Dica Cultural 4 - Filme: Nasce uma Estrela - Hospital Santa Mônica
Internação Temporária para o Período de Festas e FériasConheça o serviço
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

Conforme a crítica feita no site Adoro Cinema, a história de Nasce uma Estrela chegou aos cinemas pela quarta vez. A primeira foi em 1937, na versão menos conhecida, estrelada por Janet Gaynor. Em 1954, foi a vez de Judy Garland na pela da protagonista da trama. Barbra Streisand e Kris Kristofferson formaram a dupla principal da versão de 1977. Agora, em 2018, é a vez de Lady Gaga e Bradley Cooper emocionarem o público com a bela, romântica e triste história de amor.

A nova versão tem maiores semelhanças com a de 77. Nas duas primeiras, o casal principal era formado por dois atores. Na atual, assim como na de Barbara, tratam-se de cantores. Gaga vive Ally, uma jovem que sonha em ser cantora, mas que trabalha em um restaurante para pagar as contas. De temperamento forte, volta e meia, ela se apresenta em um clube noturno, sendo sempre incentivada pelo pai e pelo melhor amigo. Determinado dia, o clube recebe a visita do astro da música Jackson Maine (Cooper). Ele logo presta atenção na jovem e decide ajudá-la em sua carreira. Ao mesmo tempo, se apaixonam.

Sobretudo quando a carreira de Ally vai crescendo, Jack vai perdendo a luta contra o alcoolismo e o vício em drogas. Apaixonados, eles tentam se apoiar, mas isso acaba se tornando algo mais complicado do que o previsto.

Além de protagonista, Bradley Cooper estreia na direção no filme. Inicialmente, o projeto seria dirigido por Clint Eastwood, mas Cooper acabou assumindo a posição. E não dá para dizer que ele faz feio. Ainda que alguns escorregões ou outros naturais de uma estreia na direção, Cooper realiza um trabalho sólido e envolvente. 

Na companhia do ótimo diretor de fotografia Matthew Libatique, indicado ao Oscar pelo trabalho em Cisne Negro, Cooper entrega um resultado repleto de personalidade. Destacam-se os trabalhos de tonalidade (utilizando-se especialmente do vermelho) e luz, embora haja certo exagero na utilização de flares. É importante reconhecer que o jogo de cores acaba sendo um elemento importante da composição de cenas. Quando conhecemos Ally, ela está em um cenário frio, com detalhes em preto e branco. Quando Jack conhece Ally, ela está num bar repleto de cores e cantando “La vie en rose”.

Vencedora de um Globo de Ouro pelo trabalho em American Horror Story, Gaga se prova definitivamente uma boa atriz. Trata-se, de longe, da melhor atuação de sua carreira. Quem também não decepciona é Bradley, que mostra que sabe cantar, e muito bem. Ele só escorrega um pouco nos momentos mais dramáticos. Isso fica claro quando, ao registrar o personagem chorando, nos vemos diante de um ator que cobre os olhos completamente. Ali, era importante que víssemos Jack chorando de verdade.

O filme é basicamente Gaga e Cooper, mas o elenco coadjuvante também faz bonito, com destaque para Sam ElliottAndrew Dice ClayDave Chappelle e Anthony Ramos.

A Star is Born (no original) conta com uma história simples e até um pouco previsível. Mas ganha todo o gás do mundo com a presença de números musicais realmente belos, com destaque para os duetos “Alibi” e “Music to my eys“.

Ao final do filme, muitos irão chorar, muitos irão pensar em rever e muitos irão correr para achar a trilha sonora de Nasce uma Estrela.

A Star Is Born estreou no 75.º Festival Internacional de Cinema de Veneza, em 31 de agosto de 2018, e foi lançado nos Estados Unidos em 5 de outubro por intermédio da Warner Bros. Pictures. Após a apresentação em três festivais, o filme recebeu aclamação generalizada da crítica, cujos comentários giram em torno das performances de Cooper, Gaga e Elliott, da direção, da cinematografia e música. Foi escolhido pelo American Film Institute e National Board of Review como um dos dez melhores filmes de 2018. Por conseguinte, venceu vários prêmios e foi indicado a inúmeros outros, dentre os quais: Globo de Ouro de Melhor filme – DramaMelhor DiretorMelhor AtorMelhor Atriz e Melhor Canção Original “Shallow“, esta qual venceu. À 91.ª edição do Oscar, recebeu oito indicações, incluindo para Melhor FilmeMelhor Ator (Cooper), Melhor Atriz (Gaga), Melhor Ator Coadjuvante (Elliot), Roteiro Adaptado (Cooper) e Melhor Canção Original (“Shallow”).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos