JMJ: Papa vai inaugurar polo de atendimento a dependentes químicos - Hospital Santa Mônica

O tratamento da dependência química no Rio de Janeiro terá um novo impulso após a JMJ. Durante o evento, no dia 24 de julho, o Papa Francisco vai inaugurar o Polo de Atenção Integral à Saúde Mental (PAI), que deverá atender os dependentes no período de crise. O polo é parte integrante das ações de legado social da Jornada Mundial da Juventude, segundo explica o vigário episcopal para a Caridade Social e diretor do setor de Legado Social do COL, cônego Manuel de Oliveira Manangão. “Se houver necessidade de internação, o hospital vai oferecer os leitos para a crise”, disse.

O PAI funcionará em um dos prédios do Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus (HSF), na Tijuca. O espaço é voltado para o tratamento psiquiátrico, com atenção especial aos dependentes químicos, inclusive do crack. O arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, disse acreditar que o PAI será determinante para o tratamento da dependência química. “O Rio de Janeiro necessitava de um centro integrado de atendimento que oferecesse a oportunidade de recuperação para os dependentes químicos e tratamento aos que sofrem de transtornos psiquiátricos. Quantas famílias estão sendo destruídas, especialmente pelo uso do crack. Tenho a certeza de que o PAI-HSF será o legado social da Jornada Mundial da Juventude”, disse.

O projeto é fruto de uma parceria entre a Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus e a Arquidiocese do Rio. O polo contará com uma equipe médica especializada. “O PAI terá como pilar o Hospital. O trabalho em conjunto é fundamental para um melhor resultado no tratamento”, explicou o frei Francisco Belotti, superintendente da Associação, do Hospital e idealizador do Polo. Segundo Belotti, o objetivo é dar um tratamento digno a todos que sofram de um transtorno psiquiátrico e recuperar os dependentes químicos.

Após o período de internação, que poderá ser entre três e 30 dias, o paciente continuará o tratamento em comunidades terapêuticas. Serão cerca de 70 leitos em uma estrutura de 2 mil m². Para o diretor do hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus, frei Isaac Prudêncio, o mais importante é a importância social do polo. “Esse é o legado da Jornada. Tem uma importância total. Nós vendo a importância para o Rio de Janeiro nesse quesito. É um dos pontos mais críticos”, complementa.

Legado Social Está sendo estruturada uma rede de entidades religiosas para atuar na prevenção ao uso de drogas e tratamento de dependentes. Serão quatro frentes de trabalho, de acordo com o cônego Manuel de Oliveira Manangão. De acordo com ele, as comunidades terapêuticas católicas atendem hoje entre 150 e 200 dependentes. “A rede é construída pelas pastorais e por todas as entidades ligadas à questão da drogadição, todas as comunidades terapêuticas”, destacou Manangão.

O grupo já inclui 22 comunidades terapêuticas católicas no Rio de Janeiro. Entre elas, estão a Pastoral da Sobriedade, a Casa do Menor e as comunidades católicas como Shalom, Maranathá, Toca de Assis e Aliança Missionária. A primeira etapa, segundo ele, é a prevenção, trabalho realizado pelas entidades e pastorais. Os já dependentes são identificados através de uma triagem e encaminhados para um ambulatório no momento da crise ou para acompanhamento à distância. A última fase é o estabelecimento de um ponto de apoio após a saída da crise.

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h