Síndrome do pânico: Veja como é possível vencer a doença - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Compreender quais são os sintomas da síndrome do pânico é essencial para direcionar a tomada de decisão sobre a busca de alternativas para superar a doença. Nesse sentido, entender as principais características do pânico e saber identificar os sintomas mais comuns são aspectos igualmente relevantes.

Tendo isso em vista, elaboramos este artigo para explicar o que é a síndrome do pânico, os principais sinais da doença e as melhores formas de tratamento. Você vai saber, ainda, quando é necessária a internação e a importância de contar com ajuda de um hospital especializado para conseguir a reabilitação da saúde mental e do bem-estar. Acompanhe!

O que é a síndrome do pânico? 

A síndrome — ou transtorno — do pânico é uma doença psiquiátrica que atinge grande parte da população global. Esse transtorno afeta mais os adultos jovens, dos quais 71% são mulheres e apenas 29%, homens. A característica mais marcante da crise de pânico é que ela é espontânea e pode ser desencadeada mesmo sem um motivo específico. Muitas vezes, num momento tranquilo, ela surge repentinamente.

As causas do problema ainda não são conhecidas, mas especialistas suspeitam da influência do estresse sobre o surgimento das crises. Também há uma hipótese de que o consumo de drogas e álcool em excesso e o uso continuado de alguns medicamentos podem facilitar seu aparecimento, embora haja situação sem nenhuma relação com esses fatores. 

Nos casos mais graves, as pessoas que sofrem com esse transtorno têm medo de ficar em casa sozinhas ou até de dormir sozinhas em um quarto separado. Por isso, essa doença tem sido associada com situações que geram o “medo de sentir medo”. Nesse nível de gravidade, o ideal é procurar ajuda especializada urgente, já que há o risco iminente de evoluir para situações mais perigosas, como o suicídio.

Outro ponto importante é saber diferenciar quais são os sintomas da síndrome do pânico com situações que podem ocorrer no cotidiano. Quando se enfrenta uma situação real de perigo, como um assalto, o corpo reage com calafrios, taquicardia e outros sintomas característicos de uma situação de pavor, mas sentir essas alterações quando tudo corre bem é sinal de que há algo errado e que deve ser investigado urgentemente.

Quais são os sintomas da síndrome do pânico?

As crises de síndrome do pânico são marcadas por episódios de ansiedade excessiva, praticamente inexplicáveis, e que podem ser decorrentes de situações de estresse ou estar relacionados a sintomas parecidos com um ataque cardíaco. Evidentemente, os sintomas da doença variam conforme a personalidade do paciente e o grau da doença.

Um estudo do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (IPq – HCFMUSP), divulgado pelo Jornal da USP, revelou que as crises de pânico afetam 10% da população brasileira. A pesquisa afirmou, ainda, que esse problema pode ocorrer até mesmo sem motivo aparente e que esses episódios devem ser tratados desde a primeira manifestação.

Para melhor compreensão do tema, listamos os sinais mais importantes dessa doença. Conheça, agora, quais são os sintomas da síndrome do pânico:

  • sudorese;
  • tremores das mãos ou dos pés;
  • coração muito acelerado (taquicardia);
  • sensações de falta de ar ou de sufocação;
  • calafrios, sensação de cabeça leve ou de que vai desmaiar;
  • dor no peito com sensação de bloqueio na passagem do ar;
  • alucinações, visão de coisas/pessoas estranhas ou sentimentos de irrealidade;
  • náuseas, vômitos e tonturas acompanhados de desconforto na região abdominal;
  • medo de perder o controle das ações, de enlouquecer e mesmo de morrer de repente.

Como funciona o tratamento? 

O tratamento mais indicado para o transtorno do pânico deve incluir a prescrição de medicamentos antidepressivos associados a outras terapias complementares. Entre as que oferecem melhores resultados, destaca-se a psicoterapia — principalmente a cognitivo-comportamental.

Essas intervenções terapêuticas objetivam reduzir os efeitos gerados pela exposição a situações que podem desencadear o pânico. Os resultados costumam ser satisfatórios e vão surgindo de forma sistemática e progressiva. O tempo de tratamento depende do grau de comprometimento dos sintomas e da resposta individual à combinação das terapias. 

No entanto, quando os sinais ou sintomas são característicos de despersonalização e levam o paciente à fuga da realidade, o ideal é optar pela internação. Nessas condições, a pessoa pode se tornar um risco tanto para si mesma como para quem faz parte de seu ciclo social.

Vale ressaltar, ainda, que os indivíduos que apresentam quatro ou mais sintomas da síndrome do pânico devem ser encaminhados urgentemente para avaliação psiquiátrica em uma instituição especializada em saúde mental, como o Hospital Santa Mônica. 

Nosso hospital oferece toda a infraestrutura para receber e tratar pacientes que experimentam os sinais de ataques de pânico que ocorrem de forma espontânea, descontrolada, repentina e inesperada. Tão importante quanto saber quais são os sintomas da síndrome de pânico é buscar um tratamento adequado para superar a doença e resgatar o bem-estar e a qualidade de vida.

Agora você já sabe quais são os sintomas da síndrome do pânico. Precisa de ajuda com essa doença? Não deixe para depois: entre em contato agora mesmo com o Hospital Santa Mônica e conheça nossos tratamentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos