Depressão ou apenas um período mais triste? - Hospital Santa Mônica

O período é de felicidade obrigatória. Nas redes sociais estão todos felizes, lindos, bem sucedidos, viajando e fazendo declarações de amor. As pessoas parecem não suportar ouvir que a outra não está bem, que está passando por uma dificuldade. Não estar bem não é aceitável, é preciso estar feliz, ou fingir, se medicar ou se recolher para que ninguém tenha contato com o sofrimento. É fundamental se permitir estar triste, sofrer em alguns momentos, como o fim de um relacionamento, a perda de emprego, morte de uma pessoa querida, doença, briga ou saudade. Seja qual for o motivo, o sofrimento está liberado.

É sofrendo que se cresce, na busca de vias para que o desconforto e a angústia sejam resolvidos. É no sofrer que, em algum momento, resulta o desenvolvimento e a criação de novos esquemas de resolução de problema e de enfrentamento. Quando se preocupar A depressão é muito mais forte, viver se torna uma dor, a pessoa tem seu mundo cada vez mais restrito, seu sofrimento toma conta.

O indivíduo começa a se desinteressar por atividades rotineiras e se empenhar menos, o que muitas vezes gera sintomas cognitivos como diminuição da concentração e memória, gerando uma diminuição no rendimento profissional. Também não consegue sentir prazer em socializar e passa a não querer sair de casa, pois acredita que não gostam da sua companhia e irá contaminar os lugares com sua tristeza.

É uma tristeza persistente, sentimento de culpa, inferioridade, muitas vezes, com sintomas físicos, como dores, inflamações ou insônia. O desamparo, crença da não melhora e pensamentos negativos diante da vida podem conduzir à morte, pois, apenas através desta não será necessário sentir tanta dor. Há demasiado retraimento pessoal e sem tratamento a pessoa pode se retrair completamente ou até cometer suicídio.

Evidentemente, cada pessoa tem esses sentimentos e sintomas de diferentes formas e intensidades, pois cada um tem vivências diferentes durante a vida. O importante é como enfrentar! Poder reconhecer que precisa investir em si mesmo e, geralmente, procurar ajuda psicológica.

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h