Publicado em Deixe um comentário

Dilema das redes: 4 dados que comprovam o impacto das redes sociais na saúde mental

Redes sociais e saúde mental estão relacionadas. O ambiente virtual possibilita que as pessoas fiquem por dentro do que acontece na vida dos amigos, compartilhem momentos e se informem sobre os acontecimentos mundiais.

No entanto, o uso exagerado pode trazer algumas consequências para a saúde mental. Isso acontece, principalmente, quando se acompanha perfis que valorizam determinados padrões de vida e beleza que não podem ser alcançados por todos.

Além disso, o uso de algumas redes sociais pode viciar. Estudos já indicam que o Facebook causa dependência, assim como o cigarro e álcool. Muitas vezes, o tempo perdido em frente às telas prejudica as relações interpessoais.

O Brasil é o segundo colocado no ranking mundial de países onde as pessoas passam mais tempo nas redes sociais, atrás apenas das Filipinas. Por aqui, passamos, em média, 3 horas e 25 minutos por dia olhando aplicativos como o Instagram, Facebook e YouTube.

É por isso que 94% dos entrevistados em uma pesquisa afirmam que os amigos costumam verificar notificações de redes sociais quando estão conversando, o que prejudica a qualidade do tempo que passam juntos.

No infográfico deste post, você confere outros dados que comprovam o impacto das redes sociais na saúde mental! Compartilhe essas informações com os seus amigos e ajude-os a manter uma relação mais equilibrada com as redes sociais!

O uso excessivo das redes sociais pode trazer consequências negativas para a saúde mental das pessoas. Confira alguns dados sobre o tema!

87% das pessoas acessam as redes sociais antes de dormir

Pesquisas indicam que a luz azul emitida pelos celulares é prejudicial à qualidade do sono.

A lista de problemas de saúde mental associados a noites mal dormidas inclui ansiedade, depressão, entre outros.

Jovens acreditam que as redes sociais fazem mal ao seu bem-estar

De acordo com uma pesquisa publicada pela Royal Society for Public Health, a maioria dos jovens acredita que as redes sociais prejudicam o seu bem-estar.

Para o estudo, foram entrevistadas 1.500 pessoas com idades entre 14 e 24 anos.

5% dos jovens já são considerados viciados em redes sociais

O mesmo estudo afirma que o poder dessa dependência causado pelas redes sociais é superior ao do cigarro e álcool.

Outra publicação aponta que o Facebook aciona a mesma parte do cérebro que o abuso de substâncias químicas e os jogos de azar.

63% dos usuários relatam infelicidade

Uma enquete feita pelo aplicativo de monitoramento Moment revelou que 63% das pessoas que passam mais de 1 hora por dia no Instagram se sentem infelizes.

Para a pesquisa, mais de 1 milhão de usuários responderam à pergunta.

Os dados deste infográfico reforçam que as redes sociais têm uma forte relação com a saúde mental. Por isso, recomenda-se cuidado e moderação na hora de navegar por essas redes.

Fontes:

As redes sociais fazem parte da rotina de muita gente. É por meio delas que as pessoas se informam, dividem momentos importantes com amigos e acompanham as publicações de pessoas que admiram. Mas o uso em excesso pode trazer consequências negativas para a saúde mental.

Parar de seguir perfis que tragam expectativas irreais em relação à carreira, aparência física e dinheiro, assim como limitar o tempo em frente às telas, são atitudes que ajudam na prevenção desses problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *