Depressão: um problema mental ou físico? - Hospital Santa Mônica

A depressão é uma doença com sintomas físicos e cujo tratamento deverá incluir uma componente fisiológica, e não simplesmente psicológica. Um estudo da Universidade da Califórnia (Estados Unidos), liderado por George Slavich, psicólogo clínico, aponta neste sentido. Divulgado pelo jornal The Guardian, o trabalho de Slavich mostra que os sintomas habituais da depressão são semelhantes aos de qualquer pessoa doente – fadiga física e mental, vontade de permanecer em repouso – e, como tal, deverão ser abordados da mesma forma.

O trabalho pode ajudar a ultrapassar o estigma desta doença como uma mera fraqueza psicológica, que disfarça uma falta de vontade ou determinação por parte do doente em ultrapassar uma dada circunstância, e também a adotar uma forma de tratamento mais proativa. A investigação aponta que os sintomas da doença são causados pela citocina, um conjunto de proteínas que causam inflamação, instigando o organismo a abrandar, numa reação natural lógica de autodefesa do corpo humano: seja para evitar mais danos, para conservar energia necessária para combater uma infecção, ou para evitar o contágio a outros. O cérebro envia sinais ao corpo de que é necessária uma espécie de hibernação até o corpo recuperar.

O estudo aponta também uma correlação entre a depressão e as doenças inflamatórias, como a artrite reumatóide, ao ponto do pesquisador da Universidade de Stony Brook (Nova Iorque), Turhan Canli, recomendar que a depressão passe a ser considerada doença infecciosa. O estilo de vida das sociedades atuais, mais sedentário, com uma alimentação mais desequilibrada e com mais isolamento social, não deixa de ser considerado uma das principais causas da depressão – mas neste caso contribuindo diretamente para um estado inflamatório, através do qual o corpo responde como se se tratasse de uma alergia a esse estilo de vida.

 

E qual o tratamento possível?

 

Em vez de barbitúricos ou dos chamados antidepressivos, a resposta passa precisamente por combinar medicamentos anti-inflamatórios com as mudanças no estilo de vida, combatendo as causas que possam ter ajudado à inflamação. Ainda de acordo com o The Guardian, serão necessários mais testes para confirmar esta possibilidade, sendo que o Ômega 3 é outro dos elementos que deverá fazer parte de um programa de recuperação de um estado depressivo. Na opinião de Carmine Pariante, psiquiatra do Kings College de Londres, dentro de 5 a 10 anos um teste sanguíneo poderá ajudar a comprovar o estado de inflamação associado a uma depressão.

Planos de Saúde

Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed Federal
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
Fusex
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
Aeronáutica
ABRASA
ABET
Ver todos
Consulta e Internação 24h