Exercite sua Força de Vontade - Hospital Santa Mônica

Quer ganhar mais disposição, bom humor, prevenir várias doenças e ainda melhorar sua autoestima e o condicionamento físico? Esqueça o sedentarismo e comece a praticar atividades físicas regularmente, como aponta o Dr. Norton Sayeg, profissional renomado e integrante do corpo clínico do HSM. Ele também destaca que a idade não deve ser um empecilho, mas que é importante o acompanhamento profissional e um programa adequado às condições individuais. Dúvidas sobre sedentarismo esclarecidas pelo Dr. Norton Sayeg, ao repórter da Folha de São Paulo:

1. Sedentarismo é doença? Pode ser considerado como uma doença comportamental. É um péssimo hábito que compromete em muito a saúde e a qualidade de vida das pessoas e deve ser evitado assim como o tabagismo e outros comportamentos nocivos que prejudicam a saúde das pessoas.

2. O que é considerado sedentarismo? Sedentarismo é a falta de atividade física regular e necessária respeitadas as limitações etárias e as limitações individuais de uma pessoa.

3. As pessoas estão sedentárias? Infelizmente , a grande maioria , ainda é.

4. Quais doenças relacionadas à vida sedentária? São inúmeras das quais se destacam um pobre rendimento frente a esforços, dores generalizadas, sensação de apatia e falta de disposição, menor resistência imunológica, constipação intestinal (“prisão de ventre”) , maior possibilidade de eventos cardiovasculares como infarto do miocárdio e AVCs (derrames), hipertensão arterial, obesidade, maior tendência a depressão etc.

5. Que benefícios têm as pessoas que praticam exercício físico (fisicamente e psicologicamente)? Melhora da autoestima e sensação de bem estar, melhor funcionamento intestinos, maior resistência a esforços físicos, proteção relativa a doenças graves como as citadas acima , maior sociabilização etc.

6. Qual a recomendação de exercício necessária para a pessoa deixar de ser considerada sedentária? Acredita-se que a prática regular e diária de pelo menos 30 minutos por dia , ou no mínimo 3 vezes por semana seria suficiente.

7.Qual a importância da prevenção? É mais barato prevenir doenças a tratá-las? Sem dúvida que prevenir é sempre o melhor remédio. Infelizmente, ainda se dá pouca importância a esse grande aliado da saúde e da qualidade de vida . É sempre mais barato prevenir que tratar doenças já instaladas que poderiam , com medidas simples , serem evitadas.

8. Há alternativas às atividades esportivas, para quem tem uma vida muito corrida (vale subir escada do prédio, estacionar o carro um pouco mais longe e andar umas quadras?). Qualquer alternativa é melhor que o sedentarismo. Tudo é uma questão de hábito. Os exemplos acima são ótimos e deveriam estar incorporados no nosso comportamento cotidiano.

9.Há contraindicação à prática esportiva? Sempre que vamos iniciar um programa de atividade física a avaliação médica é imperativa. Existem sim contraindicações relativas que sempre podem ser substituídas e/ou adaptadas a determinados grupos específicos. Mas vale lembrar que sempre há uma maneira de se manter um programa racional respeitadas as limitações individuais e também à faixa etária do indivíduo. Preferencialmente esses programas e a prática em si deveria ser sempre acompanhada por um profissional da área.

10. Qual recomendação para se fazer exercício com segurança? Definido um programa tudo fica mais claro e seguro. Deve-se começar devagar e ir aumentando a duração e a intensidade dos exercícios gradativamente.

11. Idosos têm recomendações especiais? Os problemas se agravam conforme a idade? Qual atividade física é indicada? Idosos devem fazer atividade física independente da idade. É claro que se impõe um programa precedido de uma avaliação médica detalhada com exames , especialmente cardiológicos , específicos. Exercícios com pouca carga como a hidroginástica são particularmente indicados em idosos.

12. E quanto aos adolescentes, que estão com o corpo em formação, há recomendações especiais? Cada faixa etária tem suas particularidades e assim devem ter sempre seus programas e metas desenhados por um profissional especializado. Evitar excessos é uma regra de ouro assim como traçar metas a serem alcançadas com o tempo e possibilidades de cada um. O programa nunca é geral e sim , sempre, personalizado. Deve-se evitar por exemplo práticas de musculação em pessoas em fase de crescimento . Sempre existem alternativas como a prática de esportes para essa faixa etária.

13. A Copa do Mundo e Jogos Olímpicos são eventos que, de alguma forma, vão incentivar as pessoas à prática do esporte? Tenho minhas dúvidas sobre esse aspecto. Pode se tornar uma “moda” passageira que nunca irá substituir campanhas permanentes de conscientização da importância desse comportamento na prevenção de agravos a saúde e a melhoria da qualidade de vida de quem os pratica.

14. Fazer exercícios em grupo dá efeitos melhores? Especialmente idosas parecem ser mais motivadas com atividades em grupo além de favorecerem novas amizades complementando a prática física. A prática de esportes é uma excelente alternativa para aqueles que não gostam de praticar exercícios sozinhos e em aparelhos. Na prática esportiva em idosos , especialmente , deve-se ter algum cuidado com jogos muito competitivos que possam gerar altos graus de ansiedade dando-se mais importância para atividades leves com alto grau de satisfação.

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h