Por que ocorre o Zumbido? - Hospital Santa Mônica

Imagine acordar com um barulhinho estranho no ouvido que mais parece uma incansável cigarra, uma panela de pressão em plena atividade ou um monte de abelhas zangadas. Ninguém merece, não é mesmo? Esse é o chamado Tinnitus, popularmente conhecido como zumbido. Há quem diga que ele é percebido na cabeça em locais totalmente silenciosos.

E por que ocorre? Em uma situação normal, as vias auditivas são as responsáveis por recepcionar os sons existentes no ambiente externo e enviá-los para o cérebro em forma de impulso elétrico. O zumbido surge quando não há captação desse som e, sim, um excesso de impulsos elétricos. Entendeu?

“Ele pode aparecer durante uma gripe ou depois de um longo tempo de exposição ao barulho excessivo. Até aí não há com o que se preocupar, visto que será passageiro. No entanto, se persistir por mais de dois dias, aumentar o nível com o passar do tempo e interferir na execução de atividades típicas do dia a dia, é hora de verificar o que há de errado”, alerta o Dr. Carlos Alberto Mauricio Júnior, otorrinolaringologista.

A seguir você saberá de 10 coisas importantes sobre esse assunto:

  1. Mais comum do que se imagina: sabe quantas pessoas sofrem de zumbido no mundo? Aproximadamente 280 milhões. No Brasil, são 28 milhões. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS). As mulheres são mais vítimas do que os homens.
  2. As causas ligadas ao sistema auditivo: estudos apontam que a principal origem está na perda auditiva. Mas não confunda, zumbido não leva à surdez, já o contrário é totalmente possível. Fazem parte da lista também: excesso de cera, lesões, inflamações e infecções no ouvido, rompimento do tímpano e falhas nas terminações do nervo auditivo. Observe que todas as possibilidades acima reduzem a acuidade auditiva.
  3. A raiz do problema pode estar em outro lugar: zumbido não é doença e, sim, um sinal de que algo vai mal. Caracteriza-se como um dos sintomas de problemas odontológicos, de circulação sanguínea, na coluna, de alterações na tireoide, na articulação da mandíbula, do colesterol e de triglicerídeos.
  4. É engano que os idosos são mais vulneráveis: essa é apenas uma impressão. Como a perda auditiva é mais comum em idosos, e ela é um dos principais fatores que provocam o zumbido, consequentemente, as pessoas com mais de 60 anos queixam-se, com mais frequência, desse barulho. No entanto trata-se de um incômodo perfeitamente viável em outras faixas etárias.
  5. Efeito dominó: a ocorrência constante do zumbido é tão desgastante que pode levar à alternância de humor, tontura, insônia, além de comprometer a concentração e o equilíbrio. Em casos mais graves, pode desencadear transtornos psiquiátricos, como a depressão. Importante lembrar que o zumbido pode ser um sintoma da depressão.
  6. Identificar a origem é imprescindível: se as causas são variadas, o tratamento é do mesmo jeito. Não há como decidir a melhor solução sem saber o que realmente origina o incômodo. Além disso, a escolha do procedimento dependerá do tipo e nível do zumbido. O profissional pode optar por terapias, medicamentos e até cirurgias. Lembre-se de que, quanto ao remédio mais indicado, essa é uma decisão do especialista. A prática da automedicação, na tentativa de resolver, pode oferecer sérios riscos.
  7. Adiar a ida ao médico é um erro grave: enquanto for passageiro não traz problemas, mas, quando se torna frequente, o zumbido pode ser um sinal de doenças graves, como diabetes e hipertensão. Por isso, é um perigo recorrer a receitas milagrosas e achar que uma hora vai passar. Procurar a ajuda de um otorrinolaringologista, o quanto antes, é o mais recomendável para garantir um diagnóstico precoce. Na primeira consulta, ele ouvirá todas as informações necessárias do paciente e fará uma avaliação minuciosa e interna do ouvido. Se achar conveniente, pedirá procedimentos complementares, que darão um resultado mais preciso, como os exames de imagens.

Fonte: Segs

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h