Jogos de Azar - Comportamento Compulsivo - Hospital Santa Mônica
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Pessoas jogam por uma série de razões. Enquanto jogar moderadamente ou casualmente, não é um problema, o jogo pode se tornar um vício e causar prejuízos para a saúde mental.

Conforme noticiou no Jornal Edição do Brasil, o problema é sério, tanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) colocou o jogo compulsivo no Código Internacional de Doenças, ao lado da dependência do álcool, cocaína e de outras drogas. Segundo levantamento feito pelo departamento de psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), a compulsão por jogos atinge cerca de 1% da população brasileira, totalizando mais de 2 milhões de viciados.

Por que jogar?

Pessoas jogam por uma variedade de razões, incluindo:
• A emoção e a alta liberação de adrenalina;
• O elemento competitivo, tentar vencer os outros jogadores;
• A emoção de correr riscos, de fazer grandes apostas;
• Para resolver problemas financeiros;
• Como uma forma de fugir do estresse ou de preocupações.

Sensibilidade ao jogo

Algumas pessoas argumentam que o jogo é como tomar bebidas alcoólicas  – que é seguro fazer, desde que você siga algumas regras sensatas como:

  • Se manter afastado de jogos de alto risco, onde você pode perder grandes somas de dinheiro muito rapidamente;
  • Limitar a quantidade de horas que você joga. Isto lhe dará tempo para fazer outras coisas mais importantes na sua vida;
  • Limitar os valores a serem gastos, assim não terá tanto problema se perder;
  • Sair enquanto estiver ganhando. Se continuar, é provável que você venha a perder, porque as chances são sempre contra você.

Quando o jogo se torna um problema

Para a maioria de nós, o jogo é uma atividade inofensiva. Mas, para algumas pessoas, o jogo é um modo de vida, um vício que pode destruir suas vidas.

Você pode ser um jogador compulsivo se:

  • Você gasta mais dinheiro em jogo. Se você continuar jogando, você poderá assumir uma dívida séria. Você também poderá perder sua casa e seus bens;
  • Você passa tanto tempo jogando que você negligencia outras áreas importantes da sua vida, como a sua família ou o seu trabalho. Você poderia perder seu emprego ou acabar divorciado ou separado de seu parceiro e os filhos;
  • Você tem mudanças nos seus sentimentos e comportamento. Por exemplo, você pode se tornar deprimido quando você perde ou super animado quando você ganha. Em casos graves, você pode sentir que você só está realmente vivo quando você joga;
  • Você tem comportamento inadequado ou até mesmo criminal. Por exemplo, você mente para família e amigos sobre suas atividades de jogo ou você rouba para financiar seu hábito de jogo.

Questione!

Se você acha que pode ter um problema com o jogo, mas não tem certeza, pergunte a si mesmo:

  • O jogo está me fazendo infeliz no trabalho ou em casa?
  • Não consigo dormir à noite ou me concentrar durante o dia por causa do jogo?
  • Estou mentindo para outras pessoas e para mim mesmo sobre o quanto eu jogo?
  • Estou jogando para ficar longe dos problemas ou preocupações?
  • Estou jogando para conseguir dinheiro, para que eu possa pagar as dívidas ou resolver os problemas financeiros?
  • Estou pedindo o dinheiro ou vendendo bens para que eu possa jogar?
  • Quando eu ganho ou perco, eu sinto que preciso jogar um pouco mais?

Se você respondeu sim a qualquer destas perguntas, então você pode ter um problema de jogo.

O que faz com que o jogo compulsivo?

Todos os comportamentos compulsivos têm origens sociais, psicológicas e biológicas. Jogos de azar nos coloca em contato com outras pessoas, mesmo se estamos usando salas de jogos pela internet. Isso pode proporcionar um senso de comunidade, no entanto, os comportamentos associados podem causar danos. Significado social e aceitação por parte dos outros são importantes para todos nós e para o jogador compulsivo estes podem ser encontrados em salas virtuais de jogos, cassinos reais, apostas e assim por diante.

O jogo também muda a forma como pensamos psicologicamente, bem como socialmente. Permite escapar das nossas vidas e das lutas diárias que experimentamos. Durante um período de jogo a nossa mente está ocupada pelas probabilidades, a aposta, a raça, as ações de outros jogadores, o funcionamento dos cartões e assim por diante. Pode ser que tudo consuma e, portanto, forneça, uma fuga emocionante e envolvente da vida comum.

No nível biológico, comportamentos compulsivos podem ter um efeito direto sobre o sistema dopaminérgico de recompensa. Este sistema regula as nossas respostas às recompensas naturais, como comida, sexo e interação social. Comportamentos compulsivos repetidos podem agir sobre este sistema com um poder e persistência que muda suas células quimicamente e estruturalmente. Este por sua vez pode ter um efeito determinante sobre o nosso bem-estar. As pessoas já não podem responder normalmente as recompensas, tais como comida, sexo e interação social, e em vez disso dependem de jogos de azar por seu senso de recompensa.

O jogo compulsivo pode, portanto, desenvolver através do significado social e alívio psicológico que ele oferece. Isso é agravado pelas alterações químicas no nosso cérebro que acompanham essas experiências. É, de fato artificial para separar estes elementos uma vez que todos eles ocorrem simultaneamente para o jogador compulsivo. Significado social, alívio psicológico e um sistema de recompensa de dopamina disparou pode ser uma combinação difícil de experiências para o mais resistente dos indivíduos para resistir.

Ajudando a si mesmo

Se você sentir que você perdeu o controle no jogo, existem algumas coisas que você pode fazer para se ajudar.

  • Admitir que você tem um problema é o primeiro e mais importante passo;
  • Encontrar alguém em quem você possa confiar para falar sobre o seu problema. Pode ser um amigo, um parente ou um especialista;
  • Evitar locais e situações em que você possa se sentir tentado a jogar;
  • Assumir o controle de como você gasta seu dinheiro.

 

Pense se você pode fazer isso por si mesmo, ou se você pode precisa pedir ajuda a alguém para fazer isso.

Levar um dia de cada vez.

Viver com alguém que joga

Viver com alguém que joga pode ser tão difícil como viver com alguém com qualquer outro tipo de vício. Pode ser muito estressante e pode conduzir à ruptura de seu relacionamento.
Se você não tem certeza se você está vivendo com alguém que tem um problema de jogo, pergunte-se:

  • Se ele/ela promete uma e outra vez de parar de jogar, mas continua mesmo assim?
  • Se que ele/ela desaparece por longos períodos de tempo sem dizer onde foi?
  • Se que ele/ela gasta grandes somas de dinheiro sem ser capaz de explicar em que?
  • Se você esconde dinheiro para impedir que isso ocorra?
  • Se ele/ela mente para encobrir ou negar o seu jogo?

Se você respondeu sim à maioria destas perguntas, então ele/ela pode ter um problema de jogo.

Como ajudar alguém que tenha vício de jogo

É importante lembrar que você não é a única pessoa nesta situação e há muitas pessoas que podem ajudar.

  • Converse sobre isso com a outra pessoa e, se necessário, buscar ajuda profissional.
  • Seja firme e construtivo. Você precisa ter certeza de que a outra pessoa realmente enfrente o problema, mas também tenha algumas ideias de como fazer avançar as coisas.
  • Não condene ou tente fazer a pessoa se sentir mal sobre si mesmo.
  • Seja realista. O jogo compulsivo é um vício, por isso vai levar tempo para superá-lo. Alguns dias serão melhores do que outros.
  • Não confie nele/nela com o dinheiro até que tenha superado o vício.

Quer saber mais sobre o assunto? Assista o vídeo que o dr. Claudio Duarte, psiquiatra do Hospital Santa Mônica, preparou sobre o assunto.

Fonte: Hospital Santa Mônica e Mental Health Foundation

Planos de Saúde

Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos