Depressão de final de ano: o que é e como lidar com ela - Hospital Santa Mônica
Internação Temporária para o Período de Festas e FériasConheça o serviço
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

O Final de ano está chegando e, com ele, as festas de Natal e Réveillon. Embora o período seja festivo, é comum algumas pessoas se sentirem tristes e melancólicas. Quando essa emoção negativa se aprofunda, a ponto de abalar a rotina do indivíduo, há o risco maior para a depressão de final de ano.

Nesse contexto, a proposta deste artigo é explicar as razões que levam a esse tipo de depressão. Abordaremos, também, as causas, os fatores de influência e as melhores formas de prevenção para evitar que essa doença comprometa a saúde mental. Acompanhe!

Por que, às vezes, sentimos tristeza nessa época do ano? 

O fim de ano é uma época em que surgem sentimentos diversos. Algumas pessoas ficam dominadas por situações de melancolia por não ter alcançado as metas propostas. Várias são as condições que influenciam esses sentimentos negativos que, se não tratadas, podem evoluir para quadros depressivos mais graves.

Muitos indivíduos ficam dominados pela tristeza e angústia resultantes de traumas passados ou mesmo do estresse gerado pela correria típica dos períodos de natal ou do ano novo. Isso ocorre porque o final do ano simboliza, na prática, o fechamento de um ciclo.

Quando esse ciclo não é bem trabalhado, geralmente, surgem sensações de frustração e de onipotência frente às questões não resolvidas. O sentimento negativo gera a percepção de angústia devido à percepção de que o ciclo fechou, mas os objetivos e alguns sonhos não foram realizados.

Logo, é preciso mudar a postura frente a essas situações. Se esse tipo de comportamento negativo se tornar recorrente, a depressão de final de ano faz com que esse período —  que deveria ser festivo — assume um aspecto triste e sem sentido. É necessário, pois, buscar ajuda: a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas no planeta.

Quais são os fatores que mais influenciam a depressão de final de ano?

Listamos alguns fatores que resultam nesse tipo de depressão. Tendo em vista a relação deles com o desenvolvimento de doenças psicossomáticas, conhecê-los é importante fator de prevenção. Veja com atenção!

Estresse e correria

Como o tempo passa muito rápido, o tempo para organizar as festas ou viagens acaba sendo curto. Com isso, o acúmulo de responsabilidades pessoais, profissionais e familiares geram um estresse difícil de ser controlado. Tais situações se tornam um fardo e, por conseguinte, tornam-se fatores de grande influência para o desenvolvimento da depressão de final de ano.

O passado afeta o presente

Nessa fase de final de ano, não é somente o presente que gera aflições. As experiências negativas dos anos anteriores também influenciam o comportamento e contribui para os sentimentos de negatividade e de desesperança.

Por isso, uma das formas de amenizar o impacto desses momentos de tristeza é trabalhar a sociabilidade e se cercar de pessoas alegres, positivas e de bem com a vida. Aumentar a interação com familiares e amigos ajuda a criar uma atmosfera mais positiva e reverter as sensações negativas.

Excesso de cobranças 

No fim do ano, muitas pessoas costumam fazer avaliação de tudo que realizaram ou planejaram. No entanto, quando concluem que muitos planos não saíram do papel, surgem as sensações de fracasso. Muitas vezes, essa situação está associada a cobranças excessivas que pode resultar em crises depressivas e outros transtornos emocionais.

Por isso, é preciso fazer um análise mais honesta e conhecer os próprios limites, antes de pensar em metas distantes da realidade. Ter esse cuidado pode evitar frustrações e o desenvolvimento da depressão de final de ano.

Como lidar com a depressão de final de ano? 

Esseperíodo de fim de ano induz a uma reflexão mais profunda, levando algumas pessoas a pensar no que perderam ou no que não conseguiram realizar durante o ano que  passou. Porém, é necessário inverter a forma de avaliação e passar a olhar as coisas por outro ângulo. Ou seja, de modo mais positivo.

Por que ao invés de ficar lamentando, não mudar a postura e agradecer pelo que deu certo? A forma de enfrentamento faz toda a diferença, pois é possível treinar a mente para pensar de forma positiva e deixar as reclamações e a negatividade de lado.

Para reverter esse processo de depressão de final de ano, uma boa sugestão é adotar algumas técnicas de autoconhecimento e, assim, treinar alguns bloqueios mentais para não entrar nesse quadro depressivo todos os anos.

Romper com o passado e criar metas mais viáveis — e possíveis de serem realizadas — são alternativas que ajudam a evitar o sofrimento gerado pela frustração de não ter alcançado os objetivos. 

Além dessas, há outras medidas que podem ajudar a amenizar as alterações de humor e de comportamento resultantes da depressão de final de ano. Confira!

Mude de pensamento

Mudança de atitude exige esforço contínuo e treino. Treine sua mente para mudar a visão negativa em relação às festas de final de ano. Cada vez que surgir um pensamento negativo, se obrigue a pensar em dois positivos.

Procure soluções

Analise as circunstâncias ou os empecilhos que inviabilizaram realização de seus objetivos. Por meio dessa análise é possível buscar soluções práticas e viáveis para os problemas que impediram o seu crescimento pessoal, profissional ou comprometeram algum propósito familiar.

Aprenda com os erros

Use as experiências desagradáveis do passado para aprender com elas. Isso ajuda a não repetir os mesmos no ano seguinte. Às vezes, quando acontece algo desagradável, pode servir de alerta e deixará você preparado para enfrentar algum problema futuro. É bom que procure direcionar o olhar para o lado positivo, de modo que as adversidades se transformem em aprendizado.

Crie novas estratégias

Se no balanço geral do ano você achar que não atingiu a meta que tinha se proposto, pense em dois fatores: aquilo de fato era importante para você ou você priorizou coisas mais relevantes? O que faltou para que você chegasse lá? Não desista. Mude de estratégia e vá em frente. Considere que você é o principal responsável pela sua felicidade. Não delegue essa responsabilidade a ninguém.

Logo, é possível evitar ser dominado por quadros depressivos associados à chegada do fim de ano. Isso pode ser alcançado independentemente das razões que causaram melancolia e tristeza. Para tanto, o primeiro passo é mudar de atitude e se propor a ter um final de ano diferente: com mais gratidão, alegria e pensamento positivo. 

A mudança de atitude frente à vida pode ser determinante nessas situações. Esse pode ser o caminho mais seguro para superar os efeitos da depressão de final de ano e ver o ano que se aproxima como uma nova oportunidade de tentar de novo. Pense nisso.

Mas se a sensação de negatividade persistir, não desanime: entre em contato com o Hospital Santa Mônica e veja como superar esse tipo de depressão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos