sua estreia.

A notícia deixou muitos pais alertas e chamou a atenção para a importância do diálogo com crianças e adolescentes, a fim de saber como se sentem e pelo que passam, de forma a poder orientar e auxiliar quando vivem uma situação em que consideram o suicídio.

Para saber mais sobre o tema, conhecer a influência de filmes e séries e entender de que forma é possível notar os sinais de quem quer cometer suicídio, leia mais informações em nosso artigo a seguir. 

13 Reasons Why e o aumento no índice de suicídio americano

A iniciativa liderada pela American Academy of Child & Adolescent Psychiatry analisou as taxas de suicídio durante o período de 5 anos. Nesse intervalo, o mês de abril de 2017, que sucedeu a estreia de 13 Reasons Why, foi maior do que todos os outros. Na época nossos especialistas dr. Cláudio Duarte, psiquiatra e a neurocientista Adriana Fóz, realizaram uma live sobre o assunto.

A informação, desde então, tem gerado reflexões na sociedade a respeito do impacto do entretenimento e da fragilidade à qual a saúde mental dos jovens pode estar sujeita. Tudo que é exibido pela mídia, assim, deve ser avaliado com cautela e responsabilidade por produtores e publicadores.

Na série do Netflix, a jovem Hannah se suicida e deixa gravações em 13 fitas sobre os motivos que a teriam levado a tomar essa atitude. Seus colegas de escola, que fizeram mal a ela ou deixaram de ajudá-la em algum momento, são aqueles que escutam e são citados.

No estudo americano, que analisou suicídios nas faixas etárias de 10 a 17 anos, 18 a 29 e 30 a 64, o aumento relacionado à no índice de suicídio foi percebido somente na primeira. Justamente a faixa etária que mais dialoga e vivência em ambientes escolares, sendo similar aos ambientes dos personagens da série.

O efeito Werther: como a mídia impacta o comportamento

O que aconteceu com 13 Reasons Why remete a um caso semelhante do passado, quando houve a publicação da obra alemã Os sofrimentos do jovem Werther, de Goethe, em 1774.

O romance de característica epistolar, ou seja, escrito em cartas, conta a história de Werther e de seu amor por Charlotte, prometida em casamento a outro homem. Em um drama, ele narra seus sofrimentos ao amigo, Wilhelm, e acaba por se suicidar no final, tamanha a dor de lidar com esse amor não resolvido.

O livro marcou o início de uma geração ultrarromântica na Alemanha, enquanto corrente literária, mas também foi relacionado a uma onda de suicídios na Europa à época de sua publicação. 

A repercussão foi tamanha que especialistas em psicanálise atribuíram ao acontecimento o nome de “efeito Werther”. 

A principal semelhança que apresenta com 13 Reasons Why é a de sua aproximação com o público jovem, que vive uma fase de transição e de confrontos psicológicos, como aqueles ligados a aceitação pelo grupo, sexualidade, gênero, contato com drogas, dependência química e outros agravantes.

Suicídio de jovens no Brasil

No Brasil, de acordo com informações do Ministério da Saúde, houve mais de 106 mil óbitos devido a suicídio. Mais recorrente entre homens, a taxa entre jovens de 10 a 19 anos é a mais preocupante e revela ligações diretas a problemas sociais e a casos de bullying que, sem o devido suporte, podem motivar a morte. O índice de suicídio, assim, reforça a importância de ter atenção a esses casos e atuar na prevenção.

Seja por falta de oportunidades, dificuldade de lidar com situações traumáticas ou, às vezes, falar a respeito de seus sentimentos, o suicídio é considerado um fenômeno multifacetado, que pode ser tratado com o auxílio de médicos e psicológicos, desde o momento em que ainda está no âmbito da ideação. 

Sinais de ideação suicida

Suspeita de que alguém querido próximo a você tem apresentado sinais ou tentativas de suicídio recentemente? Abaixo, listamos alguns comportamentos que podem requerer um olhar mais cuidadoso.

Baixa produtividade nas atividades do dia a dia

Seja no trabalho ou nos estudos, a ideação suicida faz com que o indivíduo se desapegue aos poucos de suas tarefas, sentindo-se desmotivado a realizá-las, como se tivessem perdido o sentido. No trabalho, há um afastamento gradual de projetos e redução na entrega. Em sala de aula, o desempenho rapidamente também é afetado.

Falta de autocuidado

Nesse caso, pode-se falar a respeito de tudo que envolve autocuidado, desde rituais de higiene e beleza à autoestima propriamente dita. A apatia em relação ao cuidado consigo, assim, revela um desencanto pela vida que pode resultar em suicídio. 

Isolamento social

O afastamento de pessoas queridas, como o que vive a personagem Hannah em 13 Reasons Why também é uma característica a se ter atenção naqueles que alimentam o desejo de se suicidar.

Podendo ou não estar ligado a um caso de depressão, ele revela o desapego pelos vínculos, que diminuem o interesse e a importância relacionados à sua própria vida. De forma geral, há também algumas frases e hábitos que requerem alerta para a ideação, como:

  • a pessoa diz que preferia estar morta;
  • o indivíduo relata que não aguenta mais;
  • considera-se um peso para os outros;
  • acredita que todos serão mais felizes sem ele;
  • convence-se de que não pode fazer mais nada para lidar com os problemas que tem.

Como ajudar quem pensa em cometer suicídio?

Ter alguém que você ama considerando a possibilidade de suicídio pode ser muito doloroso, mas o diálogo e a orientação, de modo a buscar auxílio médico, são os melhores meios para conseguir reverter esses pensamentos, ainda mais quando se fala de pessoas jovens.

Sendo assim, é fundamental contar com aconselhamento psicológico e, em muitos casos, consultar um psiquiatra de confiança para entender as razões que levam à ideação suicida e combatê-las, a fim de resolver quaisquer traumas ou questões mal resolvidas. 

Ao fim, 13 Reasons Why e o crescimento dos índices de suicídio nos Estados Unidos vinculados à série revelam quão fundamental é ter um olhar cuidadoso a quem precisa de ajuda, seja que somente para desabafar a respeito dos problemas que tem enfrentado, de forma que se sinta necessário e encontre motivação para fazer o tratamento adequado e prolongar sua vida, com bem-estar.

Precisa de ajuda para orientar alguém e está à procura de uma instituição de saúde referenciada? Então, entre em contato com nossa equipe, do Hospital Santa Mônica, especialista em saúde mental há 50 anos. Mande-nos uma mensagem pelo WhatsApp ou pelo formulário de atendimento em nosso site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *