Publicado em Deixe um comentário

Dia do terapeuta ocupacional: o papel dos profissionais no sucesso da reabilitação de pacientes

O dia 19 de janeiro foi escolhido oficialmente para comemorar o Dia do Terapeuta Ocupacional. Além de homenagear o importante trabalho desses profissionais, a data representa a atualização do Decreto-Lei nº 938 de 1969, que determinou o código de ética que, hoje, está sob a supervisão do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Neste texto, que contou com o apoio da Terapeuta Ocupacional do Hospital Santa Mônica, Jéssica Bastos, vamos apresentar o papel do terapeuta ocupacional no sucesso da reabilitação de pacientes. Além disso, mostraremos as áreas de atuação do terapeuta ocupacional e a relevância desses profissionais para a prevenção e tratamento de indivíduos com alterações cognitivas e afetivas ou outras condições que exigem tratamento psiquiátrico. Boa leitura!

O Dia do Terapeuta Ocupacional

Anteriormente, o Dia do Terapeuta Ocupacional era comemorado em 13 de outubro, juntamente com o dia dos fisioterapeutas. Porém, a partir do ano de 2015, a então presidente Dilma Rousseff sancionou uma nova lei, a qual estabeleceu o dia 19 de janeiro como a data oficial.

A regulamentação desta profissão ocorreu na década de 1970, ocasião em que o país passou por um grande desenvolvimento industrial. Porém, o crescimento do trabalho nas indústrias aumentou a quantidade de acidentes no ambiente laboral, o que passou a exigir a presença de novos profissionais de reabilitação. 

Junto com os benefícios da modernidade também surgiram novos problemas, tanto no âmbito psicológico como no físico. Com isso, a criação e regulamentação da terapia ocupacional foi de extrema relevância para auxiliar outros profissionais de saúde na prevenção de doenças limitantes, tanto nas empresas como em outros espaços.

Atualmente, o campo de atuação do terapeuta ocupacional está em expansão. A cada vez mais torna-se necessário o emprego de medidas que promovam a reabilitação física, emocional, social e educacional.

O papel do terapeuta ocupacional na reabilitação de pacientes

A terapia ocupacional tem o trabalho centrado em diferentes metodologias que objetivam a reabilitação da saúde integral do paciente. Este campo está relacionado a atividades de pesquisas científicas, ações de prevenção e tratamento de enfermidades físicas, psíquicas e também as que se referem ao âmbito social e ao controle das emoções.

A meta é promover condições para recuperar as habilidades que foram perdidas e que impedem ou dificultam a realização das atividades que fazem parte da rotina dos pacientes. Durante o processo terapêutico, o profissional busca alternativas para auxiliar o dia a dia de quem teve alguma função comprometida.

Por meio de práticas de reabilitação, é possível recuperar o bem-estar, a autoestima e a autonomia de quem enfrenta incapacitações mentais, emocionais ou físicas. Por essa razão, a terapia ocupacional ocupa um importante espaço em clínicas, escolas, hospitais, empresas e em outros locais que necessitam do apoio desses profissionais na prevenção e promoção da saúde em diferentes aspectos.

O Decreto-Lei nº 938 regulamenta a profissão e determina as áreas de atuação da terapia ocupacional. Observe a seguir:

Art. 1º É assegurado o exercício das profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional, observado o disposto no presente Decreto-lei.

Art. 2º O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional, diplomados por escolas e cursos reconhecidos, são profissionais de nível superior.

Art. 3º É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do paciente.

Art. 4º É atividade privativa do terapeuta ocupacional executar métodos e técnicas terapêuticas e recreacional com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade mental do paciente.

Quem precisa de terapia ocupacional

O Dia do Terapeuta Ocupacional é reconhecidamente importante para diferentes grupos de pacientes que receberam ou recebem suporte desses profissionais. Seja um adulto que sofreu algum tipo de acidente ou pessoas que sofrem com algum transtorno mental, como ansiedade e depressão: o suporte terapêutico é essencial à reabilitação.

Na saúde coletiva, o profissional da terapia ocupacional é responsável pela promoção de atividades que garantam a recuperação e a prevenção da saúde de pessoas e grupos — integradas a programas de reabilitação da saúde do trabalho ou nos serviços básicos de atendimento nas comunidades.

Além disso, quem atua neste campo também tem como função estudar e avaliar diferentes competências para encontrar soluções mais eficazes para problemas específicos gerados por incapacitações físicas ou socioemocionais. O objetivo é restabelecer condições mais apropriadas de enfrentamento e de convivência com doenças limitantes que surgem a cada dia.

Como funciona a terapia ocupacional

O profissional que atua neste ramo está apto para auxiliar na recuperação dos problemas mais frequentes que envolvem a rotina dos pacientes com distúrbios físicos e mentais. Esse importante trabalho também é extensivo às necessidades de promover os ajustes socioemocionais, visto que o processo de reabilitação deve abranger as esferas físicas, mentais, sociais e educacional do paciente.

Igualmente relevante é a função do terapeuta ocupacional no setor de Educação. Ele pode auxiliar na adaptação dos portadores de necessidades educativas especiais (NEEs) ao ambiente escolar. Junto com a equipe pedagógica, o terapeuta torna-se uma figura essencial para a orientação, suporte e estímulo ao aprendizado dessas crianças.

A Resolução Coffito nº425, de 08 de Julho de 2013, estabeleceu as principais diretrizes quanto ao funcionamento da profissão. Confira os artigos mais importantes e que devem ser observados para o exercício pleno da Terapia Ocupacional:

Artigo 1º – O Código de Ética e Deontologia da Terapia Ocupacional, trata dos deveres do terapeuta ocupacional, no que tange ao controle ético do exercício de sua profissão, sem prejuízo a todos os direitos e prerrogativas assegurados pelo ordenamento jurídico.

Artigo 4º – O terapeuta ocupacional presta assistência ao ser humano, tanto no plano individual quanto coletivo, participando da promoção, prevenção de agravos, tratamento, recuperação e reabilitação da sua saúde e cuidados paliativos, bem como estabelece a diagnose, avaliação e acompanhamento do histórico ocupacional de pessoas, famílias, grupos e comunidades, por meio da interpretação do desempenho ocupacional dos papéis sociais contextualizados, sem discriminação de qualquer forma ou pretexto, segundo os princípios do sistema de saúde, de assistência social, educação e cultura, vigentes no Brasil.

Pode-se concluir, por fim, que o reconhecimento do Dia do Terapeuta Ocupacional é de extrema relevância, já que essesprofissionais desempenham um papel crucial na promoção e na prevenção da saúde de indivíduos e grupos. Logo, há muitas razões para comemorar uma data que celebra a oportunidade de ajudar tantas pessoas a recuperarem a saúde e a qualidade de vida!

Que tal entrar em contato com o Hospital Santa Mônica e conhecer os nossos tratamentos em reabilitação da saúde mental? Estamos esperando por você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga nossas redes sociais