Publicado em Deixe um comentário

Vício em comida?

Em tempos de aumento no número de obesos pelo mundo, um tema que preocupa são os viciados em comer. De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria, 2 a 4% da população mundial sofre de compulsão alimentar. Essa compulsão por comida pode ser um grande problema na vida de algumas pessoas. “Ela acontece porque comer se torna uma atividade prazerosa e algumas pessoas ficam viciadas por essa atitude”, conta Mohamad Barakat, endocrinologista e fisiologista do envelhecimento.

O especialista explica que comer demais, sem vontade, engolir rápido e sentir culpa são sinais de alerta. “O assalto à geladeira durante a noite também é uma característica da compulsão alimentar. O compulsivo come mesmo quando o corpo não precisa mais de energia. Além disso, muitos desses indivíduos também sofrem de depressão, ansiedade e outros transtornos psíquicos”, alerta.

Barakat cita algumas técnicas que podem ajudar no controle e ressalta que é preciso ter disciplina e ocupar os períodos ociosos da agenda com atividades saudáveis para evitar que o tempo inativo seja preenchido com comportamentos impulsivos. “Encontre novos prazeres: ouvir música, estudar ou até adotar um animal de estimação são algumas das opções para evitar a depressão”, afirma o médico.

O endocrinologista diz ainda que fazer um diário da alimentação também ajuda. “Só o fato de parar para anotar já irá fazer com que se pense melhor e até deixe de comer. Manter-se sempre saciado – com os alimentos corretos – também é importante”. E completa: as fibras, presentes em verduras, frutas e alimentos integrais, são as mais eficazes para dar essa sensação. Já a gordura faz o contrário, porque interfere com a parte do cérebro que regula a saciedade.

“Quando uma pessoa come muita gordura, ela não se sente saciada e tende a comer mais para se satisfazer”, relata. Barakat ressalta que a prática de exercícios é fundamental, já que além de queimar mais calorias, facilita o controle de peso e melhora o funcionamento intestinal, contribuindo de forma ampla para o tratamento do problema.

Quer saber mais sobre transtorno alimentar? acesse nosso conteúdo sobre o assunto – bulimia, anorexia e compulsão alimentar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *