O que o filme do Coringa nos mostra sobre a saúde mental? - Hospital Santa Mônica
Internação Temporária para o Período de Festas e FériasConheça o serviço
Hospita Santa Mônica

Olá, bem-vindo. Escolha um setor para falar conosco.

A falta de atenção à saúde mental é tão importante que o filme do Coringa, indicado ao Oscar 2020 em 11 categorias, focou nesse tema para mostrar a sociedade como isso influencia a vida das pessoas que não recebem tratamento adequado. Dada à complexidade que envolve a saúde mental no Brasil, entender a relação entre o filme do Coringa e saúde mental pode despertar a sociedade para a busca de medidas que reduzam os impactos desse problema.

Nessa perspectiva, vamos mostrar as razões pelas quais o diretor do filme focou neste tema. Veja como as consequências da falta de assistência à saúde mental e os problemas associados à ausência de tratamentos colocam toda a sociedade em risco. Confira, ainda, como um hospital especializado em tratamento psiquiátrico de alta qualidade pode conscientizar sobre a importância da atenção à saúde mental na atualidade. Acompanhe!

Filme do Coringa e saúde mental: entenda a relação

Entender a relação entre o filme Coringa e os fatores relacionados à assistência — ou não — à saúde mental é primordial à compreensão dos impactos gerados no comportamento das pessoas que têm essa doença. No filme, Coringa é o apelido do personagem central, Arthur Fleck, que luta para sobreviver em uma sociedade hostil, marcada pelo descaso do Governo com as questões estruturais como oportunidades de emprego, saúde e segurança pública, principalmente.

Fleck mora com a mãe, senhora Penny, idosa e doente, e que depende dos cuidados do único filho para sobreviver. Durante o dia, ele trabalha como palhaço de aluguel em instituições para crianças com câncer. Já à noite, ele cuida da mãe e, eventualmente, se apresenta como comediante de stand-up, já que alimenta o sonho de viver dessa profissão.

O psiquiatra Marcel Vella Nunes, do Hospital Santa Mônica, comenta “Logo no início do filme, nosso personagem principal apresenta os primeiros sinais da falta de tratamento psiquiátrico e dos efeitos que isso gera tanto ao doente como à família e à coletividade. Sem amparo da Saúde Pública, ele deixa de receber seus remédios controlados e se torna cada vez mais triste, depressivo e agressivo.”

O médico salienta ainda que ao que parece Arthur desenvolveu a síndrome pseudobulbar, doença caracterizada por riso ou choro descontrolado e que surge por diferentes razões. Dois principais fatores que provavelmente contribuíram para sua condição foram a falta de afeto pela ausência do pai e os maus tratos na infância. Porém, com o passar dos anos, os sintomas tornam-se cada vez mais frequentes e dominam o personagem ao ponto de Fleck ser visto como ridículo, estranho e ignorado pelas pessoas.

No desenrolar das cenas, o autor deixa bem claro que Coringa é composto pela multiplicidade de sintomas de uma sociedade extremamente desigual. O estado mental de Fleck somado à sua vulnerabilidade social influencia o comportamento dele e o torna cada vez mais ameaçador, violento e cruel.

Porém, de forma brilhantemente sutil, o autor da obra infiltra o espectador na realidade vivida pelo Coringa a fim de transmitir a mensagem principal do filme: as doenças mentais exigem atenção e cuidado especial. Logo, a sociedade precisa entender melhor sobre o que são os transtornos mentais e refletir sobre o que pode acontecer quando os seus “Coringas” são negligenciados.

Importância dos tratamentos mentais

Nas últimas décadas, a prevalência dos transtornos mentais na população brasileira está cada vez maior. Pesquisas recentes publicadas amplamente pela mídia revelam que a situação é realmente preocupante: cerca de 86% dos brasileiros apresentam algum tipo de desequilíbrio mental.

Mesmo que a incidência seja maior nos jovens, esses transtornos podem surgir em qualquer idade. A projeção para os próximos anos sugerem a necessidade de mais atenção a essa área de saúde — sobretudo nas pessoas de mais idade — já que a tendência às doenças neurodegenerativas é maior.

Dr. Marcel comenta que “Nessa perspectiva, melhorar a assistência à saúde mental e disponibilizar intervenções mais eficazes para esse público é fundamental. A atenção à integridade mental é uma forma de proporcionar uma vida mais digna, saudável e livre de doenças crônicas ou incapacitantes.”

Falta de atenção da Saúde Pública

A Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) divulgou que o panorama da saúde nas Américas exige mais investimentos públicos para suprir as necessidades da população de risco. Segundo o documento, os recursos destinados à saúde mental representam apenas 2% do orçamento dos países. 

Essa ausência de apoio da Saúde Pública expõe a sociedade aos riscos que um indivíduo sem tratamento representa. A ausência de um suporte público de qualidade gera muita dificuldade para a obtenção das medicações e do apoio necessário ao controle dos transtornos mentais. Com isso, a sociedade se torna vítima das vítimas do descaso público com a saúde mental.

Assim como Arthur Fleck, a maioria dos doentes mentais são ignorados tanto pelo governo como pela sociedade. Nesse contexto, a intrínseca relação entre o filme do Coringa e saúde mental é um dos pontos que mais levam à reflexão: o número de “Coringas” infiltrados na população e a dificuldade deles para conviver com a falta de tratamento resultante do descaso dos agentes responsáveis pelas intervenções nessa área.

Vale destacar, porém, que o nível de comprometimento da doença deve ser considerado, já que nem todas as pessoas com problemas mentais apresentam perfil ameaçador. No entanto, independentemente do tipo de distúrbio mental, faz-se necessário a busca de ajuda profissional antes que a doença evolua para situações mais graves.

Além dos riscos significativos que a falta de tratamento simboliza, os prejuízos à saúde — mental, emocional e física — também surgem como consequências dessa falta de assistência do Governo a essas pessoas que enfrentam problemas de ordem psiquiátrica.

Entre as complicações que ajudam na compreensão do contexto entre o filme do Coringa e a saúde mental, destacam-se:

  • comprometimento do aprendizado na idade escolar ou na vida adulta;
  • problemas de relacionamento pessoal, social e afetivo;
  • problemas cognitivos e de desenvolvimento motor;
  • dificuldade para conseguir se manter no emprego;
  • falta de concentração;
  • raciocínio mais lento;
  • confusão mental;
  • risco de suicídio;
  • agressividade;
  • irritabilidade;
  • depressão.

Arthur Fleck, em uma de suas reflexões, destacou uma frase que comprova, claramente, a problemática da saúde mental na sociedade: “o pior problema de ter um transtorno mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não a tivesse.”

Isso exemplifica a necessidade de buscar tratamentos para preservar a estabilidade desses indivíduos e reduzir os impactos desse problema sobre a sociedade. Nesse sentido, compreender a relação entre o filme do Coringa e a saúde mental pode levar à conscientização da população sobre a relevância do tema e o quanto a assistência adequada pode fazer a diferença.

Entre em contato com o Hospital Santa Mônica e conheça nossos tratamentos especializados em saúde mental!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planos de Saúde

CARE PLUS
SBC Saúde
Amil
Interclinicas do Brasil
Vale Saúde
Unimed Intercâmbio
Unimed CT Nacional
Unimed ABC
Transmontano
SulAmérica
Sompo
Sinpeem
Sepaco
Saúde Caixa
Santa Amália
Sabesprev
Prodesp (GAMA)
Prime Saúde
Prevent Sênior
Plan-Assiste (MP FEDERAL)
Panamed Saúde
Omint
NotreDame Intermédica
Nipomed
Metrus
Mediservice
Master Line
Mapfre Saúde
Life Empresarial
Intermédica
Green Line
Gama Saúde
EMBRATEL
Economus
Correios / Postal Saúde
Caixa Econômica Federal
Bradesco Saúde
Banco Central
APCEF/SP
AMAFRESP
Alvorecer Saúde
ABRASA
Ver todos